domingo, 24 de outubro de 2010

Política com alambrados

O curioso é notar a emergência desse Lula complicado num cenário não de dificuldade, mas de relativa bonança, de favoritismo. Se há gente que sabe lidar melhor com o fracasso do que com o sucesso, talvez estejamos diante de um exemplo

Ninguém ganha eleição por pontos. Mesmo se liderar as pesquisas toda a campanha, o que vale é o dia. E se no dia tiver menos votos, perdeu. Eleições ganham-se, portanto, na base do nocaute. E quem nocauteia é o eleitor na urna.

Mas é difícil suportar uma luta em desvantagem. Não é missão para qualquer um. Talvez para um Muhammad Ali, que aguentou bem o favoritismo e a predominância física de George Foreman em 1974 no Zaire. Ali ganhou por nocaute. Talvez a luta de boxe mais famosa de todos os tempos.

O PT está vencendo o combate por pontos nesta eleição, e há bom motivo. A campanha convergiu com o governo de Luiz Inácio Lula da Silva, apoiado por três em cada quatro moradores do país em idade de responder às pesquisas.

Faltaram pouco mais de três pontinhos para a fatura ser liquidada no primeiro turno. E o segundo turno vem, na política, desenvolvendo-se razoavelmente para o PT, desde que que Marina Silva e o PV decidiram não pender em bloco para nenhum lado. Na teoria, o PSDB precisaria atrair em massa os eleitores da candidata verde no primeiro turno para virar o jogo.

Mas neste boxe particular da reta final um detalhe chama a atenção e já registrei aqui. Registro de novo. Quem está na frente, o PT, anda estabanado, sem maior capacidade de autocontrole. Já quem vem atrás, o PSDB, exibe mais disciplina e método do que seria natural no contendor que vai perdendo por pontos.

Um exemplo é o caso dos objetos atirados contra o candidato do PSDB no Rio esta semana, com as consequências conhecidas. O PT tem uma propensão a aceitar bem que certas diferenças políticas sejam resolvidas na base da pressão verbal e física pela “militância”. É visto como elemento constitutivo da luta política. Coisa quase orgânica.

E vem sendo reforçado por Lula nos últimos dias.

Mas qual é o limite aceitável para a pressão física ou verbal? Qual é o peso máximo, a consistência, o formato que podem ter os objetos para serem impunemente atirados contra uma candidata, ou candidato, a presidente da República?

No futebol do Reino Unido, os conflitos nos estádios só tiveram fim, depois de algumas tragédias, quando até as transgressões leves passaram a ser punidas com sanções pesadas. Concluíram que era melhor prevenir do que remediar. Resolveram tão bem que você vê um jogo do Campeonato Inglês pela televisão e nota que ali não há alambrados.

Aqui não. Infelizmente, os índices de popularidade e o temor de ver seu grupo fora do poder parecem ter levado o presidente da República a um estado de regressão. Sai de cena o Lula produzido pelas décadas de militância sindical e política e entra no palco um Lula irreconhecível. Parecido apenas com alguns adversários que Lula precisou enfrentar no passado.

E o curioso -como também já escrevi aqui- é notar a emergência desse Lula complicado num cenário não de dificuldade, mas de relativa bonança, de favoritismo. Se há gente que sabe lidar melhor com o fracasso do que com o sucesso, talvez estejamos diante de um exemplo.

Já os chineses...

Segundo a mitologia, o Brasil é um portento singular na saída da crise financeira. Na verdade, saem bem dela todos os países com contas públicas e bancos relativamente sólidos e cidadãos e empresas com baixo grau de endividamento. Esse último, um problema que vira solução em tempos de falta de confiança no arcabouço creditício.

A dúvida é saber como vamos manter a expansão com exportações em atrofia progressiva e importações explodindo num planeta tendente ao forte protecionismo nacional e de blocos.

As autoridades dizem que o mercado interno vai resolver, que ainda há espaço para os cidadãos e as empresas se endividarem, mas talvez esse diagnóstico esteja mais baseado no estoque das dívidas do que no seu custo estratosférico, alavancado pela recordista taxa de juros.

Um problema e tanto. Já os chineses...

Coluna (Nas entrelinhas) publicada neste domingo (24) no Correio Braziliense.

twitter.com/AlonFe

youtube.com/blogdoalon

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo

13 Comentários:

Blogger Tami disse...

Pensando nas pesquisas só quero citar um provérbio antigo mas bem divulgado ateh hoje"QUANTO MAIOR A ALTURA, MAIOR O TOMBO". rs
E no caso do Pt e Dilma há um agravante: ESSAS MESMAS PESQUISAS QUE DÃO A ELA A VITÓRIA NO 2º TURNO, TAMBÉM DAVAM NO 1º E ERRARAM COM DIFERENÇA DE ATEH 11 E/OU 13 POR CENTO.
E essa coisa de que um raio naum cai 2 vezes no mesmo lugar é babaquice. hehe!!!

sábado, 23 de outubro de 2010 23:08:00 BRST  
Anonymous Michael disse...

Voto em Serra e acho muito difífil que ele vença.

Mas um dos grandes benefícios desta eleição foi mostrar, a todo o Brasil, quem é o verdadeiro Lula.

Internacionalmente, ele já destruiu sua reputação, com a ridícula relação com o Irã.

Agora completa a destruição da imagem aqui dentro.

Ótimo, pois não precisamos de outro Getúlio.

E, incrivelmente, FHC sai da eleiçao com algum resgate de seu papel histórico.

Em 30 anos, é possível que o impacto de FHC para o país seja visto como mais importante do que o do novo "pai dos pobres".

