quarta-feira, 12 de dezembro de 2007

Ter coragem de ganhar - ATUALIZADO (12/12)

Não são incomuns na política situações em que o sujeito deixa de ganhar porque lhe faltam forças e coragem para colher a vitória. Esse é um risco que corre o PSDB. Os tucanos estão na bica de faturar a maior conquista (ou pelo menos uma das maiores) de um partido de oposição desde muito tempo: obrigar o governo a praticamente dobrar os recursos da Contribuição Provisória sobre Movimentação Financeira (CPMF) destinados à Saúde. Algumas conseqüências de uma hipotética vitória tucana (se ajudarem a aprovar a CPMF):

1) O PT não poderá dizer em 2010 que o PSDB no Palácio do Planalto reduziria os gastos com a área social.

2) O PT não poderá dizer em 2010 que o PSDB é um partido que só defende o interesse dos ricos.

3) O PT não poderá dizer em 2010 que o PSDB quer privatizar os serviços públicos. Pois quem terá lutado para dar mais dinheiro à saúde pública será o PSDB.

4) O PT não poderá jamais culpar a sabotagem da oposição pelo fato de o governo Lula não ter sido melhor. Pois o PSDB terá no currículo o socorro do governo Lula no momento orçamentariamente mais delicado da gestão petista.

5) O PT, em resumo, não poderá dizer em 2010 que eleger um tucano à presidência significaria colocar em risco as conquistas sociais do governo Lula. Ou seja, o PT teria que arquivar a principal bandeira que o levou à vitória eleitoral ano passado.

Em compensação, o PSDB vai sofrer algum desgaste na turma que prega o estado mínimo e diz que o maior problema brasileiro é a alta carga tributária. Não existe almoço grátis. Qualquer opção na vida implica alguma perda. E fixar-se obsessivamente na perda acaba levando ao erro. Como sempre diz Vanderlei Luxemburgo, o medo de perder tira a vontade de ganhar. Nesse caso da CPMF, o balanço de perdas e ganhos para o PSDB, ao menos na esfera do discurso eleitoral (que é o que interessa), parece indicar com clareza qual é o caminho a seguir.

Atualização, às 15:02 - Dêem uma olhada na tabela abaixo (UOL, pesquisa CNI) com a opinião das pessoas sobre as principais tarefas do governo para 2008:

PRINCIPAIS TAREFAS DO GOVERNO LULA PARA 2008*
43% Melhorar o salário mínimo
36% Melhorar as áreas de saúde e educação
32% Combater a criminalidade
21% Reduzir os impostos
14% Controlar a inflação
11% Ampliar os programas sociais, como o Bolsa Família
11% Ampliar os programas de habitação / moradia popular
10% Reduzir os gastos públicos
4% Ampliar as linhas de crédito para pequenos negócios
4% Promover programas de saneamento básico
3% Promover mais investimentos em transporte urbano
2% Investir na ampliação da produção de energia
0 Nenhuma dessas / Outras
4% NS / NOP
*Entrevistados escolheram 2 opções


O povo quer mais ação do governo. A preocupação com a redução de impostos e com a contenção de gastos é relativa.

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog.

Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

17 Comentários:

Anonymous mao disse...

Alon

se tucano tivesse coragem ...
se minha vó não tivesse morrido ...
se eu me chamasse Raimundo ...

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007 17:15:00 BRST  
Blogger person araujo disse...

Olá, Alon,

Esse 'lucro eleitoral' é discutível, não? Afinal, existem tantas coisas que o PT não poderia falar do PSDB, mas fala sem nenhum pingo de vergonha, não é mesmo?

Ademais, a proposta sobre as verbas da saúde nem existe oficialmente. Segundo o que li na imprensa, existirá apenas se a CPMF for prorrogada. O PT propõe que vai propor depois de alcançar o objeto da negociação. Surreal, não? Parece Monty Python!

Quanto a negociar com o PT, perguntar não ofende: "por acaso, o PT é confiável?"

para mim (modestamente) Vitória MESMO é fazer o PT ser criativo com o dinheiro possível.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007 17:22:00 BRST  
Anonymous Anônimo disse...

