segunda-feira, 16 de julho de 2007

A boa educação, segundo o presidente. E a lição que vem de casa (16/07)

Ainda as vaias ao presidente Luiz Inácio Lula da Silva no Maracanã. Lula faz um bom governo, com belos resultados na economia e na área social, é bem avaliado e mesmo assim foi vaiado por uma parte do Maracanã na abertura dos Jogos Pan-Americanos. Pessoas que estiveram lá, e em quem confio, dizem-me que a vaia veio de cerca de um terço do estádio. O problema de Lula é que os outros dois terços não puxaram palmas para responder, como é habitual em situações de Fla-Flu. Uma boa análise sobre o caso foi feita hoje por Gustavo Krieger no Correio Braziliense. Clique aqui para ler. Eu continuo achando que se Lula tivesse aberto os Jogos (em vez de correr da vaia) e encarado as coisas com bom humor o episódio já teria caído no folclore. Mas Lula, por incrível que pareça, dá todos os sinais de que se magoou. Talvez ele não tenha se magoado de verdade, talvez esteja se vitimizando. Mas o fato é que o presidente aparenta mágoa. Hoje ele falou sobre o assunto no seu programa semanal de rádio, Café com o presidente:

O que aconteceu no Maracanã com a vaia ao presidente da República? Eu sei que muita gente fica incomodada. Para mim, Luiz, na minha vida política, a vaia e o aplauso são dois momentos de reação do ser humano. A única coisa que eu, particularmente, fico triste é que eu fui preparado para uma festa. É como se eu fosse convidado para o aniversário de um amigo meu, chegasse lá e encontrasse um grupo de pessoas que não queria a minha presença lá. Eu tenho certeza de que não é esse o pensamento do Rio de Janeiro.

Clique aqui para ler a íntegra da entrevista de Lula
. Em tese o presidente tem razão. Você ir à casa de alguém e ser hostilizado pelos amigos do anfitrião é mesmo falta de educação de quem convidou. Há, entretanto, uma coisa pior. É você ser convidado para a casa de alguém, você levar os seus amigos junto e os seus amigos começarem a maltratar o anfitrião. Foi o que aconteceu em Minas Gerais menos de um mês atrás. A reportagem é da Folha Online:

Ao lado de Lula, Aécio é vaiado em evento do governo federal em Minas

PAULO PEIXOTO (Agência Folha, Belo Horizonte, 27.06.07) - Em evento do governo federal para assinatura dos convênios para obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) hoje em Belo Horizonte, o governador Aécio Neves (PSDB) foi vaiado por parte da militância petista ligada aos movimentos sociais presentes ao Palácio das Artes, que estava com todos os 1.700 lugares ocupados. (...) Nem a presença do presidente Luiz Inácio Lula da Silva inibiu as repetidas manifestações dos petistas, sempre que o nome de Aécio era citado e quando foi chamado para discursar. (...) Ao discursar, Aécio disse que vivia naquele instante um "entendimento republicano", apesar de ser de oposição. "É natural que haja críticas, contestações e cobranças. Mas são todos homens de bem, independentemente de coloração partidária", disse. Indiretamente, respondeu aos que o vaiaram ao dizer que "a boa educação é uma marca consolidada dos mineiros".

Clique aqui para ler a íntegra da reportagem do Paulo Peixoto. Eu não me lembro de Lula ter criticado os petistas que aproveitaram a visita do presidente ao governador de Minas e foram lá vaiar o tucano. Nem faria sentido o presidente criticar os seus correligionários. A vaia é uma manifestação democrática, ainda quando preparada de antemão. Ou ainda quando represente caso flagrante de falta de educação. Se você não gosta de vaia, fique longe de atividades como o futebol, a vida artística e a politica democrática. Mas mesmo como figura pública você pode reduzir a probabilidade de ser vaiado. Basta seguir a lição aprendida em casa: trate sempre os outros do jeitinho que você deseja que os outros tratem você.

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog.

Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

15 Comentários:

Anonymous Maurício Galinkin disse...

É, Alon,
Eu também acho houve falta de educação, numa festa como aquela mais significativo que a vaia seria a indiferença, não aplaudir...era o que eu faria estivesse no Maracanã.
Mas quem sai na chuva, é pra se molhar, não é? E vaia faz parte das manifestações democráticas, ainda que seja simultaneamente falta de educação...
Mas ao comentar em seu programa de rádio, ficou demonstrado que o Presidente e seus conselheiros pouco conversaram com o falecido Presidente Tancredo Neves. Ele sempre repetia um conselho, mais ou menos assim: nunca desminta uma notícia que seja ruim para você. Quem não a viu, geralmente a maioria de seus eleitores, acaba vendo seu desmentido e, aí começa a pensar que aí tem coisa mal explicada...

segunda-feira, 16 de julho de 2007 14:00:00 BRT  
Anonymous José Augusto disse...

