quarta-feira, 14 de fevereiro de 2007

O custo de não fazer nada (14/02)

Luiz Inácio Lula da Silva tem uma receita quase sempre infalível para assuntos espinhosos: empurrá-los com a barriga até que, por cansaço, prevaleça a opção desejada por ele, Lula, desde o princípio. Em geral funciona. Mas neste caso da segurança pública o governo federal perdeu o controle do processo. Entre os governadores, Sérgio Cabral ponteia. No Congresso Nacional, a blindagem do "não vamos agir sob forte emoção" foi hoje rompida pelo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL). E a Câmara dos Deputados, presidida por Arlindo Chinaglia (PT-SP), já votou hoje mesmo coisas que estavam engavetadas há meses. O trem começou a se movimentar. Para o governo, restou o triste papel de ensaiar uma "obstrução branca" no Senado. É, desta vez parece que "deixa como está para ver como é que fica" vai dando errado. Parece que o Palácio do Planalto subestimou o volume da pressão das ruas. Uma doença que costuma acometer os palácios de vez em quando.
(Foto de José Cruz, da Agência Brasil: Renan (e) e Cabral; clique na imagem para baixar em alta resolução)

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog (Blog do Alon).

Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

4 Comentários:

Blogger Livres Reflexões disse...

O Congresso esta sendo oportunista. A questão central não é a diminuir a idade da maioridade penal. De que adianta colocar nos presídios, que estão falidos e inchados, menores infratores? Terão chance de recuperação? Pesquisas mostram que 80% dos condenados voltam a reincidência quando livres. As atuais penitenciárias são Universidades do crime. Mais uma vez adotasse medida apenas para enganar a opinião pública.
Quanto a Sérgio Cabral o que ele ponteia são medidas demagógicas apenas para transparecer à opinião pública que busca soluções. Pergunto por que o Governador, se realmente quer buscar uma solução, não começa por determinar a prisão dos "policiais" que integram as milícias?
As declarações de Cabral estão cheirando a demagogia. Ele usa mais uma vez o expediente que o PMDB é craque, critica a sujeira alheia mas a sua casa não limpa.

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2007 11:27:00 BRST  
Anonymous Anônimo disse...

Aparentemente o Alon andou assistindo ao filme "A Rainha" ...

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2007 11:27:00 BRST  
Blogger Correio da Amazonia disse...

Renan não aprende. Não entende nada de segurança. Levou uma surra no desarmamento da população. Oportunista.

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2007 16:03:00 BRST  
Anonymous José Augusto disse...

É isso aí Correio da Amazônia. Alguém contenha o Renan, senão vamos retirar do orçamento outros R$ 600 milhões, que poderiam ser gastos no aparato de segurança pública, para fazer plebiscitos sobre maioridade e pena de morte.

quinta-feira, 15 de fevereiro de 2007 18:41:00 BRST  

Postar um comentário

<< Home