sexta-feira, 30 de março de 2007

Por que excluir os um pouco menos jovens, presidente? (30/03)

Do presidente Luiz Inácio Lula da Silva, hoje:

"Hoje, 30% das meninas entre 15 e 17 anos, que estão fora da escola [é] porque já têm filhos e, se tiveram filhos, é porque não tiveram educação sexual adequada dentro de casa ou na escola. E se a escola não cuida e se a família não cuida, a gente depois não pode querer punir a juventude ao diminuir a maioridade penal para colocar jovem na cadeia, achando que vai resolver o problema da juventude brasileira", afirmou Lula.

Clique para ler a íntegra da reportagem da Folha Online.

Ou seja, segundo o presidente Lula, o jovem de menos de dezoito anos que não teve educação sexual adequada, ou que não foi cuidado pela família ou pela escola, adquire a prerrogativa de cometer qualquer crime, mesmo crimes hediondos, sem que a sociedade tenha o direito de acusá-lo de nada. Em outras palavras, a inimputabilidade do jovem criminoso se justifica (segundo essa lógica) pela desigualdade social e pela ineficiência do estado e da família. Assim, enquanto esses problemas estruturais não estiverem resolvidos, deveríamos observar com compaixão as verdadeiras vítimas (os criminosos jovens) retaliarem contra a sociedade, que, segundo Lula, carrega a culpa coletiva pelas raízes da violência. Mas o trecho mais surpreendente da fala do presidente é este: "a gente depois não pode querer punir a juventude ao diminuir a maioridade penal para colocar jovem na cadeia, achando que vai resolver o problema da juventude brasileira". Eu não sabia até hoje que há gente achando que vai "resolver o problema da juventude brasileira" colocando injustamente jovens na prisão. O que eu sei é de gente que defende o contrário: que um bom caminho para a nossa juventude é devolver rapidamente às ruas jovens (pobres ou não) que assaltaram, estupraram ou mataram. Aliás, o presidente Lula poderia desenvolver melhor essa teoria e radicalizá-la. Por que então jogar na cadeia os meninos de pouco mais de dezoito anos por atos que se tivessem sido cometidos antes da maioridade seriam perfeitamente justificáveis? Se o presidente acredita mesmo no que anda dizendo por aí ultimamente, deveria propor a ampliação da maioridade penal para pelo menos 21 anos. Se o melhor remédio para o criminoso jovem é a inimputabilidade, por que exluir dessa fantástica terapia os criminosos apenas um pouco menos jovens?

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog (Blog do Alon).

Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

4 Comentários:

Blogger Ricardo disse...

Uma pergunta para nosso guia:

- Sr. Presidente, com 16 anos, você sabia que matar e roubar era crime? Ou a sociedade não tinha te educado para isso?

- Sr. Presidente, se com 16 anos o jovem é vítima da sociedade, o que explica os votos deles? Seriam eles votos manipulados pelo seu partido?

Crime hediondo é crime hediondo. Todos sabem que matar é imoral e um crime. Portanto, pouco importa a idade num caso destes.

sexta-feira, 30 de março de 2007 17:31:00 BRT  
Anonymous paulo araújo disse...

Alon

O que parece não espantar a muitos, e isso é o que mais me espanta, é o racionio com essa estranha lógica na argumentação do presidente.

O que você deriva como ironia (logo, todo jovem com menos de 18 anos desassistido pela escola e pela família pode fazer o que bem entender) é consequência direta da estranha lógica exposta pelo presidente do Brasil!

E ainda há quem diga que "quando Lula fala o mundo se ilumina".

sexta-feira, 30 de março de 2007 19:24:00 BRT  
Anonymous Caetano disse...

Aqui entre nós, Alon, você também não se envergonha de um presidente que a cada dia diz uma bobagem pior que a anterior? E o pior, relevada e perdoada de imediato por todos, como se fosse um atormentado que não sabe o que diz...

sexta-feira, 30 de março de 2007 23:04:00 BRT  
Anonymous Diazepanaveia disse...

O presidente dá a senha: jovens "excluídos" e injustiçados, por pior que seja o crime que cometerem, terão em mim um pai tolerante, disposto a compreendê-los, porque vocês são "rebeldes porque o mundo quis assim"; nasceram bons e a sociedades os fez maus; não têm culpa, e portanto não merecem punição.
Aonde é que vai dar essa ética que o presidente e a esquerda intelectual nos impõe?

sábado, 31 de março de 2007 10:18:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home