sexta-feira, 23 de fevereiro de 2007

Emprego do trabalhador menos qualificado cresce com vigor (23/02)

Da Agência Brasil:

Setor imobiliário puxou crescimento de 7% no nível de emprego na construção civil em 2006, aponta sindicato

Juliane Sacerdote e Petterson Rodrigues
Da Agência Brasil

Brasília e São Paulo (23.02) - O crescimento de 7% no número de empregos na construção civil brasileira é um resultado 'bom', na avaliação do vice-presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (Sinduscon-SP), Sergio Watanabe. 'A construção civil conseguiu inverter a curva decrescente para um crescimento significativo, a partir de 2004. Os indicadores estão acompanhando o PIB da construção', afirmou, em entrevista à Agência Brasil. O setor imobiliário puxou o índice, com 'crescimento significativo', que Watanabe explicou ser devido 'ao aumento no crédito destinado à construção da casa própria e à melhoria da qualidade do financiamento, com mais linhas, alongamento nos prazos de financiamento e redução nas taxas de juros'. O índice foi divulgado hoje (23) e resulta de levantamento feito pelo sindicato e pela Fundação Getúlio Vargas Projetos. Com base em dados do Ministério do Trabalho e Emprego, no setor foram criados 98,1 mil empregos com carteira assinada, dos quais 27,8 mil no estado de São Paulo. A construção brasileira empregou no ano passado 1,49 milhão de trabalhadores, 412,7 mil deles no estado. (Continua...)

Ou seja, a economia brasileira cresceu menos de 3% ano passado, mas o emprego na construção civil cresceu 7%. Quem busca emprego na construção civil é o trabalhador menos qualificado. E o trabalhador menos qualificado é Lula. Lula fechado. Pois o governo está garantindo para esse trabalhador uma vida melhor. Até porque, com o dólar barato, a vida está bem baratinha e o salário rende mais no fim do mês. Cartesiano.

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog (Blog do Alon).

Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

0 Comentários:

Postar um comentário

<< Home