domingo, 29 de julho de 2007

Volta, grooving, volta (29/07)

A revista Veja desta semana traz reportagem na qual afirma que um erro do comandante causou o desastre com o vôo 3054 da TAM. Na edição da semana passada a revista já havia entrado num caminho promissor da investigação, ao informar que o avião "decolou" a cerca de 180 km/h da pista de Congonhas para se chocar com o prédio da companhia na avenida Washington Luís. Essa velocidade final é incompatível com a frenagem, mesmo em pista escorregadia, por um quilômetro e meio, depois de o avião tocar o asfalto a 250 km/h. A Veja afirma também que o avião não aquaplanou (leia a reportagem completa clicando aqui). Se a revista estiver certa, a falta de grooving (ranhuras para o escoamento da água) ficará afastada como causa, mesmo secundária, do acidente. Será uma pena. O "grooving-vilão" seria uma boa solução para muita gente. As duas centenas de mortes ficariam, didaticamente, associadas à incompetência de quem liberou a pista principal de Congonhas sem o grooving. "Morreram porque a pista foi entregue sem condições", diria a oposição. Uma comunicação bem fácil de entender. O grooving seria um achado também para o governo. Demitir-se-iam os responsáveis pela liberação da pista sem as ranhuras e ponto final. Ausente a explicação do grooving, e para desgosto de ambos, governo e oposição, entram na pauta as verdadeiras razões para a confusão nos aeroportos: a voracidade das empresas aéreas, a passividade de quem deveria fiscalizá-las e o sindicalismo sem limites dos controladores de vôo. Os dois primeiros são temas complicados. Empresas aéreas são bons anunciantes e bons financiadores de campanhas eleitorais. Ou seja, é melhor rezar pela ressurreição milagrosa do grooving como a causa do desastre com o Airbus da TAM, antes que alguém se interesse em esquadrinhar as relações político-comerciais da turma. Simultaneamente, trata-se de torcer para que os companheiros controladores, como diria o presidente, aprontem logo mais uma das suas. Para que, assim, ressurjam das catacumbas os defensores da desmilitarização, o outro nome da privatização definitiva do sistema. Por enquanto, eles se limitam a colocar a cabeça de fora, com a proposta de abrir o capital da Infraero.

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog.

Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

9 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

Desgosto pro governo?

Teriamos um golpe de estado se fosse a liberação da pista.

segunda-feira, 30 de julho de 2007 10:16:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Uma questão interessante: não há nada que funcione nesse governo que seja tocado por petistas. Os profs são tucanos ou pefelistas ou "independentes". Engraçado, não?

segunda-feira, 30 de julho de 2007 11:41:00 BRT  
Anonymous Jura disse...

A resposta está eeeeeee...xata!

Mais uma vez venho a este blog em busca das respostas certas em matéria de aviação.

As empresas aéreas, no entanto, não inventaram o capitalismo no Brasil. Por que só agora o tripé - empresas, governo e sindicatos - desmoronou? Meu palpite é que a Varig - uma espécie de paraestatal que dominava o mercado sozinha - mantinha o sistema em equilíbrio. O seu desaparecimento abriu a porteira para o capitalismo moderno, digamos.
Será que é um bom palpite?

segunda-feira, 30 de julho de 2007 11:57:00 BRT  
Anonymous Rodrigo disse...

E pior que tem gente da oposição chamando a caixa preta de petista. É rir pra não chorar. Mas também é triste ver um governo que se elegeu se dizendo contra as privatizações privatizar a Infraero.

segunda-feira, 30 de julho de 2007 13:15:00 BRT  
Blogger Ricardo disse...

Quer dizer que a Infraero, a ANAC do Dirceu e a lambança do governo lula não tem nada a ver com as derrapagens dos aviões nos dias anteriores, nem com o aumento do tráfego em Congonhas, nem com a aparelhagem de todas essas instâncias?
Quer dizer que o Lula pode se dizer isento de todos esses problemas?

segunda-feira, 30 de julho de 2007 17:33:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

É incrível como o lulo-petismo não aceita a divergência. Todos estão fulos com esse movimento Cansei. Não aceitam quem pense diferente. Estão indóceis. Só falam nisso.
É tão ridículo que a CUT lançou um contra-movimento protestando contra os juros altos e o superávit primário. É de chorar de rir.

segunda-feira, 30 de julho de 2007 20:34:00 BRT  
Anonymous trovinho disse...

Ricardo, o governo DOBROU os investimentos na infra e o Zuanazzi enfrentou o lobby por aumento no número de vôos de Congonhas. Falou isso na CPI e ninguém retrucou.

terça-feira, 31 de julho de 2007 05:00:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Ué, elogios para a Veja? Coisa rara por aqui...
Sds., de Marcelo.

quarta-feira, 1 de agosto de 2007 14:30:00 BRT  
Anonymous OutroAnônimo disse...

É o contrário, Anônimo. O que nunca há aqui é críticas à Veja. Procure e você não achará.

quarta-feira, 1 de agosto de 2007 15:05:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home