quinta-feira, 9 de agosto de 2007

A nossa Polícia Federal, segundo os cubanos Lara e Rigondeaux (09/08)

Vale a pena ler as entrevistas que os boxeadores cubanos Guillermo Rigondeaux e Erislandy Lara deram à jornalista Julia Osendi, do Granma, imprensa oficial cubana. Atenção: você não precisa acreditar no que diz qualquer veículo de comunicação, mas é inteligente utilizar todas as fontes de informação possíveis. É revelador o que dizem os cubanos sobre como a Polícia Federal brasileira comportou-se em relação a eles. Vai em espanhol mesmo:

Julia Osendi.- Erislandy, dime, después, cuándo ustedes llaman a la Policía Federal, ¿qué pasa con la policía? Cuando ellos vienen, ¿qué fue lo que te dijeron? ¿Cómo ustedes mantuvieron la decisión de virar?

Erislandy Lara.- Cuando nosotros llamamos a la Policía Federal, que nos van a recoger, ellos nos hacían hincapié en que si nosotros queríamos regresar a Cuba, que si estábamos seguros de regresar a Cuba, y nosotros les decíamos que sí, que queríamos regresar a Cuba. La Policía Federal nos decía que nos quedáramos en Brasil, que en Brasil íbamos a tener mucho más dinero que en Cuba, que íbamos a ser una personalidad en Brasil y que nos iban a hacer los pasaportes para que ya fuéramos oficialmente brasileños.

Julia Osendi.- ¿Y qué respondieron ustedes?

Erislandy Lara.
- Que no, que queríamos virar para Cuba, así cueste lo que cueste, que íbamos a virar para Cuba.

(...)

Julia Osendi.- Rigondeaux, cuando los alemanes se disgustan, que ellos ven que no hay posibilidades de comprarlos a ustedes, que se quedan allá solos en la playa, ¿qué fue lo que pasó, cómo ustedes logran acceder al pescador, cómo el pescador llama a la policía, qué les decía la policía?

Guillermo Rigondeaux.- Bueno, ellos se fueron como dos días antes y nos dejaron con los brasileños. Ellos fueron a almorzar y nosotros salimos y les preguntamos a los pescadores si sabían algún número de la Policía Federal, ellos llamaron al 190, y en 20 minutos ya los policías estaban ahí, y se quedaron los dos brasileños con nosotros. Ya, todo el mundo fue para la Policía Federal y ya allí todos los delegados, todo el mundo nos decía: "Miren, quédense aquí, no vayan para Cuba, que allá en Cuba los está esperando una gran sanción." Y nosotros: "No, nosotros queremos voltar para Cuba". "Oye, ¿seguro, ustedes están seguros de eso?" "No, nosotros sí estamos seguros". Y ya, todo el mundo nos hacía la misma pregunta.


Julia Osendi.- ¿Voltar, regresar?
Guillermo Rigondeaux.- Sí, regresar.

Bem, vamos analisar esses trechos das entrevistas dos boxeadores ao jornal oficial Granma. Eles dizem que a Polícia Federal brasileira tentou convencê-los com todos os argumentos a permanecerem no Brasil, como refugiados. É a mesma versão apresentada pelo delegado da PF que cuidou do caso, Felício Laterça. Mas vamos supor que ambos, cubanos e delegado, estejam contando a história ao contrário, que na verdade a PF tratou mesmo foi de forçá-los a voltar ao seu país contra a vontade deles. Bem, então a versão de que o asilo lhes foi oferecido precisaria ter sido combinada entre Rigondeaux, Lara e o delegado Laterça. Ou seja, precisaria ter havido um trato entre os deportados e os seus algozes para livrar a cara da PF brasileira. Algo mais ou menos assim: vocês querem ficar no Brasil, como seu colega do handebol, mas nós vamos mandar vocês de volta para Cuba e, em troca, vocês vão dizer em Cuba que nós insistimos para que vocês ficassem no Brasil como exilados. Parece inverossímil. Afinal, não há elementos que embasem qualquer suspeita de que o delegado Felício Laterça tenha forçado os cubanos a fazerem algo contra a vontade deles. E o delegado está contando a mesma história desde o primeiro dia. E ela bate com o que os boxeadores estão dizendo em Cuba. Sempre haverá, porém, quem julgue estarmos diante de uma grande armação. Na qual o governo brasileiro, o governo cubano, um delegado da PF de Niterói e dois lutadores de boxe de Cuba acertaram-se para difundir uma versão fantasiosa. Ainda que uns sejam os algozes e os outros, as suas vítimas. A pessoa pode até acreditar nisso. Mas, para ser levada a sério, é imprescindível que traga elementos, fatos, depoimentos. Qualquer coisa que vá além do "eu acho".