O feitiço vai virar contra o feiticeiro.O PSDB nunca quis acordo, não haverá conquista, vai aparecer como vilão, estupidamente inrredutível.Com essa postura vai se confundir com o DEM de uma vêz por todas, sem chance de voltar ao poder.....

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007 17:37:00 BRST  
Anonymous Renan Bastos Nunes disse...

Hoje, o PSDB dá um tiro no pé.. e racha!!

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007 18:05:00 BRST  
Anonymous Ramalho disse...

Prezado Sr. Alon,

Bela análise. Original e profundamente racional. Espero que os senadores do PSDB tomem conhecimento dela. Parece realmente ser o melhor caminho para eles - e para o Povo, mas isto é mero detalhe, rs.

Abço.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007 20:52:00 BRST  
Blogger Ricardo disse...

Alon,

O PT é uma metamorfose ambulante e bravateira. Portanto, o PT vai dar um jeito de ransformar o PSDB em vilão, Vide as privatizações (corretar e necessárias) e que o próprio Lula fez, mas negou. Ou seja, o PSDB sempre será a Geni do PT. Está na hora do PSDB entender que a classe média vê a CPMF e vê também a torra de dinheiro público em TV Lula, mensalão e Banco del Sur.
Outra bobagem: um quinto da população prega a queda dos impostos. Presumo que seja igualmente a classe mais esclarecida. Dentro da sua lógica de igualar os desiguais, somente 11% desejam mais programas sociais. Ou seja, há mais de o dobro de interesse em "economia liberal" do que em "assistencialismo barato".

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007 20:57:00 BRST  
Anonymous Procopio disse...

Diante dos comentários inteligentes da tão falada classe média brasileira nesse blog, ou será como referiu-se Claudio Lembo"ELITE BRANCA", tenho de agradecer a Deus e aos ignorantes (eleitores) que mantiveram o LULA no comando do Brasil?
?!?!?!?!?!?

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007 22:17:00 BRST  
Blogger Baruck disse...

Acredito que, se o PSDB realmente fechar questão no "não", o partido não colherá muitas frutos positivos em eleições futuras, a não ser que ele realmente queira se firmar como o partido que defende o Estado mínimo, como você mencionou. Esse discurso da negociação zero é melhor para o PFL, que tem mais a ganhar como opositor do que a perder. Para o PSDB, contudo, será um tiro no pé, acredito. Para o PFL, abarcar parte do eleitorado inflexivelmente "indignado" será um ganho. Para o PSDB, perder a parte do eleitorado que prioriza a melhoria salarial, os gastos em saúde e educação, e que coloca a redução de impostos e dos gastos em 4o. e 8o. lugares (segundo a pesquisa citada), será um tiro pé de um partido nacionalmente forte. O tempo dirá, mas acredito que essa sinuca em que querem colocar o governo não terá caçapada final. A não ser para o PFL, talvez.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2007 23:53:00 BRST  
Anonymous Luiz Alexandre disse...

Ricardo, você "leu" errado a pesquisa. O tal quinto da população, que você supõe "esclarecida" porque pensa como você, não existe na pesquisa. O que ela aponta é que a redução dos impostos e gastos não são os mais urgentes neste momento, segundo os entrevistados. A não ser que você esteja querendo dizer que esclarecido é quem defende as reduções de gastos e impostos, antes da melhora salarial e dos serviços públicos. Com luzes assim para se esclarecer, prefico viver nas trevas.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007 00:00:00 BRST  
Anonymous F. Arranhaponte disse...

Eu estava na dúvida se o PSDB deveria fazer acordo. Este post me convenceu que não deve. Galinhas não devem seguir conselhos de raposas (Alon, não negue, você é o tipo de sujeito que pensa assim).

O maior risco para o PSDB é perder. E daí? Ao fim do jogo, a gente celebra o vencedor e esquece o perdedor. Perder não é nem um pouco pior do que não ganhar.

E sempre há a chance de ganhar, e de infligir uma derrota ao Lula. Esta é a única linguagem que o Lula entende, a do nariz sangrando.

Aquela lista de coisas que você diz que o PT "não poderá mais falar" do PSDB me faz rir (amargamente).

O PT mente sem o menor pudor. A própria negação de que o sucesso econômico atual é tributário das reformas de FHC é um exemplo escandaloso. Em vez de agradecer, ou pelo menos de deixar quieto, o Lula sempre faz questão de falar da herança maldita, do "nunca antes na história desse país". Confiar na boa-fé do PT é um convite ao suicídio político.

