sábado, 21 de julho de 2007

Dependência clínica (21/07)


Eu não ia entrar no assunto. Há porém comentários em quantidade razoável que tive que deletar, por estarem endereçados a textos que nada têm a ver com o top-top e o crau. Então aí vai. O assessor da Presidência Marco Aurélio Garcia e um auxiliar dele foram flagrados pelas câmeras da TV Globo no Palácio do Planalto quando faziam gestos obscenos (clique na imagem acima para assistir no You Tube). Segundo ambos, o gestual era dirigido à imprensa pela cobertura do acidente com o Airbus da TAM em Congonhas. Garcia justificou, depois, que se tratou de comportamento privado (veja no vídeo). De fato, em privado Garcia pode dizer a fazer (quase) o que quiser. Pode até desejar explicitamente que a imprensa se f.... Assim como qualquer jornalista também tem o direito de, privadamente, manda que Garcia ou outro político qualquer se f....m. Já como comportamento público a gesticulação é completamente inadequada, especialmente para autoridades. Ainda que o motivo possa ser uma suposta indignação com a cobertura de que a imprensa faz de determinado episódio. Em suma, comportamento privado de cortina aberta nunca é tão privado assim. Mas isso já foi discutido à exaustão por aí. O que mais me impressionou no top-top e no crau planaltinos foi como a euforia e a depressão governamentais hoje em dia dependem do que sai no Jornal Nacional. A ansiedade de Garcia e de seu auxiliar na frente da tevê, assim como a explosão de fúria (o top-top e o crau), tudo é sintoma de quem se coloca, desprotegido, diante de uma autoridade suprema. Sintoma de quem depositou nas mãos de terceiros o seu destino político e aguarda, trêmula e ansiosamente, pelo veredito. Pobre governo, cujo humor e cuja disposição para a luta dependem do que vão decidir os editores de um telejornal. Por mais influente que seja.

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog.

Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

11 Comentários:

Anonymous José Augusto disse...

Alon, seu ponto de vista é bom, saiu da mesmice. Acho sua análise coreta, só um pouco exagerada.

O Garcia, além de estar no governo é político também, foi presidente do PT por alguns meses. É natural que assista ao telejornal de maior audiência do país e tenha reações humanas naturais.

Dia 11 (antes do acidente, portanto), Lula disse em evento pré-inauguração do PAN, que já estava em estudos retirar vôos de Congonhas e construção de outro Aeroporto (está no Blog dos Blogs).
Não sei se estava respondendo perguntas, mas isso quase ninguém noticiou, apesar do apagão aéreo ter virado pauta diária.

Quando a pista de Congonhas foi liberada, não vi ninguém noticiar sobre a segurança da pista, questionar as implicações da falta de grooving que seria feita daí a 30 dias. Isto porque a pista estava mais segura reformada e isso era notícia positiva.

A Dilma Roussef está vivendo às turras com a ANAC e a boa parte da imprensa só informa que diretores da ANAC receberam indicação dela, como se os estivesse protegendo.

Isso mostra que o governo tem sua agenda (boa ou ruim). Apenas é bem diferente do que a imprensa está desejando publicar.

Não peço à imprensa chapa branca, pelo contrário prefiro que sejam implacáveis dentro dos fatos, mas sem virar horário eleitoral da oposição.

Não peço oposição submissa, pelo contrário prefiro atuante e oferecendo alternativas de poder de fato, coisa que não estou vendo.

Congonhas estava há anos sem reformas. Quando reformaram a pista para aumentar a segurança onde desciam os mesmos aviões que se acidentaram, a culpa é do governo Lula? Uma hora a ficha cai. Daqui a alguns meses, de cabeça fria sobre o acidente, quem vôa, se sentirá mais seguro voando hoje do que se sentia antes.

domingo, 22 de julho de 2007 18:09:00 BRT  
Anonymous José Augusto disse...

Em tempo: Não sei se você percebeu o início do vídeo do Garcia, que mostra o Planalto com várias salas com cortinas fechadas, algumas com cortinas abertas sem ninguém, e só a do Garcia é que tinha gente. Pronto! Foi nessa que a câmara focalizou e aproximou o zoom. Foi muita ingenuidade dele, ficar com janelas abertas. O oportunismo dos paparazzi faz parte da imprensa de hoje. E ainda bem, para Lula, que foi com Garcia, de pouco apelo popular. Ele não tem a "cara" de Lula para o grande público. De agora em diante, todos devem tomar os cuidados devidos com suas janelas de vidro.