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog.

Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

28 Comentários:

Blogger Cesar Cardoso disse...

Atenção: você não precisa acreditar no que diz qualquer veículo de comunicação, mas é inteligente utilizar todas as fontes de informação possíveis.

Isso deveria estar estampado nas primeiras páginas dos jornais, na abertura dos telejornais, nas capas das revistas semanais etc etc etc

quinta-feira, 9 de agosto de 2007 13:49:00 BRT  
Anonymous Paulo disse...

Alon,

você considera as entrevistas publicadas no Granma como "fatos"?

quinta-feira, 9 de agosto de 2007 15:05:00 BRT  
Blogger Alon Feuerwerker disse...

Caro Paulo, considero o Granma um veículo de comunicação tão confiável quanto qualquer outro. Se é que me faço entender.

quinta-feira, 9 de agosto de 2007 15:12:00 BRT  
Blogger Vera disse...

OAB esclarece

Diante das notícias desencontradas sobre os dois boxeadores cubanos que abandonaram sua delegação durante os Jogos PanAmericanos, esclareço:

a) na qualidade de presidente da OAB/RJ, estive na Polícia Federal em Niterói, sexta-feira à noite, para conhecer a situação dos dois atletas e oferecer-lhes assistência jurídica, caso a desejassem; b) quando cheguei à PF, os boxeadores não estavam mais lá, mas num hotel, em liberdade vigiada; c) na PF pude conversar não só com o delegado federal responsável pelo caso, como também com o procurador da República Leonardo Luiz de Figueiredo Costa, representante do Ministério Público Federal, órgão independente do governo. O procurador me informou que entrevistara os atletas a sós, sem a presença de agentes policiais, e ofereceu-lhes a possibilidade de ingressar com um habeas corpus para que permanecessem no Brasil, mas ambos lhe informaram que, por livre e espontânea vontade, tinham decidido regressar a Cuba.


WADIH DAMOUS, presidente da seção Rio de Janeiro da Ordem dos Advogados do Brasil (por e-mail, 8/8), Rio

Carta dos Leitores, Folha de São Paulo de hoje (extraído do Blog do Mello)

quinta-feira, 9 de agosto de 2007 15:14:00 BRT  
Anonymous Paulo Sérgio disse...

Sinto muito, mas seu raciocínio não fecha... provavelmente os cubanos falaram que a PF insistiu para que eles ficassem para minimizarem os flagelos a que serão submetidos:

"Não, eles queriam que ficássemos, mas nós, fiéis que somos ao regime, não aceitamos de modo algum... resistimos à tentação. Somos, pois, heróis"...

quinta-feira, 9 de agosto de 2007 15:16:00 BRT  
Anonymous Paulo disse...

