sábado, 27 de setembro de 2008

Tarda, mas não falha (27/09)

Da Folha Online, hoje:

Aeronáutica descarta problemas em radares em acidente com vôo 1907 da Gol

Os equipamentos de comunicação e vigilância no controle do tráfego aéreo brasileiro não tiveram responsabilidade no acidente do vôo 1907 da Gol segundo documento divulgado pelo Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos), da FAB (Força Aérea Brasileira).

O boletim contém os resultados da investigação técnica feita até o momento sobre o acidente entre a aeronave Legacy, prefixo N600XL e o Boeing 737 da Gol, que completa dois anos na próxima segunda-feira (29). O acidente ocorreu no dia 29 de setembro de 2006 e deixou um saldo de 154 pessoas mortas.

O documento isenta de toda responsabilidade os equipamentos de comunicação e vigilância no controle do tráfego aéreo brasileiro. Assegura também que as avaliações feitas pela Comissão de Investigação mostram que o transponder (responsável pelo sistema anticolisão do Legacy) estava em condições de uso, porém não estava em operação no momento da colisão.

O documento confirma que não foram encontrados erros de projeto ou de integração nos equipamentos de comunicação, de rádio e navegação, transponder e TCAS do Legacy. As análises destes equipamentos foram acompanhadas, em conjunto, por investigadores e técnicos brasileiros e americanos nas instalações dos fabricantes do Legacy.


Clique para ler a reportagem completa. Se tiver curiosidade, tempo e paciência, faça uma busca por legacy+gol e leia o que se escreveu aqui sobre o tema desde janeiro do ano passado, desde o post Envergonhem-se. Em resumo, o choque dos dois aviões foi causado por erro (crime) dos pilotos americanos do Legacy. E ponto final. Num país mais cioso de sua soberania, eles estariam até hoje retidos para julgamento. Bem, todo o alarido em torno da "falência" do controle nacional do tráfego aéreo foi grosseira manipulação política e midiática, cujas raízes devem ser buscadas nas pressões pela privatização ("desmilitarização") do sistema, na ambição sem limites de um grupo sindical (controladores de vôo) e no plano palaciano (afinal fracassado) de passar uma rasteira na Força Aérea Brasileira.

http://twitter.com/alonfe

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog.

Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

4 Comentários:

Blogger caneto disse...

Bem, após esse comunicado da Aeronáutica, estou muito curioso para ouvir outros comentários sobre esse assunto.
Nesse momento, apesar de estar sempre muito indeciso ao ler todas a notícias sobre esse evento, não tenho porque não concordar com com a declaração desse documento.
Mas, então, como fica essa situação? E a força desse documento tem a única finalidade de me convencer?

sábado, 27 de setembro de 2008 20:10:00 BRT  
Anonymous JV disse...

Conclusão apressada, pois se os equipamentos estavam funcionando, o que dizer dos controladores de vôo? Estavam cochilando? A responsabilidade da separação em vôos IFR é do controle.

domingo, 28 de setembro de 2008 13:01:00 BRT  
Blogger Richard disse...

Também acho! Os equipamentos do Legacy estavam funcionando, mas não estavam ligados... pq um piloto faria isto?! Descuído?! Não conheciam o aparelho?! Como, se é um equipamento internacional!?!??
Parece que os gringos erraram, mas não estavam (as autoridades) muito certas disto, na época. Afinal, ninguém avisou ao Gol que tinha um avião possivelmente na mesma rota! Também não se preocuparam com uma aeronave voando sem transponder por quase 2 horas... parece uma coisa normal, né?!

segunda-feira, 29 de setembro de 2008 12:19:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Retrospectiva faz tudo parecer tão mais divertido. Impressionante.

terça-feira, 30 de setembro de 2008 14:39:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home