quarta-feira, 29 de agosto de 2007

Teste ideológico - ATUALIZADO (29/08)

Quem pronunciou, em março de 1960, o seguinte discurso sobre a Revolução Cubana?

O poder popular representa hoje a quebra dos privilégios econômicos e sociais das antigas classes dominantes. O que não se pode conseguir sem resistência delas. O mal do conservadorismo reacionário é estar fora do tempo e não compreender isto. Não compreender que, ou aceitaremos e promoveremos a evolução da democracia para seus novos rumos, ou a estrangularemos, estabelecendo ditaduras de direita para sustentarmos privilégios incompatíveis com a nova ordem no mundo.

(a) João Goulart (trabalhista)
(b) Leonel Brizola (trabalhista)
(c) Luiz Carlos Prestes (comunista)
(d) Juscelino Kubitschek (pessedista)
(e) Affonso Arinos de Mello Franco (liberal)

Respondam nos comentários. Daqui a pouco, a resposta correta.

Atualização, às 10:32 de 31/08: Affonso Arinos de Mello Franco era senador da UDN quando foi a Cuba na companhia de um deputado chamado Janio Quadros. Na volta, fez esse discurso da tribuna do Senado. Tirei de uma orelha de livro do Osny Duarte Pereira. Três conclusões. 1) A condecoração dada por Janio a Che Guevara não foi um raio em céu azul. 2) Já não se fazem mais liberais como antigamente. 3) Na última vez que os liberais ganharam uma eleição presidencial no Brasil, há meio século, foi porque não apareceram com a cara 100% de direita.

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog.

Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

23 Comentários:

Blogger Cláudio Ladeira disse...

Affonso Arinos de Mello Franco.

quarta-feira, 29 de agosto de 2007 16:39:00 BRT  
Anonymous Silky Bastso disse...

João Goulart

quarta-feira, 29 de agosto de 2007 16:49:00 BRT  
Anonymous João disse...

Como sei pra quem é o recado, deve ser o Affonso Arinos.

quarta-feira, 29 de agosto de 2007 16:50:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Leonel Vrizola

quarta-feira, 29 de agosto de 2007 16:58:00 BRT  
Blogger Cesar Cardoso disse...

Pro Alon fazer esse mistério todo, deve ter sido o Affonso Arinos mesmo.

quarta-feira, 29 de agosto de 2007 17:40:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Afonso Arinos de Mello Franco

quarta-feira, 29 de agosto de 2007 17:56:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Afonso Arinos de Mello Franco

quarta-feira, 29 de agosto de 2007 17:57:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Juscelino

quarta-feira, 29 de agosto de 2007 20:11:00 BRT  
Anonymous José Augusto disse...

Para o post ser relevante, só pode ser Afonso Arinos.

quarta-feira, 29 de agosto de 2007 20:36:00 BRT  
Blogger Vera disse...

Afonso Arinos.

quarta-feira, 29 de agosto de 2007 21:18:00 BRT  
Blogger Luiz Augusto disse...

Pelo "a evolução da democracia",não deve ser um comunista. Isso não pertence ao nosso linguajar.

Ou JK ou Arinos.

Abraços.

quarta-feira, 29 de agosto de 2007 22:28:00 BRT  
Blogger Naira disse...

Prestes

quarta-feira, 29 de agosto de 2007 23:02:00 BRT  
Blogger Naira disse...

Prestes

quarta-feira, 29 de agosto de 2007 23:08:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Vou8 dividir a mega-sena com o anônimo lá de cima. Quem disse isso foi Juscelino.
Ignotus

quarta-feira, 29 de agosto de 2007 23:41:00 BRT  
Blogger Julio Neves disse...

Foi o ministro das Relações Exteriores de Janio Quadros, Afonso Arinos de Melo Franco (UDN). O discurso foi feito na viagem à Cuba.

quinta-feira, 30 de agosto de 2007 06:05:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Afonso Arinos.
Sds., de Marcelo.

quinta-feira, 30 de agosto de 2007 12:25:00 BRT  
Blogger Dourivan Lima disse...

Em março de 1960, qualquer um poderia ter dito isso. Cuba ainda não se declarara oficialmente comunista, embora Eisenhower já tivesse dado início à operação Baía dos Porcos e o navio La Brousse, carregado de munições, já tivesse explodido no Porto de Havana, supostamente numa sabotagem da CIA.

Pelo "jabuti na forquilha", suspeito como muitos aqui ter sido Afonso Arinos, mas ele ainda não era chanceler de Jânio, que tomou posse em janeiro de 61.

(é impressionante como o Google e a Wikipedia permitem à gente derramar erudição nos blogues)

quinta-feira, 30 de agosto de 2007 14:36:00 BRT  
Anonymous Cláudia Gaúcha disse...

Dourivan, tu estás na do estadão? Também achas que os blogueiros são macacos que copiam? Eu procurei resposta para a pergunta do Alon no Google e na Wikipedia e não achei. E seu eu tivesse achado, qual seria o problema. Acho um absurdo atacares os comentaristas aqui dessa forma.

quinta-feira, 30 de agosto de 2007 15:01:00 BRT  
Anonymous JV disse...

Dourivan, és preconceituoso para com o conhecimento internáutico. Muito mais fácil dar uma googleada legítima do que pedir permissão para acessar arquivos de jornais antigos.
Logo, perdeste poder, não mais têm os jornalistas o monopólio de acesso a arquivos e fotos.

quinta-feira, 30 de agosto de 2007 16:08:00 BRT  
Anonymous Richard Lins disse...

JG não falava tão bem, Brizola era mais incisivo, Prestes falava bem, mas repetia muitos chavões de esquerda. JK parece ser o mais indicado, mas o texto não tem um ton político (como teria com Brizola e Goulart). Assim, só sobra a letra (e).

quinta-feira, 30 de agosto de 2007 17:19:00 BRT  
Blogger Dourivan Lima disse...

Foi mal, pessoal...

Quis só fazer uma auto-ironia, um costume bobo que tenho.

Na verdade, só quis dizer que eu achei todas as informações via Google e Wikipédia.

Sem me dirigir a mais ninguém, juro.

O Alon, que há muito tempo suporta meus comentários não-solicitados e tantas vezes inoportunos, talvez concorde (mesmo sem me conhecer pessoalmente) que entre os muitos pecados que tenho não está esse tipo de arrogância.

Mesmo assim dou a mão à palmatória: errei no tom e deixei margem a esse tipo de interpretação.

Quanto à propaganda do Estadão, se alguém tiver paciência e interesse em saber o que penso, tem um post no blog do Sérgio Leo, http://sergioleo.blogspot.com/2007/08/tiro-na-pata.html.

quinta-feira, 30 de agosto de 2007 22:01:00 BRT  
Blogger Julio Neves disse...

Dourivan Lima, o Affonso Arinos ainda não era o chanceler de Jânio, até porque Jânio venceu as eleições de 3 de outubro de 1960. Mas foi integrante na viagem à Cuba.

Uns dizem que foi nessa viagem que surgiu a idéia da renúncia.

Estou certo ou errado?

sexta-feira, 31 de agosto de 2007 04:30:00 BRT  
Anonymous Jura disse...

E ai Alon, vai responder ou não vai. Isso aqui tá parecendo o Roda Viva: tem tanta gente falando ao mesmo tempo que ninguém percebe que a pergunta ficou sem resposta.

sexta-feira, 31 de agosto de 2007 10:29:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home