segunda-feira, 15 de janeiro de 2007

Por que não eu? (15/01)

O presidente do PT, Ricardo Berzoini, dá hoje uma aula de política na entrevista que concede a Fernando Rodrigues na Folha de S.Paulo. Alimenta a tese de que o partido pode apoiar um nome de outra legenda para suceder Luiz Inácio Lula da Silva em 2010. Talvez não seja a intenção do presidente do PT, mas o efeito prático de uma declaração assim é a proliferação do "por que não eu?". Todo mundo que ambiciona a vaga de Lula começa a se perguntar se o melhor mesmo não seria aproximar-se do PT para, quem sabe?, estreitar laços com o partido e credenciar-se a receber o seu apoio na corrida presidencial. Na pior das hipóteses, num hipotético segundo turno sem o PT. Puxa, será que isso tem a ver com a atual cizânia no PSDB? Bem, eu li a entrevista feita pelo Fernando e li também uma nota que ele postou no blog, com o título Ciro Gomes está entre os nomes possíveis do PT para presidente na eleição de 2010. O deputado Berzoini é mesmo um craque. Minhas homenagens e meu respeito.

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog (Blog do Alon).

Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

7 Comentários:

Blogger Cesar Cardoso disse...

No final das contas, Berzoini deixou claro que está preparando o PT para um fato que pode ocorrer, que é chegar em janeiro de 2010 sem um candidato competitivo. E que a coalizão que Lula está montando tem como objetivo ser algo mais permanente.

Imagino que Aécio Neves, que está com Chinaglia, deve ter adorado essa entrevista. E o PMDB também.

segunda-feira, 15 de janeiro de 2007 11:59:00 BRST  
Blogger rafael disse...

faltou completar:

"e a oposição é composta de pernas-de-pau"

não que eu ache berzoini um craque, claro.

segunda-feira, 15 de janeiro de 2007 14:27:00 BRST  
Blogger Ricardo disse...

Este Berzoini é o craque dos aloprados? Ah, tá, então é claro que esta história do PT abrir mão é tão válida quanto o apoio de Lula a Aldo Rebelo.
A possibilidade do PT abrir mão de candidatura própria é a mesma do PT abrir mão dos cargos no governo federal: nula.

segunda-feira, 15 de janeiro de 2007 15:09:00 BRST  
Anonymous Jura disse...

Alon,
Você tenta me explicar porque o deputado Berzoini sempre cai pra cima, mesmo quando pisa na bola.
Eu não esqueço nunca a pisada que ele deu com os velhinhos. Como craque não pisa na bola, só posso concluir que ele foi escalado na posição errada.
Se, como você sugeriu há pouco, distribuir cargos é diferente de distribuir poder, entregar cargos de confiança para obter poder leva à perda de ambos: da confiança e do poder. A propósito: quem ainda confia em cargos de confiança?

segunda-feira, 15 de janeiro de 2007 15:35:00 BRST  
Blogger Angelo da C.I.A. disse...

Berzoini pode ser um "craque", como vocÊ diz, em política. E infelizmente, habilidade política no Brasil está intimamente ligado à capacidade do político em não ter idéias e ideologia. Outros craques políticos brasileiros? INocêncio Oliveira, Delfim Netto, ACM, Sarney, Severino era craque...
No Brasil, político bom é político malandro. E malandragem aqui é qualidade positiva.
O que me importa em um político não é a capacidade em dar "leads" nos jornais mas sim:
-honestidade;
-ideologia;
-competÊncia.

NEstes trÊs critérios, Berzoini seria reprovado por mim. No primeiro quesito, pelo envolvimento nítido dele no caso dossiê ( a conclusão do inquérito da PF é patético ). No segundo, pelo esquerdismo bocó dele e da maioria da cúpula petista. Por fim, sua incompetência ficou nítida no caso do falso dossiÊ contra Serra: Outros petistas fazem e fizeram coisa pior sem deixar rastros.

segunda-feira, 15 de janeiro de 2007 16:22:00 BRST  
Blogger Correio da Amazonia disse...

O PT nunca elegeu presidente, e não tem condições de eleger - continua um partido antipático ao eleitor comum. Lula foi eleito pelo povo brasileiro, porque foi transformado em um ícone pela mídia a serviço do capital, desde o governo militar. Quando, treinado no sindicalismo americano, de resultados, caiu como uma luva para ocupar o espaço do comunismo/socialismo, a exemplo do que já haviam feito no Estado Novo com o sindicalismo (e as instituições S, ou o que valha) para ocupar o espaço do anarquismo. Berzoine apenas sedimenta o caminho para sobreviver os interesses que representa no próximo governo. Sabe que o PT não elege presidente, e não tem outro "Lula" em seus quadros. Vão entregar para o PSDB, titular da política monetarista que obedecem, e empenhado no projeto de investimentos da ministra Dilma. O episódio da Câmara mostra isto com clareza, permite o esvaziamento do PMDB, muito guloso, e dá aos governadores o controle sobre as Assembléias do sudeste, facilintando o uso das máquinas estaduais na cooptação da bancada federal para invluirem nas políticas públicas. Lula vai equilibrar com os investimentos no Norte e Nordeste, regiões mais baratas, mais fáceis de controlar através dos caciques no Senado e Câmara; nomeação de pequenos cargos regionais, e liberação de emendas para estados e municípios. Agora, o que os deputados querem mesmo, é alguém que não permita a exposição das vísceras da Câmara na mídia. Alguém que represente os interesses dos integrantes da CAsa, não o politicamente correto ou o "ético". Alguém que não se deixe pauar pela mídia, e tenha pulso firme, resolvendo o que for preciso resolver de imediato.

segunda-feira, 15 de janeiro de 2007 22:37:00 BRST  
Anonymous Ana disse...

Senhor Pedro Paulo, seu comentário é digno de uma coluna do (infelizmente) falecido Sérgio Porto: verdadeiro "samba do crioulo doido"!!

terça-feira, 16 de janeiro de 2007 13:56:00 BRST  

Postar um comentário

<< Home