segunda-feira, 8 de outubro de 2007

O Banco do Sul, uma boa notícia para o continente (08/10)

Da Reuters:

(...) Os ministros da Fazenda e da Economia de Brasil, Argentina, Bolívia, Equador, Paraguai, Uruguai e Venezuela se reuniram no Rio de Janeiro e chegaram a um consenso sobre a ata de fundação do Banco do Sul. A instituição será um banco exclusivamente sul-americano, que contribua para aumentar a disponibilidade de liquidez, a correção das assimetrias, o desenvolvimento da infra-estrutura de integração e um círculo virtuoso de crescimento na região. Todos os países do continente poderão integrá-lo. Essa proposta será levada agora aos presidentes de cada um dos países e, se aprovada rapidamente, poderá ser assinada no dia 3 de novembro em Caracas, a convite do presidente venezuelano, Hugo Chávez.

Leia a íntegra da nota da Reuters. A boa notícia é que o Brasil vai participar de uma agência financeira regional vocacionada para o investimento em infra-estrutura. Prestem atenção na lista dos países que se articulam para a iniciativa.

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog.

Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

6 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

Xiii!
Desse grupo, só quem tem dinheiro sobrando é a Venezuela. Montar banco com sócios devedores é fria.
Sds., de Marcelo.

terça-feira, 9 de outubro de 2007 10:50:00 BRT  
Blogger Julio Neves disse...

Como disse o Marcelo, onde está o país rico que vai socorrer quando a "bolsa" explodir?

Venezuela, Bolivia e Equador possuem presidentes vitalícios. Mas os "grandes" Brasil e Argentina, não.

Por que o Mercosul não criou o tal banco antes? E olhe que os integrantes eram "neoliberais"!

terça-feira, 9 de outubro de 2007 11:55:00 BRT  
Anonymous José Augusto disse...

Eu também sou entusiasta desse banco. Porque parte das reservas dos países sul-americanos não pode ser usada para fomentar a infra-estrutura de desenvolvimento da região, a juros semelhantes ao que financia o déficit público norte-americano, onde costuma ficar aplicada as reservas?
É burrice não usar parte desse recurso no desenvolvimento da região.
Além disso a desvalorização do dólar frente a todas as outras moedas mundiais, recomenda diversificação das reservas.

terça-feira, 9 de outubro de 2007 15:41:00 BRT  
Anonymous José Augusto disse...

Júlio Neves,
Creio que o Mercosul não criou tal banco antes, na época neoliberal, primeiro, por simples falta de dinheiro. Os países, quando não estavam quebrados, não tinham reservas suficientes, nem superávit comercial. Eram apenas tomadores de dinheiro, não tinham excedentes suficientes (poupança) para emprestar.
Além disso tem o aspecto ideológico, discutia-se a formação da ALCA, então era heresia fortalecer o Mercosul. E a criação de um Banco de Fomento Regional não estava no receituário do Consenso de Washingthon, pois estaria na contramão das pressões por privatizações. Quem deveria financiar a infra-estrutura seriam os investidores privados (ainda que com com recursos do BID e do Banco Mundial), e não os Estados Nacionais através bancos de fomento.

terça-feira, 9 de outubro de 2007 16:11:00 BRT  
Anonymous Caetano disse...

Já dá pra imaginar nosso dinheiro indo parar na mão de países inadimplentes, com Lula dizendo que é nossa obrigação auxiliar os vizinhos, e Chavez colhendo os dividendos políticos...

quarta-feira, 10 de outubro de 2007 19:50:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Este banco pode ser muito oportuno para os paises mais pobres da regiao.
Porque um financiamento, SEM PRE-CCONDIÇOES economicas ou politicas, de p ex. usd 40 milhoes serápouco para uma empresa brasileira
ou argentina mas uma fortuna na Bolivia, onde vai alavancar meia duzia de emmpresas ou um setor inteiro.
Nao faziamos isso antes por rabo preso, medo das pressoes economicas e falta de liquidez no balanco de pagamentos. O chance e esta: que nao se jogue fora, independentement de quem no momento governa os paises emvolvidos.

quinta-feira, 11 de outubro de 2007 16:39:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home