quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008

Faca quente na manteiga (20/02)

O Idelber Avelar escreveu hoje em seu blog O biscoito fino e a massa:

Desde que os irmãos Bush nos roubaram a eleição de 2000, eu prometi nunca mais fazer previsões em política. Mas o fato é que ficou difícil, muito difícil para Clinton. Quem sabe o Alon ou o Rafael possam me ajudar a lembrar alguma eleição – no Brasil ou em qualquer outro lugar – em que tenha havido uma virada de 30 pontos em duas semanas. Porque foi exatamente isso que Obama fez em Wisconsin, no coração da base clintoniana. Há 15 dias, Clinton chegou a liderar por 13 pontos.Obama venceu ontem por 58 x 41, num estado em que a população negra não passa de 4%. Talvez não fique claro de imediato para o leitor brasileiro a dimensão desse resultado. Para efeitos de comparação, imagine Lula vencendo José Serra por 7 x 3 em Higienópolis e nos Jardins. Ou, não importa, imagine Alckmin enfiando 7 x 3 em Lula no estado de Pernambuco. Foi mais ou menos isso o que aconteceu em Wisconsin ontem, numa primária em que 58% do eleitorado era feminino e 92% branco.

Clique aqui para ler o post Décima vitória consecutiva de Obama. O Ideber pede para eu lembrar de alguma grande virada eleitoral. A mais barulhenta dos últimos tempos no Brasil foi a do tucano Mario Covas sobre o malufista Paulo Maluf no segundo turno da corrida pelo governo de São Paulo em 1998. Vejam o gráfico das intenções de voto no Datafolha:

Ou seja, Covas transformou em pouco mais de uma semana a desvantagem de sete pontos numa vantagem de onze. Que se confirmou nas urnas (55% a 45% dos votos válidos). Há porém uma diferença importante. No caso americano de agora a disputa é dentro de um partido, e não entre adversários político-partidários. Ou seja, é bem mais fácil um eleitor democrata trocar Hillary por Obama do que foi, dez anos atrás, um simpatizante de Maluf decidir votar em Covas contra Maluf. Por isso é que Obama vai entrando no eleitorado da contendora como faca quente na manteiga. Clique nos links para assistir ao discurso de Obama após a vitória em Wisconsin (parte 1 e parte 2).

Clique aqui para votar no Blog do Alon no Prêmio IBEST.

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog (Blog do Alon).

Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

11 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

O Covas ganhou por que os petistas votaram em peso contra o Maluf, naquela epoca essa briga pt psdb não era tão ferrenha como hoje em dia, eu mesmo votei em Covas e me arrependi, nunca mais fiz isso de voto util, prefiro anular.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008 18:53:00 BRT  
Anonymous Bernardo disse...

Acho que uma virada espetacular recente foi a de João Paulo sobre Roberto Magalhães na eleição recifense de 2000, quando, por exemplo, a pesquisa do IBOPE da véspera apontou Roberto com 55%, João Paulo com 29% e Carlos Wilson com 12%. Nas urnas, Roberto não venceu no 1º turno por 5 mil votos de diferença. Poucos dias depois, as primeiras pesquisas do segundo turno já apontavam João Paulo na frente. A eleição acabou se decidindo novamente por cerca de 5 mil votos, em favor de João Paulo. Algo completamente inesperado dias antes do 1º turno.

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008 19:02:00 BRT  
Anonymous Felipe disse...

Também foi essa, em Recife, a virada mais espetacular que me lembrei. Em verdade, durante todo o primeiro turno dava-se como favas contadas a vitória de Roberto Magalhães. Entretanto o percentual de eleitores que virou o voto não foi tão grande. João Paulo tirou de Magalhães os 6 - 7% necessários para ganhar.
Outra boa, foi a mudança de opnião dos eleitores de Alckmin entre os turnos da última eleição presidencial. Fato raro, um candidato perder tantos votos entre um turno e outro.
Nenhuma porém se compara à Obama, concordo: faca quente na manteiga, hehe

quarta-feira, 20 de fevereiro de 2008 19:21:00 BRT  
Blogger L-A. Pandini disse...

Alon, teve também a subida da Erundina na eleição para a prefeitura de SP nas eleições de 1988. Não chegou a ser uma virada de 30 pontos. Ela estava com uns 12% e ganhou a eleição com uns 30% dos votos, numa época em que não havia segundo turno. Mesmo assim, foi surpreendente - e, para quem votou nela, como eu, espetacular.

Pitoresco: lembro que, uns 15 dias antes da eleição, a astróloga da "Folha da Tarde" analisou os principais candidatos e previu a vitória de Erundina - isso quando Maluf e Leiva (lembra dele?) pareciam os únicos candidatos viáveis. O título da matéria ficou até engraçado: "Pasmem: os astros indicam Luíza". Abraços. (LAP)

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008 09:23:00 BRT  
Blogger Bruno disse...

E a virada do Roriz sobre o Cristovam nas eleições de Segundo turno em 1998?INfelizmente , essa virada foi questionada na justiça eleitoral, porém , a mesma justiça entendeu que tudo foi muito limpo.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008 10:48:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Mc Cain leva a Presidência de Obama ou Hillary. Ele tem aquela cara de confiável, do ponto de vista gringo! Além disto, os EUA vão encarar uma parada dura: recessão (pavor), desemprego (pânico), guerra interminável e os chineses encostando no vácuo e pedindo pra passar. Vão querer colocar alguém que fale sério.
Obama tá mais para Fernando Gabeira!!!

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008 11:54:00 BRT  
Anonymous André T. disse...

Não sei se foi tão grande em números, mas em significado foi muito importante a virada na eleição do Zapatero na Espanha, nas últimas eleições para primeiro-ministro.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008 15:58:00 BRT  
Anonymous J Augusto disse...

Teve também a virada de Jacques Wagner sobre Paulo Souto na Bahia nas últimas eleições.
Para o Senado no RJ em 2006, Dornelles teve uma virada tão grande sobre Jandira Feghalli, que me pareceu erro de metodologia na pesquisa (apesar de que houve uma grande campanha difamatória contra Jandira sobre o aborto).
Acho que viradas são mais comuns do que se imagina.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008 16:06:00 BRT  
Blogger Leonardo Bernardes disse...

J Augusto lembrou bem, a vitória de Wagner sobre Paulo Souto foi arrasadora!

As pesquisas apontavam vitória de Paulo Souto no primeiro turno, e assistimos ao caso contrário, Wagner venceu no primeiro turno. Nunca vi nada igual, se os números não fossem bastantes, a força histórica da família Magalhães na Bahia garante a essa eleição seu caráter peculiar, incrível!

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008 21:30:00 BRT  
Anonymous Hugo Albuquerque disse...

Alon, gostei bacana o post, mas o "malufista Paulo Maluf" foi de matar.

quinta-feira, 21 de fevereiro de 2008 22:38:00 BRT  
Anonymous analista gringo disse...

nao esqueçam q uma simples biribinha islamica estourando nos EUA pode gerar grandes mudancas nos votos. uns podem pensar q a politica de seguranca de bush falhou e q devem votar democrata. outros achar q precisam de um valentão, e votar mccain.
em 2000, nas eleicoes israelenses, barak estava a frente, mas os atentados do hamas viraram o jogo para sharon. "sabio" hamas, sabia q barak poderia atingir a paz, o q levaria `criacao de um estado palestino laico e a um de fato reconhecimento palestino ao estado judeu. ou seja, quem elegeu Sharon foi o Hamas.

sábado, 23 de fevereiro de 2008 00:58:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home