quarta-feira, 17 de janeiro de 2007

Um anúncio fúnebre e a "peemedebização" (17/01)

Faleceu ontem nesta capital o argumento de que a proporcionalidade foi o principal motivo do PSDB para apoiar, na semana passada, o candidato do PT à presidência da Câmara dos Deputados. O argumento morreu de morte súbita e deixa viúva, a hipocrisia. O casal não tinha filhos. O enterro acontece na próxima semana, quando a bancada federal do PSDB se reúne para chancelar o nome do deputado Gustavo Fruet (PR) como candidato do partido ao cargo.

Leio nos jornais que a candidatura do deputado Gustavo Fruet (PSDB-PR) à presidência da Câmara recebe apoio dos principais líderes tucanos. Sem perder tempo, procuro outra reportagem, com a informação sobre as novas adesões ao PSDB na Câmara. Mas não encontro. Ou seja, o PSDB continua com os mesmos 66 deputados (ou menos, já que a seção cearense está desaparecendo), mas agora admite lançar um nome seu. A tal proporcionalidade foi para o beleléu. Não vamos gastar aqui mais vela com isso. A tese já foi dissecada neste blog em Contem outra. Que Deus a tenha. Agora apareceu uma nova conversa: de que o partido não vai votar inteiro no deputado paranaense, que ele só vai fazer figuração e que a aliança com o PT pode se impor no voto secreto. Está hoje em reportagem da Folha de S.Paulo:

A Folha apurou que a unidade da bancada tucana em torno de Fruet não deve se traduzir inteiramente em votos. A votação secreta facilita as defecções e há quem avalie no partido que Fruet irá apenas "marcar posição", isto é, que não tem chances nem de chegar ao segundo turno.

Classicamente, chamam a isso "peemedebização". O que, convenhamos, começa a ser uma injustiça com o PMDB. Semana passada, a ala neogovernista do PMDB tratorou e aprovou na marra (até gente que não podia votar votou) o apoio ao PT na corrida da Câmara. Feita a votação e anunciado o resultado, não se ouviu um pio dos perdedores, um "off" sequer de resmungo ou ameaça de traição. Lembra até o velho PFL, onde os inimigos se apunhalavam em silêncio sem nunca deixar de se abraçar ou sorrir diante das câmeras. Quem sabe não esteja na hora de os tucanos fazerem o caminho de volta para o PMDB? Tenho certeza de que seriam recebidos de coração e braços abertos. Mas enquanto isso não acontece precisam dar um jeito de manter as aparências. E sempre tem jeito para (quase) tudo. A solução agora é votar em Fruet (para não fazer feio no painel de votação) e torcer para ele não ir ao segundo turno. Mas torcer para que haja o segundo turno, pois do contrário o cacife do PSDB terá ido para o ralo. E no segundo turno cumprir o acordo com o PT. O PSDB tem duas semanas para construir o argumento (qualquer argumento) que justificará o apoio ao PT num eventual segundo turno -já que a proporcionalidade está morta e sem serventia. Ficou mais complexo e mais trabalhoso. Se fosse no futebol, eu diria que o PSDB tomou uma goleada em casa e não depende mais apenas de seus próprios resultados para ser campeão (ou vice, se os tucanos preferirem assim).

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog (Blog do Alon).

Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

6 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

Como se diz nos torneios de esgrima, touché!!!

quarta-feira, 17 de janeiro de 2007 10:34:00 BRST  
Anonymous Carta Política disse...

O PSDB e o bloco anti-petista já elegeu Severino, não acho desprezível essa movimentação tucana.

quarta-feira, 17 de janeiro de 2007 12:41:00 BRST  
Blogger Cesar Cardoso disse...

Engraçada essa história da Terceira Via. Só quem acredita nisso é o PPS e o Gabeira.

Do resto, fica claro que a candidatura Fruet é muito mais um lance da disputa interna dentro do PSDB para ver quem controla o partido, os governadores ou os 'cardeais-sem-voto'. Acho que Fruet não vai levar todos os votos do PSDB, não.

quarta-feira, 17 de janeiro de 2007 14:48:00 BRST  
Anonymous José Augusto disse...

Eu acredito no racha do PSDB. Duvido que um deputado como Narcio Rodrigues esteja disposto a seguir a liderança suicida de Tasso Jereissati.
Vejo o PSDB dividido em neo-udenistas que querem se apegar aos 40 milhões de votos anti-lula e continuar eternamente na oposição à espera de um novo alopramento do governo Lula para o poder cair-lhe no colo. A esse grupo somam-se os deputados pragmáticos do PSDB que disputarão prefeituras onde o PT é forte em 2008. E outro grupo do PSDB empenhado em reconciliar com os ex-eleitores de FHC decepcionados que migraram para Lula.

quarta-feira, 17 de janeiro de 2007 15:04:00 BRST  
Blogger cid disse...

Alon

Você tem razão quando diz que não devemos gastar mais tinta com essa opereta de terceira categoria.

O PSDB vendeu um peixe podre na campanha eleitoral, e o problema é que ele próprio acabou acreditando em sua fantasia. O PSDB é um partido de amadores. Ridículos e patéticos. A sorte deles é que o PT não fica muito atrás. Azar o nosso; não há o que se salve.

cid cancer
mogi das cruzes - sp

quarta-feira, 17 de janeiro de 2007 18:15:00 BRST  
Anonymous Jura disse...

Do blog Conversa Afiada http://conversa-afiada.ig.com.br/materias/410501-411000/410527/410527_1.html
de Paulo Henrique Amorim:

Vejam só o que me disse um amigo de São João del Rey (MG):

. O lançamento de Gustavo Fruet à Presidência da Câmara como candidato da “terceira via” não passa de um expediente dos tucanos de São Paulo - FHC e José Serra – contra Aécio Neves.

. O deputado Narcio Rodrigues (clique aqui), do PSDB de Minas, é homem de confiança de Aécio Neves.

. Rodrigues seria o vice da chapa de Arlindo Chinaglia (clique aqui).

. Diz o meu amigo de São João del Rey: “o Aécio não vai deixar isso barato”

E ai, o que dizem os seus amigos de Arapiraca?

quarta-feira, 17 de janeiro de 2007 19:40:00 BRST  

Postar um comentário

<< Home