sexta-feira, 10 de agosto de 2007

Começa mal a dupla Jobim-Gaudenzi (10/07)

Depois de o novo ministro da Defesa, Nelson Jobim, ter voltado atrás e admitido que os jatinhos dos endinheirados usem o aeroporto de Congonhas, o presidente entrante da Infraero, Sérgio Gaudenzi, adere à proposta de reduzir o tamanho da pista, para construir áreas de escape. Ou seja, Gaudenzi defende que Congonhas continue a funcionar, mas como um aeroportozinho assim meia-boca, para vôos regionais e aviõezinhos da turma que tem dinheiro e influência suficiente para não precisar se deslocar até Cumbica. É uma pena. Aquele investimento todo, aquela beleza toda, aquele monte de dinheiro enfiado em Congonhas para acabar assim, atendendo aos desejos de meia dúzia. Ainda que, como sabemos, essa meia dúzia não seja uma meia dúzia qualquer. Ou seja, para a dupla Jobim-Gaudenzi o que atrapalha Congonhas é o excesso de povo. Leia também Falta de realismo.

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog.

Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

7 Comentários:

Anonymous Francislleyne Vandercléia da Silva disse...

Eu acho superbacana deixar aquele megashopping de Congonhas às moscas. Será um monumento à corrupção e ao desgoverno. Para que o monumento se torne perfeito, bastará apenas colocar na sua entrada uma estátua do Lula no meio de uma fonte, na posição do manneken pis. As águas da fonte, naturalmente, caindo sobre as cabeças da elite branca e da imprensa golpista.

sexta-feira, 10 de agosto de 2007 18:23:00 BRT  
Anonymous Vladimir disse...

Esta dupla tem tudo a ver.Operar jatinhos em Congonhas,aumentar o espaço entre as poltronas(e consequentemente o preço das tarifas),afastar o povo de lá.Afinal o terminal rodoviário do Tietê foi feito para eles.aeroporto é lugar de gente importante.Onde já se viu o sujeito sair de São Paulo para Recife e ficar quase 4 horas espremido entre as poltronas?Só para que outros tantos não fiquem espremidos QUATRO DIAS dentro de um ônibus?Tem que se restabelcer já o direito dos ricos.O aeroporto foi feito para eles.

sexta-feira, 10 de agosto de 2007 18:29:00 BRT  
Blogger Rafael Kafka disse...

A falta de uma área de escape implica em um problema de segurança grave ao ponto de 200 pessoas morrerem portanto não é admissível que a área de escape continue inexistindo.

Acidentes idênticos aos da TAM ocorreram sem vítimas graças a existência de áreas de escape.

Se 200 morrerem não é motivo suficiente o que seria?

Entupir aviões só aumentaria o caos, a segurança vem em primeiro lugar em detrimento do populismo.

sexta-feira, 10 de agosto de 2007 20:19:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

A idéia de se criar um parque ou outro equipamento público é sedutora. Entretanto, dentro de nossa realidade, creio que deveria se pensar em venda da área supervalorizada. Aceita-se um aeroporto pronto em troca.
Fenelon Machado

sábado, 11 de agosto de 2007 00:55:00 BRT  
Blogger Alberto099 disse...

Caro Alon, não vejo problema nessa solução. Depois de tudo o que já se disse, o problema sério de Congonhas é o tamanho da pista, o Estado existe para isso mesmo: impor os limites que o interesse privado pode ser tentado a ultrapassar. Manter uma opção de pouso no centro de São Paulo pode mesmo ser interessante, pode eventualmente ser uma solução para um deslocamento de emergência. O que eu me pergunto é como a Infraero vai cobrar pousos e decolagem em Congonhas, fosse uma empresa privada, cobraria preços de monopólio, e o dinheiro poderia ser usado na modernização de outros aeroportos. Quer desfilar chegando em Congonhas, pague o preço. Desculpe a indelicadeza, mas essa lógica de seu eu não posso então ninguém pode, não leva a nada.

sábado, 11 de agosto de 2007 04:45:00 BRT  
Blogger Cesar Cardoso disse...

Os A320 não vão pousar mais em Congonhas, mas em compensação os BAe e Embraer ERJ, aviões menores, vão poder pousar sem problemas. Em vez de chegar 180 passageiros por avião, vai chegar 110, 120.

Só pra lembrar: a BRA, que costuma ser a opção mais barata de viajar, comprou 20 Embraer 195, com opção de mais 20. E a OceanAir tem um monte de Fokker 100, ops, MK-28, na frota. Azar de Gol e TAM, que só tem avião grande.

sábado, 11 de agosto de 2007 13:15:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

E sorte da Embraer, que tem sua família de E-Jets atendendo plenamente os novos requisitos do aeroporto. Sinto cheiro de renovações de frota por aí...

sábado, 15 de setembro de 2007 23:48:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home