sexta-feira, 30 de março de 2007

"Ou vem o nosso aumento ou paramos o Brasil!" (30/03)

Por qualquer critério, é inaceitável que o país esteja refém dos controladores de vôo. Fico aqui pensando como seria se já tivesse sido implantada a tal "desmilitarização". Ora, mesmo com a dura disciplina militar o ambiente nas torres de controle chegou à insubordinação. Imaginem então o que aconteceria se os controladores de vôo fossem funcionários públicos civis, com o pleno direito de greve assegurado pela Constituição. Teríamos certamente algo como "ou vem o nosso aumento ou paramos o Brasil!". Já passou da hora, há muito tempo, de a Aeronáutica colocar alguma ordem nessa bagunça. Aliás, pelo que se vê no resto do governo, a Aeronáutica, com todos os seus problemas, é a única em condições de colocar ordem na bagunça.

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog (Blog do Alon).

Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

2 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

Concordo. Mas antes de qualquer conclusão, temos que ouvir a justificativa dos controladores.

Rosan de Sousa Amaral

sexta-feira, 30 de março de 2007 21:15:00 BRT  
Anonymous Bubualdo disse...

A crise gerada pelos controladores tem paralelo com a revolta da Armada conduzida pelo marinheiro João Cândido, em 22/11/1910, na Baía de Guanabara, a famosa Revolta da Chibata: a ralé amotinou-se, assumiu o controle de 4 grandes navios de guerra e apontou canhões para a apavorada cidade do Rio. Foi o caos e o governo de Hermes da Fonseca teve de ajoelhar-se momentaneamente, aceitando para depois matar quase todos os líderes do levante. A história se repete como farsa: os marinheiros de 1910 queriam o fim do açoite, do uso da chibata pelos chefes. Controladores não são ralé: vivem relativamente bem, com conforto, boas escolas para os filhos, atendimento de saúde, casa para morar, boa aposentadoria etc. Quebraram a hierarquia militar com apoio de gente do governo. Rebelaram-se usando-se de uma tragédia em que tiveram sim participação. Falta-lhes a nobreza dos almirantes negros, que lutaram pela liberdade: eles colocaram governo e o país de joelhos por aumento salarial, brincando com a vida de milhares. O que será que nos aguarda adiante?

sábado, 31 de março de 2007 10:05:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home