Só isso já valeu a pena.

domingo, 24 de outubro de 2010 09:23:00 BRST  
Anonymous Anônimo disse...

Fica muito redundante falar no assunto, dado a exaustão com que foi tratado. Contudo, a ridicularização que se tenta fazer com a agressão sofrida pelo candidato das oposições, beira a irracionalidade. Adentrando a permissividade: alguns podem ser agredidos outros não. E pelo isentismo, cobram a crítica também aos balões de borracha cheios d'água, arremessados contra a comitiva da candidata do governo. Pois bem. O caso também é ridículo. Só que a candidata governista não foi ridicularizada. Ela é que, talvez de forma ingênua, reverberou a péssima piada feita do caso ocorrido com Serra pelo presidente. Serra foi chamado pelo presidente de "o sujeito", "farsante", "um telefonema provoca um exame de tomografia", ou coisas semelhantes. Não trata-se apenas de piadas de mau gosto com bolinhas de papel. Trata-se de um cerceamento por violência ao direito de exercer publicamente uma atividade lícita. Enquanto ficarem intentando ridicularizar o candidato das oposições, estarão dando guarida a coisas piores. Serem, irresponsavelmente, açuladores de violências, não é bom.
Swamoro Songhay

domingo, 24 de outubro de 2010 12:18:00 BRST  
Anonymous Josiane Lourenço disse...

Olá Alon e demais seguidores do blog,

Me chamo Josiane, sou de Bh e estou me formando em jornalismo. Já a quatro mesese estou acompanhando o blog do Alon, pois o utilizarei como objeto de estudo do meu trabalho de conclusão de curso. Gosto muito de todos os post e dos comentários, os avalio como pertinentes ao acréscimo do meu conhecimento e de extremo auxílio para o meu trabalho.
Abraços e nos vemos por aqui...
Josiane Lourenço

segunda-feira, 25 de outubro de 2010 14:11:00 BRST  
Anonymous Anônimo disse...

Você vê bem os sintomas, mas não consegue dizer o nome da doença. Aliás, é um mal que aflige toda essa oximórica categoria dos petistas-bem-pensantes.

Depois se dizem traídos.

segunda-feira, 25 de outubro de 2010 14:30:00 BRST  
Anonymous Maurício disse...

Comentários que não seguem a "claque" não são liberados, ainda que não contenham nenhuma agressão? Triste decadência deste blog, cujo sucesso do segundo mandato do Lula tornou esquizofrênico e reacionário. Pelo menos acate a sugestão e retire do epíteto de "esquerda" vai, que daí já é demais...

segunda-feira, 25 de outubro de 2010 18:45:00 BRST  
Blogger Alon Feuerwerker disse...

Maurício:

Só não publico comentários que contenham xingamentos, acusações sem provas e outros trechos que possam ser interpretados como crimes. Simplesmente porque não posso me responsabilizar pelo que os outros escrevem.

Alon

segunda-feira, 25 de outubro de 2010 20:04:00 BRST  
Blogger chico disse...

Nao compreendo, os comentarios dos internautas sao responsabilidade das pessoas q os enviaram (inclusive existe o registro do comentario pela necessidade de se confirmar o email e a senha). Quanto aos chingamentos e os "comentarios de campanha" eu compreendo e concordo, mas ja ha algum tempo eu posto comentarios "nao-eleitorais" e desprovidos de baixaria q nao sao puclicados, creio eu, pelo simples fato de nao serem "pró-neutralidade", q por sinal nao existe nesses periodos de embate...

ps: a esquerda do pais majoritariamente se assusta e se mobiliza contra manifestações claramente de direita e de muito baixo nivel, ainda nao vi nenhum post seu tratando desse assunto. Sera q a impagabilidade do salario minimo de 600 reais e de aumento de 10% aos aposentados, ou o apio de silas malafaia ("deus fez macho e femea"), ou manchetes do tipo "Contribuinte paga 1 bilhao por erro de Dilma" nao sao dignos de uma de suas analises?

segunda-feira, 25 de outubro de 2010 22:32:00 BRST  
Anonymous Rotundo disse...

O Lula está sendo o que sempre foi. A exceção foi o período compreendido entre a reeleição e o começo das dificuldades da campanha da Dilma.
Imagino que irá piorar a medida que o poder passe a aparecer maior no retrovisor.
No entanto, se perder a eleição, pode apostar que tornar-se-á uma moça no trato com o vencedor.

terça-feira, 26 de outubro de 2010 10:23:00 BRST  
Anonymous paulo araújo disse...

Alon

É bem pior do que você escreveu. Se algum maluco por acaso se julgar atingido por algum comentário publicado no blog ele pode lhe processar. Já há alguma jurisprudência nesse sentido.

Os advogados que frequentam o blog podem esclarecer melhor essa questão.

terça-feira, 26 de outubro de 2010 12:15:00 BRST  
Anonymous Anônimo disse...

Infelizmente as pessoas acham que ser de "esquerda" é sinônimo de aplaudir este populismo tosco do Governo Lula.

terça-feira, 26 de outubro de 2010 14:32:00 BRST  
Blogger Francisco Lima disse...

Tenho uma outra explicação para a atitude lulista: a grande imprensa manipula e tenta vender uma farsa. Lula grita truco! e a imprensa afina!Simples assim. Lula é um grande jogador, e tem dado lições na nossa educada grande imprensa.

terça-feira, 26 de outubro de 2010 17:23:00 BRST  
Blogger Alon Feuerwerker disse...

Não posso (e se pudesse não faria) editar comentários. Retirem as acusações criminais e as dequalificações e os publicarei.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010 18:40:00 BRST  

Postar um comentário

<< Home