quinta-feira, 28 de dezembro de 2006

Os bons amigos (28/12)

Não podia deixar o ano terminar sem um registro. Costumo falar aqui em indignação seletiva (Deus é sutil mas não é malicioso, A bengalada do MLST, Irmãos Cara de Pau: um remake) . É aquela indignação interessada que deixa rastro, que deixa digitais quando se esconde e se finge de morta. Não vou citar o nome, para não sujar o meu blog. Vou só largar aqui a pergunta. Cadê a indignação contra estar impune o chefe de Redação que matou a colega e ex-namorada a bala, e pelas costas? Cadê a campanha cívica da cidadania contra a impunidade? Cadê os editoriais? Cadê os artigos furiosos? Cadê as coberturas extensivas? Cadê aquelas repercussões caprichadas com as entidades da sociedade civil? Ou devemos concluir que com bons amigos na imprensa o sujeito adquire inclusive o direito de tirar a vida de um semelhante? Fria, covarde e premeditadamente, diga-se.

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog (Blog do Alon).

Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

3 Comentários:

Blogger Paulo Lotufo disse...

Alon, um ex-colega de sua turma na FMUSP, divorciado, todo mês lembra que ele pode ser preso se atrasar a pensão alimentar da ex-esposa e dos filhos, mas há um cidadão que matou uma mulher friamente e, condenado, está em liberdade.

quinta-feira, 28 de dezembro de 2006 17:10:00 BRST  
Blogger rafael disse...

concordo em gênero, número e grau, Alon.

Agora, engraçado, seus três posts sobre indignação seletiva nunca se referem aos petistas. Curioso.

Sds,

quinta-feira, 28 de dezembro de 2006 19:23:00 BRST  
Anonymous Lau Mendes disse...

Por favor Paulo Lotufo,não dê idéias a êste amigo só porque tem contatos na imprensa.Desculpe o humor fora de hora,mas é de se pensar nestas maravilhosas leis aprovadas por nossos congressistas.Há casos em que a pena de reclusão é menor para um delito maior.

quinta-feira, 28 de dezembro de 2006 23:32:00 BRST  

Postar um comentário

<< Home