sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008

Razões para Hillary preocupar-se. E um texto de Obama para comparar com nossos políticos (08/02)

Teve gente que enxergou ganhos de Hillary Clinton na superterça. Miragem ou spinning? Sobre o assunto, leia este excelente artigo do politico.com: Five reasons Hillary should be worried, de Jim VandeHei e Mike Allen. E veja também esta aula de marketing político que é a mensagem de ontem de Barack Obama aos cadastrados em seu site (http://www.barackobama.com/):

Friend
One of the things I'm most proud of about our campaign is not the amount of money we've raised, but the number of people giving it. As of this afternoon, more than 300,000 people have given in 2008 alone, taking ownership of this campaign by making a donation of whatever they can afford. This has never happened before. No one has ever built a campaign involving so many Americans as true stakeholders. It speaks volumes not only about the kind of campaign we're running, but also about how we want politics to be. So many of us have been waiting so long for the time when we could finally expect more from our politics, when we could give more of ourselves and feel truly invested in something bigger than a particular candidate or cause. This is it. We are the ones we've been waiting for. We are the change that we seek. We won the most states and the most delegates on Tuesday because a movement of people decided to take back the political process and participate in unprecedented numbers. Today we set a new goal: 500,000 people giving to our campaign this year by March 4th. It's time to take the next step. Please make your first donation now: https://donate.barackobama.com/match. When you do, one of the 300,000 people who have already given this year will match your donation. You'll see the name and town of the person matching your gift, and you'll even be able to send them a note about why you took the leap. This has been a remarkable week already, but we are entering what could be a decisive phase of the campaign. We face contests in Nebraska, Washington State, and Louisiana on Saturday. Maine will go on Sunday. And Virginia, Maryland, and Washington, D.C. will vote on Tuesday. It's going to take every one of us reaching out, organizing, and giving our all to make it happen. As we headed into the Iowa caucuses, it had taken us nearly a year to reach our first 500,000 donors. Now, with your help, we will be able to repeat that feat in a little over 60 days as we head into Texas, Ohio, Rhode Island, and Vermont on March 4th. So many people said we would never get here. But we're proving every day that ordinary people can still accomplish extraordinary things. Thank you,
Barack


Agora compare: 1) a essência do que você acabou de ler com 2) as reações dos nossos políticos nesta crise do cartão corporativo. Aí você entenderá o que eu quis dizer em De onde vêm os Obama, em O cinismo do Executivo e no post anterior a este.

Clique aqui para votar no Blog do Alon no Prêmio IBEST.

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog (Blog do Alon).

Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

6 Comentários:

Anonymous Isnougud disse...

Gostei do terceiro parágrafo:" nunca antes(neste país)..." Pois é ,Obama, assim é que começa o fenômeno que os desonestos chamam de populismo.Agora, conte para nós e eles,o quanto o portal da transparência do Departamento de Estado, informa a movimentação da altas autoridades,seus familiares, gastos , nomes e endereços dos agentes de segurança.Não tem?Tampouco, urnas eletrônicas à prova de fraude?Lembre que as duas eleições ,ganhas pelo Bush,mostraram que os latinos,nesse assunto são aprendizes.Moreira da Silva,o filósofo da Lapa,envia mediúnica advertência:" Cuidado ,Obaaaama!".

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008 17:46:00 BRST  
Anonymous Jura disse...

Você doou quanto, Alon? Qualquer um de nós pode doar, dá para pagar no cartão, talvez até a prestação.

Dado o impacto da eleição americana no mundo inteiro, é bom ajudarmos os nossos candidatos. Hillary e Mc Cain também aceitam doações.

Eu ainda não escolhi o meu candidato. E talvez não doe nada por achar que qualquer um será ruim pra nós.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008 18:00:00 BRST  
Anonymous Jura disse...

Você doou quanto, Alon? Qualquer um de nós pode doar, dá para pagar no cartão, talvez até a prestação.

Dado o impacto da eleição americana no mundo inteiro, é bom ajudarmos os nossos candidatos. Hillary e Mc Cain também aceitam doações.

Eu ainda não escolhi o meu candidato. E talvez não doe nada por achar que qualquer um será ruim pra nós.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008 18:00:00 BRST  
Anonymous Anônimo disse...

Alon, como acabo de comentar com o Nassif, se as instituições funcionassem ordinariamente, bastaria ao TCU investigar se há a comprovação do gasto efetivo para a função pública. Se não ficar esclarecido, o TCU envia para o Ministério Público e este faz a denúncia (Peculato). Independentemente do dever de ressarcir ao erário público (ação civil pública) há tambem o dever de reponder pelo citado crime. Mesmo que o barnabé devolvesse o dinheiro apropriado sem justificativa, teria ainda sim que responder ao processo criminal. Tudo isto em rotina jurídica e administrativa corriqueira. Não precisaria de CPI. Muito mais útil ao país seria a mobilização do congresso para criar uma CPI permanente de acidentes de trânsito: 50.000 brasileiros mortos por ano em acidentes de trânsito é uma irresponsabilidade geral da nação. Só o debate diária iria criar uma conciência mínima capaz de reduzir tais acidente. Veja o exemplo da proibição das bebidas nas rodivias: tal novidade teve efeito sim na redução de 11% nas vítimas de acidente neste último feriado. Acredito que nossos jornalistas, e nossos parlamentares não estão preparados para o Brasil que se descurtina nos próximos anos. Como debater e pensar nas estruturas e responsabilidades de um pais continental como o nosso, com esta mentalidade tapioca? Como planejar a defesa e segurança nacional com estes personagens, que se preoculpam mais com a conta do jantar do que a aquisição de tecnologia e conhecimentos científicos. Desculpem o longo desabafo.

Rosan de Sousa Amaral

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008 18:19:00 BRST  
Anonymous Anônimo disse...

Alons ,embora leigo em política ,
creio que a maior preocupação da
Hillary , deve ser sua condição de
mulher ; seria a quebra de um tabu
a eleição de uma mulher para a
presidência de nação machista.
Ademais, sua arrogância e submissão
às cafajestices do marido ,podem
ser um handcap.
Também não podemos nos esquecer que
McCain foi herói de guerra,qualidade muito em conta dos
norte americanos !

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2008 18:20:00 BRST  
Anonymous Verbo Demolidor disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2008 15:55:00 BRST  

Postar um comentário

<< Home