segunda-feira, 27 de outubro de 2008

Hora de gastar (27/10)

A hora não é de o Estado apertar o cinto. É hora de gastar, como mostram os chineses. O editorial de hoje de O Estado de S.Paulo explica por quê. Ele começa assim:

É hora de evitar a recessão, a pior conseqüência da crise financeira no mundo rico, e medidas para reativação da economia já estão na agenda política dos países mais avançados. A primeira reação à turbulência financeira foi injetar dinheiro no mercado para conter a quebradeira dos bancos. Trilhões de dólares foram mobilizados para a operação de socorro. Essa tarefa continua em execução, mas é urgente cuidar do desafio seguinte. “Era preciso conter a crise financeira. Agora é preciso reativar a máquina econômica”, disse o primeiro-ministro da França, François Fillon, ao anunciar medidas para estimular os negócios e a criação de postos de trabalho. O ministro das Finanças do Reino Unido, Alistair Darling, já havia mencionado um plano de aumento de gastos públicos e de incentivos setoriais para movimentar a economia. O sentimento de urgência aumentou depois de conhecidos novos sinais de recessão na economia britânica. Nos Estados Unidos, a defesa de um novo programa de estímulo ao consumo surgiu na segunda-feira passada de forma um tanto surpreendente. Em depoimento no Congresso, o presidente do Federal Reserve (Fed, o banco central americano), Ben Bernanke, disse apoiar um novo pacote fiscal para reforçar a demanda. O pacote anterior foi adotado no primeiro semestre e custou US$ 168 bilhões. A maior parte desse dinheiro, US$ 100 bilhões, foi usada para a restituição de impostos. Isso ajudou a sustentar o consumo por breve período. O novo pacote americano, defendido principalmente por parlamentares democratas, deverá envolver, se aprovado, cerca de US$ 300 bilhões destinados tanto a investimentos em infra-estrutura quanto a programas sociais.

E tem inclusive esta passagem:

Quanto mais veloz a adoção de medidas anti-recessivas no mundo rico, menor o risco de problemas devastadores nos países em desenvolvimento.

Vamos copiar os ricos também nisso.

http://twitter.com/alonfe

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog.

Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

2 Comentários:

Anonymous Frank disse...

Nada contra políticas anti-cíclicas bem desenhadas e justas (na medida certa), mas se em hora da bonanza, o Estado brasileiro gasta muito (últimos 3 anos) e - como vc sugere- na hora da crise o negócio também é gastar, eu pergunto: qual é o a hora de se economizar? (pergunta colateral: economiza pra quê mesmo?)
Em outras palavras, haja TRIBUTOS + DÍVIDA p/ mover essa lógica do gasto SEMPRE.

Lembro q DÍVIDA agora = TRIBUTO futuro (descartando-se calote, é claro).

segunda-feira, 27 de outubro de 2008 11:58:00 BRST  
Blogger Richard disse...

ERRADO! É hora de investir em projetos que irão nos dar maior independência da economia mundial. Está se tornando senso comum entre economistas, de esquerda e de direita tbm, que o dinheiro agora liberado será sugado pelos mesmos especuladores que levaram o mercado à ruina.
Tentar manter o sistema nas mesmas bases é a pior solução no momento. É hora sim de gastar com educação, saúde, alimentação, transporte e tudo que possa tornar a vida em comum mais confortável. E não dar dinheiro para empresa que preferiu produzir "papel" ao invés de produtos!

segunda-feira, 27 de outubro de 2008 15:59:00 BRST  

Postar um comentário

<< Home