domingo, 18 de fevereiro de 2007

O roubo. E uma boa idéia (18/02)

Trecho de reportagem de Fernando Dantas n'O Estado de S.Paulo, sob o título FGTS é o pior investimento do país:

"O Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) rendeu quase 20 vezes menos que as aplicações mais seguras do mercado financeiro desde o Plano Real e foi, disparado, o pior investimento no período. A diferença é a que existe entre o rendimento do FGTS e o da Selic, a taxa básica que remunera os títulos públicos federais. Em outras palavras, se o governo desse à poupança dos trabalhadores a mesma remuneração que reserva para os investidores do mercado financeiro, os ganhos acima da inflação nas contas do fundo seriam multiplicados precisamente por 19,01 desde julho de 1994. Do lançamento do Plano Real, em 1994, a janeiro de 2006, o rendimento do FGTS acima do IPCA, índice oficial de inflação, foi de apenas 22,2%, comparado com 442,2% da Selic e 78,8% da poupança. Nos anos mais recentes, a rentabilidade do FGTS piorou e entrou em território negativo. Desde o ano 2000, o rendimento real médio é de menos 1,5%, acumulando uma perda de capital de 11% em sete anos. As contas do FGTS rendem TR mais 3% ao ano, comparado com TR mais 6% para as cadernetas de poupança. (continua...)"

Esse é o roubo. Agora, na mesma reportagem, a boa idéia:

"Segundo cálculos do economista Renato Fragelli, diretor da Escola de Pós-Graduação em Economia (EPGE) da Fundação Getúlio Vargas (FGV) no Rio, se o FGTS tivesse um rendimento nada excepcional de 6% acima da inflação oficial, ele poderia bancar uma aposentadoria próxima do valor integral do último salário."

É isso aí. Deveriam acabar com o FGTS e transferir os seus ativos para um ou mais de um fundos de pensão geridos autonomamente pelos trabalhadores do setor privado. Do jeito que está, quem menos ganha com o FGTS é o trabalhador. Corrijo-me: o trabalhador é o único que perde. Para que alguns "amigos" do trabalhador possam ganhar às custas dele.

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog (Blog do Alon).

Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

2 Comentários:

Anonymous José Augusto disse...

O FGTS é uma poupança compulsória de 8% do salário, para garantir uma indenização ao trabalhador quando demitido equivalente a 1 salário por ano trabalhado. Poderia ser melhor gerido, equiparando pelo menos à caderneta de poupança. Ou poderia ser extinto (por opção do trabalhador) mediante transferência dos 8% recolhidos ao FGTS pelo empregador diretamente para os salários recebidos, sem perda para o trabalhador.

domingo, 18 de fevereiro de 2007 15:15:00 BRST  
Anonymous Anônimo disse...

Caro Alon

Realmente o saldo liquido do FGTS, cerca de 22 bilhões e o próprio FGTS precisam ser melhor discutidos e podem representar uma saída plausivel para a previdencia(aposentadoria). A proposta de fundo de pensão precisa ser discutida e é uma boa idéia.

AT, Paulo Guzzo

segunda-feira, 19 de fevereiro de 2007 11:22:00 BRST  

Postar um comentário

<< Home