segunda-feira, 6 de agosto de 2007

Sucintamente (06/08)

Há todo um debate sobre por que a popularidade de Luiz Inácio Lula da Silva não foi afetada pelo acidente com o Airbus 320 da TAM que matou no último dia 17 duas centenas de pessoas em Congonhas. Talvez a razão deva ser buscada no fato de que Lula não é, a rigor, responsável pela tragédia. É isso que apontam até o momento as apurações. Se amanhã surgir uma informação nova, que revele a providência que Lula deixou de adotar e que poderia ter evitado as mortes, isso certamente se refletirá nos índices de aprovação do presidente. Olhar os fatos antes de fazer as análises e interpretações é sempre bom. Do contrário, o sujeito fica como se estivesse pedalando uma bicicleta suspensa sobre um cavalete. Pedala, pedala e não sai do lugar. Querem sair do lugar? É fácil. Desçam para chão.

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog.

Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

16 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

A popularidade do Lula tem mais a ver com o Bolsa Família do que com o avião da TAM.

segunda-feira, 6 de agosto de 2007 11:03:00 BRT  
Blogger Cesar Cardoso disse...

Um apagão rodoviário derrubaria a popularidade do presidente. Talvez.

Mas certamente a incompetência da TAM pós-comandante Rolim é que não vai ser.

segunda-feira, 6 de agosto de 2007 12:05:00 BRT  
Anonymous JV disse...

concordo com o anônimo, os lulistas acham que acidente de avião tb é atração de circo.(aka Rita Lee)

segunda-feira, 6 de agosto de 2007 12:05:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Alon,
Sucintamente: falou e disse!!!
Carlos Morales

segunda-feira, 6 de agosto de 2007 12:09:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Alon,

É bem provável que a razão da popularidade do Lula, esteja no link abaixo:

http://aviation-safety.net/database/record.php?id=20060709-0

Trata-se de um acidente, em 09/07/2006, na Russia, com um aviao da família do Airbus.

Observe as incrÃiveis semelhanças com o acidente de Congonhas.

O aviao da Airbus na Russia, pousou a 80km/h (o Airbus da TAM pousou a 175km/h) numa pista de 3.165m, sem ranhuras (Congonhas tem 1.940m e tambem não tem ranhuras.

Ou seja, O AIRBUS NA RUSSIA POUSOU NUMA PISTA MAIOR EM VELOCIDADE MENOR, NÃO PAROU E NEM DESACELEROU.

Na Russia, como em Sao Paulo, houve problema no reverso e no manete.

Chovia e a temperatura estava baixa, na Russia e em Congonhas.

O Airbus russo atravessou toda a pista, colidiu com uma barreira de concreto e explodiu em chamas.

Dos 203 passageiros do Airbus russo, 125 sobreviveram milagrosamente, talvez pela velocidade de choque inferior ao da Airbus da TAM em Congonhas.

Quero fazer uma pergunta.

Por que, no acidente com o Airbus da Russia, o relatorio final siqueir cita que a pista estava molhada e sem ranhuras ?

Se se houvesse uma area de escape em Congonhas o Airbus da TAM teria parado ?

Vejam bem, a pista russa tinha 1.200m a mais do que Congonhas e o AIRBUS RUSSO NÃO PAROU E NEM DESACELEROU.

Alguem pode me responder isso ?

Por que a imprensa antes de falar um monte de besteiras e entrevistar pilotos que nao podem abrir a boca ou podem ser demitidos, faz uma pesquisa séria e mostra a verdade para o povo ?

segunda-feira, 6 de agosto de 2007 12:11:00 BRT  
Blogger Ricardo disse...

A análise da Folha é só em números absolutos. A verdade é que Lula está perdendo o bizarro apoio da classe média (bizarro porque Lula acabou com a classe média no médio prazo, eliminando as possibilidades de crescimento pessoal e profissional - vide a destruição dos empregos de alta qualidade). E esse efeito é importante.

segunda-feira, 6 de agosto de 2007 12:11:00 BRT  
Anonymous Leonardo Bernardes disse...