sim, com a diferença que "qualquer outro" pode publicar coisas que desagradem o comandante, se é que compreendi.... (ou que não necessariamente passe pelo seu crivo)

quinta-feira, 9 de agosto de 2007 15:28:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Paulo Sérgio, deixa eu ver se entendi. Você diz que os cubanos confirmaram a história do delegado para serem recebidos em Cuba como heróis. Mas na verdade eles queriam ficar no Brasil, só não ficaram porque foram impedidos pela malvada PF. Então eu tenho uma pergunta para você. Por que Cuba inventaria uma história que deixa mal a PF (tentou convencer os cubanos a ficarem no Brasil dizendo que eles iam ficar ricos se pedissem asilo e que seriam castigados se voltassem a Cuba), se a PF fez o que o governo cubano queria? Você acha mesmo que o Granma publicaria uma entrevista dos dois boxeadores afirmando que a PF usou de argumentos inadequados para tentar reter a ambos no Brasil se a PF tivesse simplesmente prestado um serviço ao governo de Cuba?

quinta-feira, 9 de agosto de 2007 15:31:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Todo esse fato está rendendo do jeito que tá por defici�ncia da comunicaçãoo do Governo. Bastava um representante da OAB ou similar ser chamado como testemunha para o caso ser resolvido sem achismo. Mas não, tudo foi feito com aspecto nebusoso, sinistro. Para mim, no mínimo a incompetência de comunicão reinou.

quinta-feira, 9 de agosto de 2007 15:40:00 BRT  
Anonymous Comandante Marinho disse...

Ha ha ha ha ha! Esse comentário do Paulo é hilário!!! Ele acha que a imprensa estatal cubana é a única no mundo que tem comandante! A imprensa privada do resto do mundo não, né? No Brasil, então, isso não acontece mesmo, né? Ha ha ha ha ha!

quinta-feira, 9 de agosto de 2007 16:20:00 BRT  
Anonymous Sotomayor disse...

Tem tanta gente fazendo acusações horríveis a esse conluio "Lula-PF-Fidel". Só que eu gostaria de ler alguns depoimentos mais detalhados, histórias mais bem contadas sobre essas acusações todas. Assim sobre as acusações contra a "sanguinária" e "vampiresca" ditadura cubana, que tortura famílias de atletas desertores. Esses acusadores já devem ter passado alguns anos estudando o sistema cubano. Ou então são agentes disfarçados que moraram em Cuba, colheram informações e conseguiram fugir da ilha a nado para Miami, onde, respirando o revigorante ar da liberdade estadunidense, conseguiram se reerguer e voltar ao Brasil para denunciar todos os horrores que presenciaram em Cuba.

quinta-feira, 9 de agosto de 2007 16:24:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Delculpe-me Alon mas sua insistência neste assunto mais que nos querer convencer da sua posição, parece que serve mais como convencimento a você mesmo de que os cubanos realmente queriam voltar por livre e espontânea vontade e tudo não passou de uma farra seguida de arrependimento. Sugiro ler matéria sobre o assunto no Globo de hoje(09/08) para aumentar um pouco sua confusão... onde estará a verdade?? Dado o lado escuro do fluxo de informações em Cuba nunca saberemos....

quinta-feira, 9 de agosto de 2007 16:46:00 BRT  
Blogger Vera disse...

Nota da OAB RJ à imprensa
Diante das notícias desencontradas sobre os dois boxeadores cubanos que abandonaram sua delegação durante os Jogos PanAmericanos, esclareço:

a) na qualidade de presidente da OAB/RJ, estive na Polícia Federal em Niterói, sexta-feira à noite, para conhecer a situação dos dois atletas e oferecer-lhes assistência jurídica, caso a desejassem; b) quando cheguei à PF, os boxeadores não estavam mais lá, mas num hotel, em liberdade vigiada; c) na PF pude conversar não só com o delegado federal responsável pelo caso, como também com o procurador da República Leonardo Luiz de Figueiredo Costa, representante do Ministério Público Federal, órgão independente do governo. O procurador me informou que entrevistara os atletas a sós, sem a presença de agentes policiais, e ofereceu-lhes a possibilidade de ingressar com um habeas corpus para que permanecessem no Brasil, mas ambos lhe informaram que, por livre e espontânea vontade, tinham decidido regressar a Cuba.


