quarta-feira, 14 de março de 2007

Fim de papo (14/03)

Quem esteve nos últimos dias com o governador Aécio Neves (PSDB-MG) saiu da conversa com a nítida impressão de que o mineiro irá apostar todas as fichas no seu próprio partido, o PSDB, para 2010. O recente desfecho da luta interna peemedebista, com a derrota dos senadores Renan Calheiros (AL) e José Sarney (AP), acendeu o sinal amarelo no Palácio das Mangabeiras. Renan vinha, há tempos, cortejando o governador. O objetivo era convencê-lo a construir sua (de Aécio) candidatura presidencial pelo PMDB. No que depender da impressão recolhida por quem conversou com Aécio sobre o assunto nas últimas horas, o PMDB pode ir tratando de arrumar outro nome. O governador deve ter chegado à conclusão de que o grau de incerteza que cerca qualquer projeto nacional no PSDB pode ser grande, mas não se compara ao risco corrido por quem se aventura pelo buraco negro do peemedebismo.

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog (Blog do Alon).

Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

9 Comentários:

Anonymous paulo araújo disse...

Alon

Nunca levei a sério as "ameaças" de deserção do Aécio. Pra mim sempre foi jogo de cena pra aumentar seu poder no PSDB.

Aécio é um político espertíssimo. Jamais iria entrar nessa roubada que virou o PMDB. Como todo político esperto, deu corda. O fato é que o próprio PMDB, com ajuda prestimosa do Lula, mostrou que o partido está nu.

Espero (acho que temos em comum um certo otimismo cético, eu penso)que Aécio e Serra coloquem os interesses nacionais em primeiro plano e consigam, assim, chegar a um bom entendimento. Minas e SP unidos são imbatíveis. Serra e Aécio, no meu entendimento de simples observador da política, mais convergem do que divergem. Resta saber se os projetos pessoais prevalecerão ou não sobre a convergência sobre um projeto de crescimento para o país. Penso que Minas e SP unidos nas pessoas de Serra e Aécio serão um forte polo de atração e convergência.

Do jeito que a coisa vai indo com o PT (tenho sérias dúvidas HOJE que Lula consiga emplacar um sucessor), uma campanha bem articulada conseguirá mostrar comparativamente os 8 anos tucanos com os 8 anos petistas. Mesmo quem é amigo do PT só pode falar, até agora, em empate. Junte-se a isso, os bem avaliados governos tucanos em SP e MG.

abs.

quarta-feira, 14 de março de 2007 16:52:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Ainda é cedo para ter conclusões sobre 2010...muita agua vai correr debaixo da ponte.

quarta-feira, 14 de março de 2007 18:36:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Lembrem do poema "Quadrilha" de Drumond: "João amava Tereza que amava ....". No final a fulana que não gostava de ninguém casou-se com J Pinto Fernandes "que ainda não havia entrado na estória". De qualquer forma, ainda é cedo. O Lula pode não querer ser e acabar sendo o candidato.

Rosan de Sousa Amaral

quarta-feira, 14 de março de 2007 20:02:00 BRT  
Blogger Cesar Cardoso disse...

O PMDB não é pra qualquer um. O menos esperto ali vendeu geladeira pra esquimó e pinguim.

Aécio só iria para o PMDB se tivesse certeza e garantia de que chegaria com tapete vermelho e tal e coisa. Como o Temer deu uma pernada nos senadores, isso não iria acontecer e o Aécio preferiu disputar mesmo a provavelmente sanguinolenta prévia tucana.

quarta-feira, 14 de março de 2007 21:39:00 BRT  
Anonymous Lúcio disse...

Alon o meu comentário também é de Minas, não diretamente ao assunto em pauta, mas pertinente. Veja só o que aconteceu com o governador do Rio, Sérgio Cabral: ele veio a Belo Horizonte, a convite do prefeito do PT, Fernando Pimentel, pra conhecer um projeto de urbanização de favelas. Só que, poucos dias após a visita, a prefeitura colocou no ar um enorme mídia, no rádio e na Tv, usando a imagem do governador carioca e com a informação de que o projeto é tão bom que o governador veio aqui só pra conhecer a obra. No mínimo uma tremenda falta de educação. Mas fica a lição. O Sérgio Cabral ainda acaba aprendendo a lidar com esta turma!!!!

quarta-feira, 14 de março de 2007 21:52:00 BRT  
Anonymous Jura disse...

Pergunta para Sinbad:

O desvio na rota da nau de Mares Guia tem a ver com isso?

quinta-feira, 15 de março de 2007 09:52:00 BRT  
Anonymous Jura disse...

Lúcio,

Eu costumava receber propaganda por email (spam)do Pimentel aqui em São Paulo, até que os alertei que não votava em BH. Aí, parou.

E o Alon ainda quer criar uma estatal de propaganda oficial! Já pensou? Com esses marqueteiros? Só se for a Dudobrás!

quinta-feira, 15 de março de 2007 09:59:00 BRT  
Blogger cid disse...

alon

Ainda sob o impacto do desfecho do imbróglio PMDB, é natural que tenha gente com um pé atrás em relação ao partido e à sua capacidade de caminhar mais ou menos unido em torno de um candidato. Como já viram esse filme antes, vale o ditado do gato escaldado que tem medo de água fria.

Porém - e sempre tem um porém -, o jogo está apenas começando, devendo passar necessariamente pela performance do PAC e pelos resultados das eleições municipais de 2008. Ou seja, novos protagonistas podem se qualificar até lá.

Quanto à possibilidade de união dos dois (possíveis) candidatos do PSDB, vale dizer que, pelo menos em São Paulo, os resultados dos últimos 12 anos de tucanato foram os piores possíveis. Não sei se Aécio toparia uma roubada dessas, visto ser considerado um político muito esperto. Seus passos futuros dirão se é mesmo.

cid cancer
mogi das cruzes - sp

quinta-feira, 15 de março de 2007 14:31:00 BRT  
Anonymous José Augusto disse...

Alon, difícil especular sobre 2010 sem um altíssimo grau de incerteza. Mas entendo que quem respira política é inevitável acompanhar os lances desde agora. Como um jogo de xadrez no início em que todas as pedras estão no tabuleiro, e a medida que 2010 for chegando irá sobrando cada vez menos peças.

Eu não descartaria nada sobre o Aécio. Ele deve ficar no PSDB pelo menos até as próximas eleições para presidente do partido e executiva nacional. Ele deve trabalhar nas bases para controlar o processo sucessório dentro do PSDB e a estratégia dele parece clara: liderar um movimento federativo de governadores. Deve explorar isso para contrapor Serra nas questões regionais conflitantes com a centralização política e econômica que São Paulo vem representando.
Se conseguir isso dentro do PSDB, deverá continuar nele. Se Serra conseguir controlar a maioria, Aécio deve procurar outro partido que lhe garanta legenda, não necessariamente o PMDB. Essa é minha aposta por hora.

quinta-feira, 15 de março de 2007 20:16:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home