quinta-feira, 30 de julho de 2009

Auschwitz e a Filosofia (30/07)

5 Comentários:

Blogger Paulo de Tarso disse...

Alon, parabéns!

sexta-feira, 31 de julho de 2009 09:09:00 BRT  
Blogger Leonardo Bernardes disse...

Heidegger o maior filósofo do século XX? Dificilmente.

sexta-feira, 31 de julho de 2009 10:32:00 BRT  
Anonymous paulo araújo disse...

Alon

Meu entendimento do espanhol falado é ruim. O comentário está referido mais à obra citada porque não entendi claramente a exposição do professor.

Mas a noite da não ciência, o mundo sentimental e romântico, no meu pequeno entender, acendeu a retórica totalitária e genocida. Se o nazismo, o estalinismo, o fascismo usaram saberes científicos e bélicos para esmagar milhões de seres, cabe encontrar as raízes do mal NO SER HUMANO que produz ciência mas a dirige para a sua sede arrogante de poder. Permitam que eu discorde, portanto, das doutrinas expandidas pelo núcleo inicial da chamada Escola de Frankfurt. Não aceito que o Holocausto seja o fruto das Luzes modernas. Menos ainda que o genocídio só se tornou possível com a Ilustração e a modernidade, como afirmam Theodor Adorno, Max Horkheimer na Dialética das Luzes, e mais recentemente Zygmund Baunan, em Modernidade e Holocausto. [...]

A ciência e a técnica, hoje, são o apanágio das potências políticas mundiais. Mas vivemos o instante em que elas passam, por muitos dutos, aos que praticam o terror. Repetir, como uma espécie de mantra que a ciência e a técnica e a razão e seus frutos são a fonte da desobediência aos direitos humanos, mais do que um equívoco, no meu entender, é agir de modo cúmplice com os que voltam o saber para o culto da morte. Defender a ciência, as artes, as técnicas, apesar dos usos genocidas que delas foi feito e ainda agora é feito, me parece uma tarefa civilizatória. Defender a educação científica e técnica da população, é medida importante contra o racismo e o anti-semitismo. Nas ciências e humanidades, fala a razão humana movida pela vontade. Afirmar da primeira o que tem fundamento na segunda, significa um contra-senso perigoso. O racismo e o anti-semitismo não têm origem na ciência. Seus fundamentos seguem mesmo contra a prática científica. Julgo ser de má fé o argumento que põe na ordem científica a consagração do mal no mundo.

In: DISCURSO DE AGRADECIMENTO À B´NAI B´RITH PELA OUTORGA DA MEDALHA 2007 DE DEFESA DOS DIREITOS HUMANOS.

http://robertounicamp.blogspot.com/search?q=discurso+de+agradecimento

sexta-feira, 31 de julho de 2009 10:37:00 BRT  
Blogger PTS disse...

Heidegger, maior filósofo do séc. XX? É, de fato, um exagero, coisa da seita frankfurtiana.

sexta-feira, 31 de julho de 2009 12:25:00 BRT  
Blogger PTS disse...

Não sou especialista em escola de frankfurt, mas me parece que o ponto está na racionalidade burguesa e não na técnica (esta mero instrumento dessa racionalidade.

sexta-feira, 31 de julho de 2009 12:27:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home