WADIH DAMOUS, presidente da seção Rio de Janeiro da Ordem dos Advogados do Brasil

Publicado na Folha SP de hoje (cartas dos leitores)

quinta-feira, 9 de agosto de 2007 16:58:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Eles queriam ir embora, se é que não ficou claro. Cubano ficar no Brasil é piada. Deveríamos é sentir vergonha da campanha pifia que desempenhamos sem Olimpíadas e Pan-Americanos. Se vão sofrer sanções. Não é problema do Lula. Ou seria????

quinta-feira, 9 de agosto de 2007 17:32:00 BRT  
Anonymous Marcos disse...

A esta altura já deves ter visto a Capa do jornal Extra e a declaração da OAB do RIO.
Francamente, nunca vi tanta presepada da midia em tão pouco tempo.
Se tivessem um pouquinho, só um pouquinho de paciência e praticassem
um décimo das regras básicas de jornalismo teriam evitado esse novo vexame. Aliás, mais um para a coleção.

quinta-feira, 9 de agosto de 2007 18:05:00 BRT  
Blogger fabiano_def4 disse...

Com a palavra a Polícia Federal.

quinta-feira, 9 de agosto de 2007 19:28:00 BRT  
Anonymous Vladimir disse...

No fundo, no fundo nossa mídia conseguew estas proezas:As notícias não tem mais valor algum.Virou torcida.Quem torce para A lê o jornal A. Quem torce para B,lê o jornal B.

quinta-feira, 9 de agosto de 2007 21:54:00 BRT  
Anonymous Paulo disse...

É comandante marinho, o único problema é que os interesses dos comandantes da imprensa não necessariamente coincidem com o comandante do poder (como é o caso do granma).

Dá pra entender ou tem que explicar mais?

Até entendo que, como todo bom esquerdista, você tente legitimar a existência (e a acurácia) de um veículo como o granma com o jogo de poder existente em qualquer jornal... mas essa "lógica" é falaciosa (a não ser que você consiga demonstrar que alguma matéria do granma não passe pelo "comitê de aprovação de noticias"....).

Mas você não está sozinho. O próprio Alon acha "o Granma um veículo de comunicação tão confiável quanto qualquer outro". E ele é jornalista....

quinta-feira, 9 de agosto de 2007 22:01:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Parafraseando o neozelite:
"Só sei que nada sei".

quinta-feira, 9 de agosto de 2007 22:52:00 BRT  
Anonymous Antonio Lyra Filho disse...

Chegou a uma conclusão que a oposição com o apoio da grande imprensa está agindo no sentido de desviar a atenção do governo para a governabilidade, usando de todos os artificios. Esta caso é um deles. Vejam que há dias é assunto na imprensa e até o Ministro da Justiça foi convocado no sentido de dá explicação com referência aos pugilistas.
Estas atitudes desvia a atenção do governo do seu trabalho para cuidar de coisa pequena.
Agora mesmo voltou para o noticiário, a Gamecop do filho de Lula. O esquema é vamos atrapalhar para eles não governarem.
Cito que disse FHC na reunião do PSDB "A economia vai bem, mas o governo vai mal"

sexta-feira, 10 de agosto de 2007 11:09:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Alon, ainda que a tese da imprensa cubana seja verdadeira não é questionável a velocidade da deportação?

sexta-feira, 10 de agosto de 2007 13:25:00 BRT  
Anonymous Fernando José disse...

Para prestar um servicinho a Fidel, o governo brasileiro acabou com a vida desses dois jovens desportistas./ Fidel Castro já os proibiu de participar de competições internacionais. Alon, você é o melhor pensador de esquerda que eu conheço - ou melhor, o único que consigo levar a sério - devido a seu espírito democrático, acima de qualquer ideologia. Responda: não tá na hora do Fidel Castro dar uma descansada não, hein?

sexta-feira, 10 de agosto de 2007 20:20:00 BRT  
Blogger Julio Neves disse...

