sábado, 9 de junho de 2007

Não basta lamentar, presidente (09/06)

Não será difícil para o presidente Luiz Inácio Lula da Silva demonstrar publicamente que nada tem a ver com as movimentações suspeitas de seu irmão Genival. Basta Lula retomar agora o que tentou fazer em 2004, quando quis proibir os jogos de azar e viu sua medida provisória (MP) ser derrubada no Senado. A oposição defendeu e comemorou na época a queda da MP, mas não sei se PSDB e DEM repetiriam agora a manobra para salvar a pele da turma da jogatina. Lula tem lamentado aquele gesto do Senado. Não basta lamentar, presidente. É necessário agir. Seus assessores jurídicos certamente encontrarão a forma de jogar essa turma toda na ilegalidade, e de uma vez. Enquanto o senhor não fizer isso, presidente, sua pessoa e seu cargo estarão permanentemente expostos ao contágio.

O Blog do Alon é finalista na categoria Melhor blog de jornalismo e/ou jornalista da Revista Imprensa. Para poder votar, você deve se cadastrar gratuitamente clicando aqui.

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog.

Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

7 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

O que eu não consigo entender é como é que o Lula não manda vigiar gente como esse irmão, evidentemente um picareta sem o menor trânsito junto a ele, para evitar esse tipo de constrangimento.

sábado, 9 de junho de 2007 15:13:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Outra solução muito adequada seria a liberação do jogo. Produziria resultados ótimos em termos econômicos. Aí se poderia pensar em uma pergunta simples e ampla: o que é melhor, proibir o jogo e ficar o tempo todo atrás de descobrir as burlas à proibição, ou liberá-lo, permitindo um controle mais eficazs? Ou ainda, sem indução alguma: o que é melhor, poribir o jogo ou liberá-lo?
Anônimo

sábado, 9 de junho de 2007 15:16:00 BRT  
Blogger Patrick Gleber disse...

Concordo plenamente Alon.

sábado, 9 de junho de 2007 15:19:00 BRT  
Anonymous José Augusto disse...

Se as seguidas operações da Polícia Federal não é agir, o que seria agir?
A Operação Furacão prendeu a cúpula do jogo do bicho no Rio, policiais envolvidos e juízes que vendiam liminares para manter bingos abertos e caça-níqueis em botecos, com isso deflagrou o fechamento da maioria dos Bingos no Brasil inteiro, pois praticamente todas as liminares foram cassadas, até por suspeição.
E agora, essa operação xeque-mate.
Só agora o STF aprovou uma súmula vinculante, reiterando que cabe apenas à União legislar sobre bingos e loterias. Até então os Estados também autorizavam Bingos.
É certo que isso ainda carece de regulamentação, ou proibição explícita com fez Dutra com os cassinos. Só assim evitaria interpretações na Justiça.
Mas concordo que é razoável pedir ao Presidente que decrete o fechamento, até que a regulamentação ou proibição completa ou parcial, seja feita no âmbito do legislativo.

sábado, 9 de junho de 2007 23:12:00 BRT  
Anonymous trovinho disse...

Do jeito que o Sistema Criminal está falido, traficar é fácil. A Comunidade é coagida a acobertar o "bagulho", fornece o "avião" e tudo mais. Daí é só comprar todas as cartelas de um bingo e: bingo. Dinheiro lavado. Posso investir numa ONG, comprar uma "adeva" bem relacionada que a polícia de São Paulo é só ostensiva, ela só consegue é proteger-me de pé-de-chinelo. Sou pelo proibicionismo nas atuais circunstâncias.

domingo, 10 de junho de 2007 04:17:00 BRT  
Anonymous taq disse...

Alon, só para deixar claro, o presidente Lula iria regulamentar o jogo tb, inclusive consta na mensagem da presidencia enviada ao congresso no inicio de um ano, nao lembro qual mas vou pesquisar. Ele mudou de ideia apenas quando estourou o caso Waldomiro,.

segunda-feira, 11 de junho de 2007 11:19:00 BRT  
Anonymous Jura disse...

Se eu ainda fosse repórter, só teria uma pergunta a fazer a todo e qualquer governante:

"O senhor confia mesmo nos seus homens de confiança?"

segunda-feira, 11 de junho de 2007 16:16:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home