segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

Pesquisa no Blog do Noblat (01/12)

9 Comentários:

Anonymous El Chavo del Ocho disse...

alon, vc esqueceu nos vários artigos que há outro aspecto importante a ser considerando nessa questão "anistia a torturadores". Se o seu grupo está se enfraquecendo nas esferas do poder, perdendo espaço palaciano, então apele para um argumento forte, de "superioridade moral". Talvez, o intento formal não seja atingido, mas o enfraquecimento de sua patota será reduzido e, caso seja defenestrado - por motivos distintos do tema "moralmente superior" - a justificativa será sempre o argumento "moralmente indefensável".
Sem meias palavras, essa questão já encheu o....

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008 17:46:00 BRST  
Anonymous Artur Araújo disse...

Alon, minha posição sobre o tema é conhecida sua e dos comentaristas de seu blog: acho o assunto já resolvido no pacto político de 1979. Nem por isso posso concordar com o uso de uma enquete, sem controle de acesso nas respostas e sem nenhuma base estatística para "somar" argumentos à nossa tese. Resultados de enquetes na internet - em particular desse blog que vc cita - são piores que nada em termos de aferição de opinião.
Creio que vc erra - e muito - em usar esse tipo de abordagem. Não se coaduna com as linhas editoriais de seu blog nem com sua formação matemática e política.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008 18:44:00 BRST  
Blogger Alon Feuerwerker disse...

Artur, não tirei conclusão alguma. Nem disse que o levantamento é científico. Só mostrei que o assunto parece dividir opiniões, o que é uma hipótese razoável. Ou seja, não há unanimidade. Bom sinal.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008 19:31:00 BRST  
Anonymous Artur Araújo disse...

Alon, nem precisa de "conclusão" depois da manchetada, seguida dos posts, sem nenhum alerta sobre a fragilidade da enquete. Não ouso "ensinar padre-nosso a um vigário" do jornalismo, mas também não sou um tolinho que não compreende uma edição.
Nem mesmo como aferição de "divisão de opiniões" essa enquete serve. Creio, até, que uma pesquisa séria apontaria índices maiores para os quesitos "não deveria" e "não sei".
O problema com as enquetes desse blog e de seus correlatos é o vício da amostra; há uma legião de "spammers" que se dedica, como tarefa política, a "votar", sempre de acordo com a orientação político-ideológica do "dono" do blog. Acompanho-os sempre e TODOS os resultados são previsíveis, com direito a alterações de margem entre "sim" e "não" de acordo com o grau de importância dada ao tema "pesquisado" ou, no caso de alguns, o interesse em "administrar" o resultado, em uma "brincadeira" semelhante à do uso "criativo" das margens de erro em quantis.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008 20:13:00 BRST  
Blogger Alon Feuerwerker disse...

Caro Artur, no caso específico do Noblat as pesquisas são razoavelmente confiáveis, porque o sujeito só consegue votar se estiver cadastrado, e por isso não consegue votar mais de uma vez, nem que delete os cookies ou se logue num outro computador. Tente e verá. Mas voltarei ao assunto. Abs.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008 20:25:00 BRST  
Anonymous Marcos disse...

Meu caro Alon, recomendo que leia alguns comentários do blog do Noblat.
O público que comenta lá é em sua grande maioria parecido com o eleitor americano que considerava John McCain liberal demais.
Se a mesma pesquisa fosse feita no Blog do Alon, garanto que o resultado seria o oposto.
Então a pesquisa do Noblat só vale para o seu restrito público de comentarista, que é minoria em relação aos leitores habituais do Noblat.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008 21:58:00 BRST  
Anonymous Hugo Albuquerque disse...

Esse tema não é questão partidária ou de opiniomêtro, ele pertence à esfera jurídica; estamos falando de direitos personalíssimos que foram infringidos. Não existe, portanto, qualquer possibilidade de prescrição. Quem torturou não somente pode como deve ser levado aos tribunais.

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008 23:02:00 BRST  
Blogger Alberto099 disse...

Caro Hugo Albuquerque, não sei o que você quer dizer com “direitos personalíssimos”, mas entendo que, supondo um Estado laico, o direito é o que esse Estado diz ser, segundo suas regras de decidir. Em um Estado que se quer democrático, essas regras devem fazer prevalecer o entendimento da maioria sobre quais são os direitos legítimos. Pode não ter qualquer “cientificidade”, mas vejo a mesma opinião prevalecer nas listas de comentários de blogs diversos. Tampouco o argumento que se segue é científico (mas me parece bastante convincente): quem em um estado democrático recorreria a tribunais internacionais se não estivesse defendendo posições sem legitimidade interna?

terça-feira, 2 de dezembro de 2008 18:15:00 BRST  
Anonymous Frank disse...

"Se a mesma pesquisa fosse feita no Blog do Alon, garanto que o resultado seria o oposto."

Marcos, não sei não..

O blog do Alon é o local preferido de muitos liberais "moderados" p/ busca de uma opinião articulada e informada de Esquerda (do blogueiro e ótimos comentaristas).

Não me parece prevalecer, em meio à frequencia daqui, esse setor da Esquerda q quer reabrir esse assunto.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008 23:01:00 BRST  

Postar um comentário

<< Home