Observo uma atitude política rara nos dias de hoje. Ele não desmentiu que se gesticulava sobre a notícia do acidente.
Poderia dizer que estava vendo um jogo do Brasil no PAN (ou videotape), e referindo-se ao adversário.

domingo, 22 de julho de 2007 18:12:00 BRT  
Anonymous Lucia disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

domingo, 22 de julho de 2007 18:46:00 BRT  
Anonymous Mauricio Galinkin disse...

Alon,
Reforçando o comentário da Lúcia:
Não existe qualquer espaço "privado" em prédio público. Um funcionário não pode manter relações sexuais nem na privada do prédio público, o que seria possível, claro, em sua casa.

Nem mesmo o gabinete de trabalho do presidente da República é ou pode ser considerado espaço privado, onde ele pode fazer ou dizer o que quiser.

O Clinton teve que fazer uma ginástica para não ser removido da Presidência por seu comportamento "privado" no Salão Oval da Casa Branca. Ele nunca alegou que estava em sua particular intimidade (que na Casa Branca existe, na ala residencial) e que ninguém tinha nada com aquilo.

Já a dependência com relação ao que dizem os poderosos da mídia foi resultado das alianças e afagos eleitorais e pós-eleitorais do próprio presidente da República. Vendeu a alma do personagem Lula e agora tem que entregar...

domingo, 22 de julho de 2007 20:24:00 BRT  
Anonymous Marcos disse...

E lá vamos nós apenas 7 meses da ultima eleição viver mais 3 anos e poucos de guerra suja.
Aos petistas: aqui se faz, aqui se paga.
Vejo com certa graça os petistas reclamarem do golpe sujo (e é bem sujo mesmo) que estão sofrendo.
Fizeram o mesmo nos 25 anos de sua existência. A diferença é que não tinham o apoio da midia.
O jogo politico é isso mesmo, caseiro e alguns reais na conta, estagiaria revelando intimidades com presidente (USA é claro) exploração necrófila de tragédias e por ai vai...
Não tem moleza. O prêmio é muito bom como todos sabem.

segunda-feira, 23 de julho de 2007 00:00:00 BRT  
Anonymous JV disse...

Mas você queria o que, Alon, um governo que se move por pesquisas de opinião, age de acordo com a popularidade, não distinngue o certo do errado, o bom do mau, tem outra alternativa?

segunda-feira, 23 de julho de 2007 00:49:00 BRT  
Anonymous José Augusto disse...

Marcos,
No acidante da TAM em 96 eu não me lembro de nada parecido com o que estou vendo, nem pelo PT, nem pela militância, nem pela imprensa alternativa da época.

Lula e quase todos do PT não usaram a vida pessoal e familiar de adversários, mesmo tendo vasta munição oportunista para isso.

Lula, Marta e outros não exploraram o dossiê Cayman contra os Tucanos, para sangrar os governos FHC-Covas, nem na primeira hora. Poderiam ter tirado um boa "casquinha" do episódio, exigindo que os acusados provassem sua inocência, na forma que passou a ser feito hoje.

A fronteira do vale-tudo foi expandida em seus limites, depois que Lula foi eleito.

segunda-feira, 23 de julho de 2007 01:35:00 BRT  
Anonymous trovinho disse...

É sanha de linchamento, quanta vontade de intrigar a classe média contra o PT! Agora são estes que comem criancinha.

segunda-feira, 23 de julho de 2007 03:55:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Se não existe espaço privado em repartições públicas, para quê, portas?Por que ,o sigilo da correspondência ,das comunicações e das entrevistas? Collor expressava palavrões e gestos obscenos em público, e seu impeachemnt, não se deu por isso. FHC,em obscenas interlocussões com seus ministros,(irmãos Mendonça),grampeados em plena privatização,não lhe foi pedida a cabeça.Nem pelo PT!Alguém,publicaria imagens e sons, dos irmãos Marinho, na intimidade?

segunda-feira, 23 de julho de 2007 12:14:00 BRT  
Anonymous JV disse...

A oposição ao governo petista é ridícula com a oposição que o PT fazia, tudo por qualquer detalhe, querer dizer o contrario é mostra ignorancia ou é pura malicia.
Como dizer? coitadinho do PT?

segunda-feira, 23 de julho de 2007 17:14:00 BRT  
Anonymous Rodrigo disse...

Ah, dá um tempo jv, a oposição no tempo do FHC era pouco mais de 100 deputados e ainda levavam a culpa de tudo que dava errado no governo FHC, tudo era culpa das "reformas" que a oposição não deixava acontecer. Fora o apoio dos meios de comunicação, que comprava essa idéia. Haja visto o monte de CPI jogadas pra debaixo do tapete, eu não sei a que preço.

terça-feira, 24 de julho de 2007 11:23:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home