Eu ainda acho que a CPMF passa. O PSDB deveria perder altivamente, fechando questão e dando algum motivo de orgulho para o seu eleitorado nuclear

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007 00:44:00 BRST  
Blogger Vera disse...

Pois o PT vai poder dizer, e cheio de razão, tudo o que você indicou acima.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007 06:21:00 BRST  
Blogger Cesar Cardoso disse...

E, no final, o PSDB deu exatamente o motivo que o governo precisava pra radicalizar a dicotomia ¨partido dos ricos x partido dos pobres¨. Complicou também para Aécio e Serra, que esperavam a prorrogacao do imposto para terem caixa para suas obras-de-campanha, e complicou também porque a turma do juro-alto ganhou um forte motivo para manter os juros nas alturas (e até aumentá-los).

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007 08:00:00 BRST  
Blogger Frodo Balseiro disse...

Alon
Você teria razão se o PSDB fosse um patido populista!
Não é!
Populismo é isso, votar sempre pensando em tirar vantagem eleitoral, pensando no que "o outro vai dizer.
Assim como o PeTê faz, com suas medidas eleitoreiras, sem se preocupar em dar ao país condições de crescer e se desenvolver com consistência!
Enfim a oposição votou de acordo com seu papel, sem se preocupar com o discurso governista que certamente dirá: " a oposição tirou dinheiro da saúde e dos pobres"!
É uma atitude repugnante do petismo, mas vai fazer o que?
Mais uma vez farão política de sarjeta!

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007 08:04:00 BRST  
Anonymous Anônimo disse...

Alon,

Vc não precisa uma análise tão sofisticada para expressar o que vc gostaria que acontecesse.

É válido ter opinião e posição num assunto como a CPMF, mas dai dizer o que o partido contrário à sua opinião deveria fazer é demais.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007 11:33:00 BRST  
Anonymous Anônimo disse...

Alon
FHC é um bom coveiro conseguir enterar o PSDB,poder nunca mais

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007 12:24:00 BRST  
Anonymous Anônimo disse...

Mais uma vêz o PSDB, e os DEM"onhos", conseguiram derrotar a massa mais sofrida da população brasileira, pois com o fim da CPMF vai sobrar mais dinheiro na conta corrente dos mas ricos.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007 12:34:00 BRST  
Anonymous Fabio disse...

O nosso presidente toda hora diz que o corte da CPMF vai prejudicar a saúde, vai diminuir as verbas da saúde. Agora falemos a verdade mais de 90% do valor arrecadado com a CPMF é desviado de sua função real, vão para programas assistencialista paternais, que não vão levar a lugar algum, pois estas pessoas que recebem este dinheiro vão depender dele pelo resto da vida, pois o que adianta dar dinheiro e não dar trabalho? Quanto a falar do PSDB, eles sempre vão falar afinal o que o FHC implantou e deu certo, hoje dizem que foi o LULA (por sinal o bolsa família foi o FHC que começou, o Lula só mudou de nome e aumentou o número de pessoas), o que ele implantou e o que o Lula implantou e deu errado é culpa do PSDB, ou seja, o PT sempre vai assumir as coisas boas e tentar atribuir as coisas ruins ao PSDB. O Lula enquanto oposição era contra a CPMF, era Contra as privatizações, era contra os banqueiros (e hoje os trata da melhor forma, era contra os empresários(por sinal o vice dele é um dos maiores empresários do país), era a favor dos trabalhadores e a primeira greve que teve em seu governo, disse ou vocês voltam a trabalhar, ou sofreram sérias punições, com isso eu concluo o que o Lula e o PT dizem hoje, provavelmente amanhã eles dirão o oposto, sempre vão dizer o que melhor lhe convir no momento sem o mínimo compromisso com os fatos e a verdade. Mais algumas coisas o PT tem de bom......os marqueteiros, uma população desinformada (que é de inteiro interesse deles manter assim), e o PT tem mais uma coisa, sorte, a sorte de não ter o PT como oposição, pois se tivesse talvez hoje eles não estariam mais no poder.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2007 12:52:00 BRST  

Postar um comentário

<< Home