O argumento preconceituoso e sem fundamento de Cesar Cardoso, do primeiro anônimo e subscrita por JV simplesmente ignora a clara constatação de Alon de que a popularidade não se abalou em razão da ausência de vínculo entre o acidente e a suposta responsabilidade do presidente.

Insidiosamente eles argumentam que a popularidade se manteve porque grande parte da população, beneficiada pelo Bolsa Família ou usuária do transporte rodoviário, se manteve indiferente aos fatos em São Paulo, fatos esses que mesmo sem apontar para uma culpabilidade presidencial, deveriam, na visão deles, contribuir para o decréscimo nos índices de popularidade. Porque não o acidente não se refere ao "povão", dizem, a popularidade se mantém. A indiferença da população é o termo médio que lhes permite inferir sua brilhante conclusão. Nada mais razoável e científico!

Perdoem-me, acho que é preciso ter inteireza para assumir o alcance dos nossos argumentos. Meias palavras só depõem contra vocês. Especulações vazias esclarecem tão somente as intenções dissumaladas sob a pretensão da análise minuciosa.

segunda-feira, 6 de agosto de 2007 14:13:00 BRT  
Blogger Vera disse...

César, logo se vê que você não é usuário cotidiano de ônibus urbanos, intermunicipais e mesmo interurbanos. Apagão rodoviário tem todo dia, gente! Se por apagão entendem-se atrasos, cancelamentos inesperados, filas quilométricas, desastres, etc. E Ricardo, leia as pesquisas do insuspeito IPEA de Brasília sobre a inserção de milhares de brasileiros na classe média baixa, devido ao crescimento do emprego e da renda. A eliminação das possibilidades de crescimento pessoal e profissional para os integrantes da classe média instruída não se deve ao Lula, mas a uma tendência universal do desenvolvimento capitalista de empregar um número cada vez menor de pessoas altamente qualificadas e capazes de exercer funções polivalentes em postos de gestão nas empresas avançadas e de, por outro lado, reduzir também o número de trabalhadores sem qualificação em postos de trabalho precários. Ou você acha que nos States e na Europa tem emprego bom a fartar nas grandes empresas?

segunda-feira, 6 de agosto de 2007 15:10:00 BRT  
Anonymous Marcos disse...

Ricardo , poderia mostrar o link da pesquisa que corrobora o que você diz?
Estou curioso, por que até agora,
as noticias que tenho lido vão em sentido contrário ao que você afirma.
Já assiti várias vezes em telejornais que sobram vagas para pessoal qualificado.

segunda-feira, 6 de agosto de 2007 15:16:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Sou frequente participante deste espaço, mas hoje permanecerei como anônimo para dar meu testemunho. Sou advogado, ganho aproximados R$ 8.000,00 - minha mulher ganha outros tantos iguais, viajo umas 25 vezes por ano de avião, votei no Lula, e acho que ele faz um governo melhor dos que os 08 anos dos tucanos. Nunca votei em um deputado federal, governador, ou senador pelo PT, como também não pretendo votar nos tucanos. A pesquisa do DataFolha mostra que dos 8% que utilizam avião no Brasil, 29% aprovam o governo Lula. Vejo o "cancei" como um piloto para a sucessão de 2010 (conciente ou não) - o que é legítimo e democrático. Mas se for convocado irei às ruas para apoiar o presidente até o último dia do seu governo. Assim, não concordo que haja uma luta de classes no Brasil (as pesquisas também mostram que há pobres que não aprovam o governo Lula).

segunda-feira, 6 de agosto de 2007 17:23:00 BRT  
Blogger Cesar Cardoso disse...

Bom, já que fui citado...

Leonardo Bernardes: não é precoceito, é constatação: o povo não faz suas viagens interestaduais de avião, faz de ônibus, até porque o ônibus sai metade, ou menos, do preço do avião, mesmo demorando muito mais. O dia que tivermos as Ryanairs e easyJets da vida, voando trechos equivalentes a Rio-SP por, sei lá, 80 reais, aí sim a gente discute os efeitos do "apagão aéreo".
(Se bem que a ANAC, como boa defensora dos fortes, vai evitar ao máximo que novos entrantes ameacem a posição de TAM e Gol.)