Ok que vaias é um direito legítimo de manifestação, e creio que muito vaiaram com sinceridade mesmo.
Mas nem o mais fiel escudeiro de César Maia é capaz de afirmar que em um público popular aleatório no Rio, César Maia seria aplaudido e Lula e Sérgio Cabral seriam vaiados.
Seria possível que todos fossem vaiados (as vaias seriam a qualquer político), ou pelo menos que ninguém fosse aplaudido.

Quando a esperteza é demais engole o dono. E a esperteza demais foram os aplausos que desmoralizaram as vaias (em parte sinceras). César Maia ao querer afirmar-se como pólo de oposição a Lula e ficar com o monopólio político do bônus do PAN, posicionou-se num extremismo de incompatibilidade com os correligionários de Lula e Sérgio Cabral. Em vez de aproveitar do sucesso sublinarmente, partiu para o confronto. O efeito negativo é que a participação do governo federal no financiamento do PAN, na segurança pública do evento, no patrocínio dos atletas por estatais federais, está se realçando através dos defensores do governo.

Esse confronto truculento trará consequências negativas para ele em 2008, dificultando coalizações no 1o. e sobretudo no 2o. turno.
César Maia deverá perder liderança no Estado e no Município do Rio. Em 2004, César Maia trocou apoios com candidatos do PT em Niterói e Nova Iguaçu com habilidade e sucesso.

O prefeito deveria ter aprendido com Brizola, que não hostilizou Collor na eco-Rio-92, um evento que contou com apoio federal, estadual e municipal. Tratou a questão como representantes de Estado e não apenas como políticos.

Para a população carioca que não é anti-lulista a ponto de se deleitar com as vaias, o prefeito agiu como um quinta-coluna ao Rio, tirando o foco do brilho da festa que deveria estar ocupando o noticiário, e que traz uma imagem positiva, para deixar o noticiário ocupado com vaias. Fica claro que quem perde com essa imagem é o Rio e o Brasil.

Aguardemos a abertura das urnas em 2008. Minha aposta é que César Maia perdeu ao agir com mesquinhez e truculência política. Fato semelhante ao debate Lula X Alckmin, em que o tucano apresentou-se muito acima do tom, o que lhe custou boa parte do eleitorado moderado.

segunda-feira, 16 de julho de 2007 15:12:00 BRT  
Anonymous José Augusto disse...

Completo o comentário com uma piada irônica que ouvi:

"O Lula deveria promover todo mês um discurso no Maracanã, no Morumbi, na Fonte Nova, no Beira-Rio, com ingressos a partir de R$ 500, e camarote a R$ 50.000, semelhante ao carnaval. Assim a elite pagaria caro para vaiar à vontade, e o dinheiro da bilheteria iria para um bônus extra à família dos melhores alunos da rede pública que recebessem o bolsa família."

segunda-feira, 16 de julho de 2007 15:22:00 BRT  
Blogger Vera disse...

Tambem conheço gente que esteve lá e mora no Rio, como eu, e que disse não só que as vaias começaram sempre do mesmo lado, à esquerda da tribuna de honra do estádio, e que desde a segunda leva de vaias começaram a aparecer palmas, que no zum-zum-zum de um estádio lotado, pareciam engrossar os apupos, e na última, aquela em que aparentemente (assim pareceu aos meus amigos, que não são petistas) cortaram o som do microfone do presidente e religaram o do Nuzman quando este subiu no palanque, as palmas eram mais fortes que as vaias. Aliás, eu que assisti ao evento pela Record, em casa, também tive essa impressão na última vez. Só que a mídia, é claro, e a Globo, deram ênfase mais às vaias que às palmas.

segunda-feira, 16 de julho de 2007 15:25:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Baixou o Berzoini!
Quer dizer que nem vaiar se pode mais? O povão vaia mesmo. Tavam cheios de ouvir discursos. Tavam cheios de apagão aéreo. Tavam cheios de tiros na cuca. Tavam cheios de conversa mole. Tavam cheios... A Globo, ao contrário do foi afirmado aqui, não deu destaque enhum para as vaias. A Bandeirantes, querendo puxar o saco do governo, deu destaque, para criticar as vaias. Devia ter ficado queita, como a Globo. Acabou dando mais ênfase às vaias.
Posso garantir para vocês que se eu estivesse lá não deixaria ninguém vaiar o Lula na minha frente. EU VAIRIA PRIMEIRO.
Povo que não portesta é povo subjugado. Viva a vaia, viva a liberdade de vaiar.
Saudações. Úúúúúúú para os censores de vaias alheias.
de Marcelo.

segunda-feira, 16 de julho de 2007 18:13:00 BRT  
Anonymous JV disse...

