domingo, 11 de fevereiro de 2007

O senso de oportunidade do prefeito Kassab (11/02)

O prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab, desculpou-se hoje, em artigo pulicado na Folha de S.Paulo, por ter empurrado e xingado um cidadão que protestava contra o governo dele. Pedir desculpas foi uma coisa boa que o prefeito fez. Mas Kassab poderia ter feito ainda melhor. Poderia ter ido visitar o cidadão e pedido desculpas pessoalmente, diante da imprensa. Pois foi pessoalmente e diante da imprensa que o prefeito cometeu o ato de que agora se arrepende. E não sei se foi adequado o prefeito ter deitado falação, no artigo da Folha, sobre aspectos que considera positivos em sua própria administração. Pega mal. "Aproveitando o pedido de desculpas, não poderia deixar de ressaltar as maravilhas que meu governo vem fazendo na Saúde e na despoluição visual da cidade." Não acredito que falte sinceridade ao pedido de desculpas do prefeito. Mas faltou-lhe, com certeza, senso de oportunidade.

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog (Blog do Alon).

Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

5 Comentários:

Anonymous José Augusto disse...

Alon, a impressão que passa é a de que esse pedido de desculpas é tão insincero, que Kassab sequer consegue dissimular.

domingo, 11 de fevereiro de 2007 15:54:00 BRST  
Anonymous Joel Palma disse...

Concordo, Alon. Ficou simplesmente boçal o texto de hoje na Folha....
e só no final é que o Kaçamba pede desculpas, assim meio de esgueio...

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2007 01:20:00 BRST  
Anonymous José Augusto disse...

Não penso que a pobreza induz ao crime, e sim o sentimento de injustiça. E aí pensei no Sr. Kaiser, um trabalhador humilde em dificuldades, escurraçado na frente do filho de 7 anos, pelo todo poderoso prefeito Kassab. Que valores terá passado na cabeça desse menino? Toda vez que um trabalhador na favela leva um tapa na cara de um policial e esse policial recebe uma caixinha do traficante da área, a quem trata com respeito, a mensagem para as crianças, é que o pai trabalhador é "otário", e o traficante é o modelo de sucesso. Nitroglicerina pura para um futuro negro.

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2007 01:29:00 BRST  
Blogger cid disse...

alon

O josé augusto aí em cima tocou num ponto que tem sido negligenciado: o do sentimento de injustiça. Perfeito. Mesmo porque imputar à falta de educação e à miséria a responsabilidade da barbárie a que temos sido expostos é muito cômodo. Livra a cara de todo mundo.

Afinal, a barbárie também está presente entre os bem-educados e os bem-postos socialmente, "remember" o caso do índio pataxó, queimado vivo por quatro delinqüentezinhos da alta classe média brasiliense, hoje todos livres, leves e soltos.

Portanto, ao se falar (novamente)da redução da maioridade e na adoção da pena de morte, é preciso cuidado. Os exemplos cotidianos de injustiça - como o de Kassab e seu grotesco e demagógico pedido de desculpas - são o caldo de cultura para a banalização da violência e da própria vida, o caminho mais curto para a barbárie.

cid cancer
mogi das cruzes -sp

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2007 09:25:00 BRST  
Anonymous Antonio Lyra Filho disse...

Sou pernanbucano e recifense , fico imaginado o que aconteceria se o nosso prefeito João Paulo, que é do PT tivesse tido a atitude de Kassab.
Humilhar um micro-empresário, é coisa de que vive junto as elites e despreza os mais humildes.

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2007 11:15:00 BRST  

Postar um comentário

<< Home