Medalha de ouro para o Brasil. Batemos um novo record. O julgamento mais rápido da nossa história...

O tema central do episódio é a LIBERDADE. Aproveitando isso, Alon você é favorável a uma "classificação indicativa" também para os blogs? Este post, por exemplo, seria "L" de "Leste"?

sexta-feira, 10 de agosto de 2007 21:07:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

O Jornal Nacional acaba de dar uma matéria na linha do que o Alon tem escrito. Citaram até a entrevista dos cubanos ao Granma. Olhem em

http://video.globo.com/
Videos/Player/Noticias/
0,,GIM713054-7823-N-
BOXEADORES+CUBANOS+RECUSARAM+
ASSISTENCIA+JURIDICA+NO+
BRASIL,00.html

sexta-feira, 10 de agosto de 2007 21:15:00 BRT  
Anonymous Priscila Mota disse...

É incrível, eu vi o JN. Parecia uma compilação dos posts do Alon.

sexta-feira, 10 de agosto de 2007 21:18:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Alon: estou curioso para ver até quando vai durar seu bom mocismo com relação a essas pessoas que se recusam absolutamente, terminantemente, a aceitar a realidade. No caso dos boxeadores aparentemente TODOS os indícios apontam para uma ação normal e legal do governo brasileiro, e no entanto, surrealistamente, essas pessoas simplesmente ignoram a realidade, se escorando em ilações, suposições, hipóteses, etc sem nenhum embasamento factual. Ainda mais agora então essa situação dos boxeadores é um prato cheio para essas pessoas, que têm, inxplicavelmente, um fetiche especial por Cuba e Fidel...

sexta-feira, 10 de agosto de 2007 22:53:00 BRT  
Anonymous paulo disse...

ué, mas eu pensei que o JN fazia parte da "m&ieacute;dia golpista"....

ou seja, quando desagrada os esquerdistas é golpista e dazelite, quando agrada é fonte confiável, certo?

Adoro o rigor lógico do pessoal da esquerda.

sábado, 11 de agosto de 2007 00:59:00 BRT  
Blogger pai piqeno groucho carão disse...

O assunto é antigo, mas como só vim ver a postagem e os comentários agora, é agora q venho me pronunciar. Vi alguns aqui falando sobre a velocidade do processo (quando todo argumento acaba, a gente tem q partir pra críticas à margem do foco principal, né?...). A gente devia comemorar! Finalmente, a Justiça agiu rapidamente! A gente sempre reclama q nossa Justiça é lerda, mas quando finalmente faz algo rápido, criticamos, só pq foi contrária a nossos anseios. O amigo disse: "pessoas, que têm, inxplicavelmente, um fetiche especial por Cuba e Fidel...". Não acho tão inexplicável. Sendo um país q fere a interesses d gente grande e q espalha noções d solidariedade e sacrifício da individualidade (coisa às vezes inpensável em nossas nações capitalistas), é natural q seja combatido d todas as formas - especialmente ilícitas! Paulo, não vi ninguém dizendo q o JN é confiável. Só mostraram q ele teve d se retratar, assim q os fatos se puseram como inegáveis! Pagaram um mico! Gracias. Axé.

quarta-feira, 28 de janeiro de 2009 22:59:00 BRST  
Anonymous Anônimo disse...

Independentemente do que falarom os cubanos o deixaram de falar, naquele pais ta dificil viver, não é a toa que meus coterraneos se jogam no mar arriscando sus vidas, so a palavra do comandante é a lei, o resto saõ palavras ao vento e coitado de quem se atreva a falar contra, graças a deus vivo no Brasil faz mais de 20 anos. E quem defenda a esse governo, esta prestando um mal serviço para meu povo.

quinta-feira, 9 de abril de 2009 21:48:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home