terça-feira, 25 de novembro de 2008

Obrigado, general Luiz Cesário (25/11)

Escrevi um ano atrás em E quando não houver pracinhas?:

Volto às comemorações do Dia da Vitória [na Segunda Guerra Mundial]. Está na hora de fazer com que deixem de ser apenas festas dos próprios pracinhas e de seus familiares. O tempo implacável fará chegar o dia em que, infelizmente, não mais teremos aqui remanescentes da heróica participação brasileira na Segunda Guerra Mundial. Será uma pena se no dia em que os pracinhas não mais estiverem entre nós a memória daquela gloriosa jornada de luta dos brasileiros tiver partido com eles.

Hoje, o presidente da Rússia fez uma visita ao monumento no Rio de Janeiro que homenageia os brasileiros mortos no conflito de 1939-45. Da Folha Online:

O presidente russo, Dmitri Medvedev, participou nesta terça-feira de cerimônia em memória aos brasileiros mortos em combate na Segunda Guerra Mundial, no aterro do Flamengo (zona sul). Durante a estadia na cidade, Medvedev participará de reunião com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, de churrasco com o governador do Rio, Sérgio Cabral (PMDB), e fará turismo. Na cerimônia desta manhã, Medvedev foi recebido pelo comandante do CML (Comando Militar do Leste), general Luiz Cesário da Silveira Filho, além de representantes da Marinha e da Aeronáutica, pracinhas da Segunda Guerra e cerca de 300 homens das três Forças Armadas. Nenhum representante do Executivo brasileiro recepcionou o presidente russo. O ministro Nelson Jobim (Defesa), cuja presença estava prevista na cerimônia, segundo o Exército, não foi ao evento. A assessoria de imprensa do ministro informou que ele participaria, nesta manhã, de reunião com a comissão da Frente Parlamentar de Defesa Nacional. Medvedev depositou flores no monumento em homenagem aos combatentes brasileiros e cumprimentou ex-combatentes. Acompanhado de comitiva de dez carros, o presidente russo deixou o local por volta das 12h (...)

Como brasileiro, devo agradecer ao sr. Medvedev pela reverência aos nossos quase 2 mil compatriotas caídos nos campos de batalha italianos. Considerando que a União Soviética teve mais de 20 milhões de mortos na guerra (para ampliar e detalhar os números, clique na imagem acima, retirada da Wikipedia), o gesto do presidente russo é uma baita homenagem. Coisa de quem sabe o que representa. E sabe de onde vem. E eventualmente sabe, por isso mesmo, para onde quer ir. Pena que nenhum líder político brasileiro tenha se dado ao trabalho de comparecer. Certamente tinham compromissos mais relevantes na agenda. Para nossa sorte, estava lá o comandante militar do Leste, Luiz Cesário da Silveira Filho. Além de um punhado de bravos pracinhas e três centenas de soldados e oficiais. Obrigado, general, por ter mitigado o constrangimento. O país deve essa ao senhor. E vamos ficar na torcida para que nossos governantes compareçam pelo menos ao churrasco citado na reportagem.

http://twitter.com/alonfe

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog.

Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

4 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

Parece que a mídia esqueceu-se do ilustre mandatário.O executivo foi representado pelo reforço da segurança,prestada pelas três forças.
Está de bom tamanho.Afinal,o destino desta viagem é a Venezuela,aqui apenas uma escala técnica.Literalmente.

terça-feira, 25 de novembro de 2008 21:28:00 BRST  
Anonymous mauro guerreiro disse...

Provavelmente o pessoal do executivo não foi por duas possiveis razões: Receio da interpretação que o governo americano possa dar; ou O desconhecimento da historia e da importancia da participação brasileira na guerra. O despreparo é generalizado,não é nenhuma surpresa.É mais provavel esta última.De qualquer modo,cortezia nunca é demais. Eles são importantes clientes de exportações brasileiras.

quarta-feira, 26 de novembro de 2008 14:25:00 BRST  
Anonymous FRANCISCO PARENTES CORRÊA disse...

CARO SR.:

EMBORA NÃO SEJA ASSINANTE DO SEU BLOG, COSTUMO LE-LO REGULARMENTE,
POIS HOJE É RARO ENCONTRAR ARTIGOS INTELIGENTES SOBRE POLÍTICA NA
MÍDIA EM GERAL, INCLUSIVE INTERNET.
GOSTEI MUITO DO ARTIGO SOBRE OS PRACINHAS. O QUE ME IMPRESSIONOU MAIS FOI O GRÁFICO DE MORTOS DA II GUERRA. É IMPRESSIONANTE QUE 50% DOS MORTOS DESTA CONFLAGRAÇÃO TENHAM SIDO CIVIS DE PAÍSES DO LADO ALIADO.
É UM INDICATIVO CLARO DO QUE É O FASCISMO COMO AMEAÇA A VIDA HUMANA,
E DO QUE NOS CUSTOU PARA DERROTA-LO.
FIQUEI TAMBÉM IMPRESSIONADO PELA ENORME QUANTIDADE DE CIVIS CHINESES
MORTOS, UMA CHACINA!
É UMA PENA QUE OS BRASILEIROS SÓ VEJAM NA MÍDIA OS SOLDADOS
AMERICANOS E ALEMÃES, OU JAPONESES. É COMO SE NOSSOS HERÓIS NÃO
TIVESSEM EXISTIDO! E O SILÊNCIO SOBRE O ENORME SACRIFÍCIO FEITO PELA CHINA E PELA UNIÃO SOVIÉTICA É DE ESTARRECER!
ISTO É UM RETRATO DA DOMINAÇÃO CULTURAL A QUE ESTAMOS SUBMETIDOS.
TALVEZ ELA SEJA A PIOR DE TODAS.

FRANCISCO PARENTES CORRÊA

quinta-feira, 27 de novembro de 2008 11:32:00 BRST  
Anonymous Jura disse...

Pequena homenagem da cidade de Bagni de Lucca, uma das tantas liberadas por nossos pracinhas nos Apeninos toscanos:

http://farm4.static.flickr.com/3035/3071580502_3d58991f05_b.jpg

Diz o seguinte:

Nesta praça, em 6 de outubro de 1944, depois de 12 meses de luta partisã, combatida entre os Apeninos tosco-emilianos e as montanhas Apuanas, os voluntários da XI Zona Patriotas do Exército de Libertação Nacional, sob o comando de Manrico Ducceschi Pippo, constituiram o batalhão autônomo patriotas italianos, ao lado das tropas brasileiras, "estadunidenses" (pois as brasileiras também são americanas, claro), inglesas e indianas. Dominaram as posições mais difíceis e avançadas da linha gótica entre o rochedo Pania Secca e a cidade de Cutigliano.
Em abril de 1945, liberadas as monstanhas da Garfagnana, ultrapassaram os Apeninos e com meios capturados ao inimigo alcançaram os alemães na planície Padana, contribuindo para a liberação de Módena, Reggio Emilia, Parma e Piacenza.
Atravessaram o Rio Pó em primeiro lugar e entraram em Milão precedendo as tropas aliadas do IV Corpo da V Armada em 8 de junho de 1945.
Foram desmobilizados com as honras das armas.

A cidade de Bagni di Lucca e o comitê para a celebração do 60° aniversário da liberação e da resistência depuseram esta recordação.

domingo, 30 de novembro de 2008 16:32:00 BRST  

Postar um comentário

<< Home