sábado, 27 de setembro de 2008

Um texto de seis meses atrás (27/09)

Fiquei com vontade de escrever algo menos conjuntural sobre a crise financeira. Aí lembrei de um trecho do que escrevi em março, em Um mundo cada vez mais perigoso:

"A economia dos Estados Unidos tomou um tranco porque o país mais rico do mundo não produz riqueza suficiente para, simultaneamente, 1) alimentar o altíssimo nível médio de consumo de seus cidadãos, 2) manter uma máquina militar atuante e capaz de garantir sua hegemonia planetária na era das guerras assimétricas e da emergência de múltiplos países candidatos a potência e 3) poupar e captar poupança suficiente para alavancar um crescimento sustentado. Há quem busque as explicações para a crise na esfera da circulação e das finanças. Eu, que não sou especialista, prefiro enveredar pela observação da produção e do estado da economia nacional da superpotência. Os fatos indicam a atualidade do conceito de imperialismo e a fragilidade das idéias alicerçadas na ilusão de um mundo "globalizado", em que as fronteiras e os estados nacionais perdem progressivamente a importância."

Clique aqui para ler Um mundo cada vez mais perigoso. Nada há de novo que deva ser acrescentado ao que foi dito seis meses atrás.

http://twitter.com/alonfe

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog.

Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

3 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

Qualquer comentário sobre a "crise",é ocioso.O império, não vai acabar. Perdem-se alguns bilhões,mais um susto ali, a economia re-aranja-se mais concentrada e parte para outra com regras renovadas.Aqui o efeito é saneador:calando à bôca dos porta-vozes dos neocons e neolibs.Esses terão que submeter-se a reciclagem ideológica... à esquerda.Reler Celso Furtado,procurar edições esgotadas dos clássicos,revirar sebos,etc. E ,conservar o emprêgo!

sábado, 27 de setembro de 2008 13:17:00 BRT  
Blogger Richard disse...

Eu acho que não, anônimo! O Império já está descendo a ladeira, rumo à segunda divisão (nós é que vamos continuar no Grupo de Acesso). Acredito que, com este "soluço", o principal parceiro econômico, a China, vai buscar depender menos dos EUA. E eu quero mais é que continuem gastando bilhões em guerras, erodindo ainda mais o seu poder!!!

segunda-feira, 29 de setembro de 2008 12:34:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Só eu que percebi os bancos Europeus comprando TODOS os bancos de investimento na surdina com dinheiro do Banco Central Europeu? Ninguém mais notou a estatização do mercado financeiro na Europa? Devo ser muito ignorante ou louco para ver o óbvio que NINGUÉM mais vê - que na Europa já se injetou o correspondente a U$620 Bi no mercado de especulação sem dar um pio sequer quanto ao "dinheiro do contribuinte"; o parlamento Europeu está calado e até na China arrumaram um feriado até 6 de Outubro, pra não abrir a bolsa de Xangai... O Império não cai definitivamente nessa, mas certamente está ferido de morte. Próximo movimento: Irã, Israel e especulação na marra. (Será que era um bom momento pro Brasil ter um exército?)

terça-feira, 30 de setembro de 2008 14:47:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home