Dar muita pelota para as vaias [e o erro, não abrir a cerimönia pior ainda. Alon tem acertado a mão neste episódio.

segunda-feira, 16 de julho de 2007 18:51:00 BRT  
Anonymous Marcos disse...

Sei não, Lula vaiado e Cesar Maia aplaudido. Que é estranho , é.
Mas também acho que estão dando muita bola para um assunto insignificante.
Até parece que não temos assuntos mais sérios para tratar.

segunda-feira, 16 de julho de 2007 19:32:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Uma tremenda falta de educação.

Cristiano Medri

segunda-feira, 16 de julho de 2007 20:24:00 BRT  
Blogger rafael disse...

Incrível como nenhum comentário fala sobre as vaias petistas a Aécio "só é solidário no câncer" Neves. A desfaçatez dos simpatizantes do petismo é uma coisa a ser estudada.

segunda-feira, 16 de julho de 2007 21:48:00 BRT  
Anonymous augusto disse...

Prezado Alon: A verdade é que, infelizmente, mais uma vez, manifestou-se a tendência auto-destrutiva do carioca. Minimizar, polemizar, supervalorizar nada mais adianta. Perdeu-se a grande oportunidade de se retomar um ciclo virtuoso. Outra vez, o vaso rapidamente se quebrou. A longa espera pelo dia da glória, da volta aos bons tempos esfarelou-se. Agora, fica fácil entender o atual estado de coisas. Esse é o Rio. Esse é o Brasil... Por fim, acho que esse suicídio comportamental, junto com as outras mazelas acumuladas ao longo tempo e de conhecimento em todo o mundo, é a gota d’água desclassificante na inclusão do Rio como uma das cidades-sede na Copa do Mundo de 2014 ou uma eventual Olimpíada no Brasil. Um abraço.

segunda-feira, 16 de julho de 2007 22:03:00 BRT  
Blogger Julio Neves disse...

Aproveitam pra tentar diminuir a importância do Cesar Maia na realização do PAN. Desde antes de Santo Domingo vejo o prefeito do Rio promovendo esse PAN.

E quanta gente com pena do presidente só porque recebeu uma vaia. Parece que o Lula virou um "deus"! Sai de retro...!

E falando em Santo Domingo, se não me engano, um dirigente do país também foi vaiado na abertura do jogos do PAN caribenho. Já o Lula não pode porque é só um "convidado". Ah, tudo bem...

Ué, o Rio não faz parte do Brasil? E o presidente não é o Lula? Então também é de casa. E pra uma casa ser bem administrada sabe-se que é preciso que haja ordem. Quando há desordem alguém chia...

terça-feira, 17 de julho de 2007 03:26:00 BRT  
Blogger Frodo Balseiro disse...

Alon
Como assim bom governo? Como assim bem avaliado? Tem certeza de que estamos falando do mesmo país?
O país esta parado no que depende do estado brasileiro! O que esta cresccendo deve-se à iniciativa privada, que apesar das péssimas condições dadas pelo governo que você diz que é bom, vai para a frente! Mesmo com a carga tributária absurda(governo), a burocracia(governo), a infra estrutura péssima(governo, a corrupção(governo) a empresa privada exerce seu papel de gerar empregos,pagar impostos, dar retorno.
Quanto à boa avaliação de Lula, os 87.000 do Maracanã, já deixaram bem claro o que pensam!

terça-feira, 17 de julho de 2007 11:08:00 BRT  
Anonymous Artur Araujo disse...

Caro Frodo, sobre as "péssimas condições dadas pelo governo" sugiro, antes de afirmar, que consulte a CNI, a FIESP, a FIRJAN, a FEBRABAN, a SRB e demais entidades congêneres. Em off, é claro, já que reclamar em público é velho sestro.

terça-feira, 17 de julho de 2007 12:38:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Os stalinistas do PT não concordam que o Grande Timoneiro seja vaiado. Ridículo.

terça-feira, 17 de julho de 2007 17:05:00 BRT  
Anonymous Lélio disse...

Gente, foi só uma vaia. Vamos deixar de dar tanto dengo ao presidente. E parar também com teorias conspiratórias. Com claque ou não, tinha muita gente descontente com o governo lá no Maracanã.

terça-feira, 17 de julho de 2007 17:31:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home