Vera: sei que o transporte urbano/metropolitano da esmagadora maioria das cidades do Brasil está entre o caos e o inexistente, mas estou falando de ônibus interestaduais, até porque a população já sabe que ônibus urbano é, com exceção dos trens urbanos ainda federalizados (uns 3 ou 4), responsabilidade de Estados e municípios. Talvez tenha me expressado mal.

terça-feira, 7 de agosto de 2007 02:15:00 BRT  
Blogger Alberto099 disse...

Caro Alon, mais do que cansei, já desisti de buscar consistência no discurso da oposição. A possibilidade do diálogo exige uma concordância comum, prévia, sobre lógica e evidência, quando esse acordo é relegado em função de um objetivo político cessa a disputa democrática. Não sei a que distância estamos da situação na Venezuela, mas com certeza nossa oposição já enveredou pelo mesmo caminho da oposição naquele país.

terça-feira, 7 de agosto de 2007 05:30:00 BRT  
Blogger Lauro Mesquita disse...

O problema maior é achar que a popularidade de Lula só se jusutifica pelo Bolsa Família. Nem são tantos os beneficiados e muito mais que isso quando se pega o extrato maior de renda (quem ganha mais de 10 salários mínimos), há um equilíbrio entre 32% de bom/ótimo, 32% de ruim/péssimo e 36% de regular. Rigorosamente empatado.

Mas no segmento de 5 a 10 SMs (não beneficiários da Bolsa Família), o índice de bom/ótimo é 20 pontos maior do que de ruim/péssimo (39 a 19). Isso é classe média.

terça-feira, 7 de agosto de 2007 15:02:00 BRT  
Blogger Lauro Mesquita disse...

Na faixa dos que tem curso médio (dificilmente beneficiários do Bolsa Família), a aprovação a Lula supera em 30 pontos a desaprovação (44 a 14).Na dos que têm curso universitário, o índice bom/ótimo fica 9 pontos acima do ruim/péssimo (33 a 24). Como é que ficamos?

É hora de colocar as velhas explicações de molho. Guardar a raiva e tentar pensar um pouco sobre o País. O Luís Nassif escreveu uma coisamuito interessante sobre polarização em seu blog ontem: "Se quisesse, a mídia poderia produzir diariamente críticas fundamentadas contra o governo Lula. Com a banalização das denúncias, com o enfraquecimento da reportagem, em favor do "aquário", perdeu-se esse referencial."

O caso da TAM é só mais um exemplo de falsa denúncia.

terça-feira, 7 de agosto de 2007 15:07:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Já foi dito aqui que não será grooving que ameaçará a popularidade do Presidente. Nem será de por causa de grooving, que alguns acham que pode estar em gestação um golpe, que este ocorrerá. Talvez quando a insistência em alardear que ser contrário ao Presidente e sua política é golpe, ai sim pode ser que a popularidade dele comesse a sofrer algum arranhão. Pelo cansaço das pessoas. Este um cansaço bom.
Sotho

terça-feira, 7 de agosto de 2007 16:01:00 BRT  
Anonymous pedra disse...

Não entendo o desespero de livrar a cara do Lula.

Responsáveis por organizar , manter e regular o tráfego aéreo no Brasil:
- ANAC
- Ministério da Defesa
- Infraero
- Outros que desconheço por ignorância
Qual dessas empresas/autarquias/ órgãos não estão sob a responsabilidade do presidente?

Se Congonhas não tinha pista, se a TAM operava de forma errada, se a Infraero errou. Pegue todas as alternativas possíveis da causa do acidente, mescla-as, junte-as duas a duas , três a três, considere das mais diversas maneiras e verá que algum órgão do governo falhou.

O governo, como INSTITUIÇÃO REPUBLICANA que é , tem toda a legitimidade do povo, mas tem toda a obrigação de zelar pela segurança, infra-estrutura, etc.

Este pessoal do PT é engraçado só quer o Bônus de estar no poder, o ônus não. Quando não conseguem realizar algo põe a culpa no FHC. Sinceramente, vamos trabalhar gente.

quarta-feira, 8 de agosto de 2007 11:02:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home