terça-feira, 7 de novembro de 2006

Querem apostar? (07/11)

Um post rápido, de bem longe. Meu colega blogueiro Josias de Souza registrou hoje que o empresário Jorge Gerdau Johannpeter quer ser ministro de Lula. As condições que coloca para aceitar um eventual convite são bem poucas. Segundo Josias, o empresário

(...) deseja ter ampla autonomia para ditar os rumos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social). Acha que só assim poderia contribuir com os planos de Lula de impulsionar o crescimento econômico do país no segundo mandato.

Patriota o Gerdau, não acham? Para dar sua contribuição ao país ele quer apenas autonomia para gerir os investimentos do BNDES. Se eu fosse Luiz Inácio Lula da Silva aceitaria correndo esse bom negócio. Ah, sim. Li também hoje que Lula começou a receber os partidos aliados (o PTB) para negociar apoio e participação no futuro governo. Querem fazer uma aposta comigo? As negociações com os partidos serão recebidas pelos vigilantes da ética com muita reserva, vão logo levar o carimbo do fisiologismo, o carimbo do toma-lá-dá-cá. Mas uma demanda gulosa como a do senhor Gerdau -demanda que implica, antes de qualquer coisa, evidente conflito de interesses- será provavelmente tratada com naturalidade. Com equilíbrio. Isso é o Brasil.

Quem vai apostar comigo?

O Blog do Alon está entre os finalistas do concurso mundial de blogs The Best of the Blogs.
Se quiser me honrar com seu voto, clique aqui.

Para ver todas as categorias, clique aqui.

Para ver os finalistas em língua portuguesa, clique aqui.

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog (Blog do Alon).

Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

10 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

haha... Não, obrigado. Eu não quero perder!

terça-feira, 7 de novembro de 2006 22:19:00 BRST  
Blogger Cid disse...

Alon, sei que sou meio maluco, mas essa aposta não dá para encarar. Assino embaixo. Cid

terça-feira, 7 de novembro de 2006 22:42:00 BRST  
Anonymous Anônimo disse...

Alon você tem razão. Ele que se contente em fornecer pregos e vergalhões para o aeroporto de Congonhas, o que já é um negócio da China.
abraços
Inês

terça-feira, 7 de novembro de 2006 22:55:00 BRST  
Anonymous Anônimo disse...

ta lá no blog do josias "Lula encosta a barriga no balcão da fisiologia" e fala das conversas com o ptb.

quarta-feira, 8 de novembro de 2006 08:43:00 BRST  
Blogger alberto099 disse...

O mérito de denunciar a hipocrisia de uma ideologia que se diz democrática para em seguida desqualificar a representação parlamentar (e por tabela o eleitor) é todo seu Alon. Mas deixe-me acrescentar duas outras esquisitices de uma prática política que nunca é o que parece: o PTB constitui um partido político legítimo, que inclusive ultrapassou a clausula de barreira, mas é capaz de compatibilizar a convivência em seu seio do ministro do turismo, que atua inclusive como articulador político do governo, e o ex-deputado que liderou o principal ataque da oposição contra o governo – nossa ideologia “democrática” não vê problema na continuidade dessa situação. De outro lado, nos vemos como praticantes de uma economia capitalista, mas desconfiamos imediatamente de qualquer empresário que se aproxime do governo. Não conheço a história do empresário Jorge Gerdau, mas sempre que me deparo com um grande empresário brasileiro não posso evitar a dúvida: seria de fato um empreendedor capaz ou o criador de mais um império financiado a subsídios, como os oferecidos pelas taxas de juros do BNDES? Que melhor instrumento para alavancar o desenvolvimento do que um banco de investimento altamente capitalizado, conduzido por alguém capaz de enxergar as melhores oportunidades no mercado? Ou esse alguém não é quem parece? Ou esse banco não é o que parece?

quarta-feira, 8 de novembro de 2006 08:43:00 BRST  
Anonymous Anônimo disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

quarta-feira, 8 de novembro de 2006 12:31:00 BRST  
Anonymous Cesar Cardoso disse...

Não tem como não deixar de parabenizá-lo, Alon, por ter sido direto ao ponto.

Ou admitimos que Jorge Gerdau está chamando Lula para conversar no "balcão de negócios" ou admitimos que negociações como a com o PTB são normais e até válidas em governos de coalizão, como todos os governos brasileiro pós-1985 o são.

O que não pode é o double-talk que está rolando.

quarta-feira, 8 de novembro de 2006 12:58:00 BRST  
Anonymous paulo araujo disse...

Alon

Concordo com o comentário do Alberto099.

O fato político me parece o seguinte:

Com o PT e o petismo em frangalhos politicamente (fico apenas na afirmação. Argumentar deste meu ponto de vista não caberia aqui. Seria muito longo), resta a Lula chamar "medalhões" para emprestar ao seu (do Lula) governo o que o PT não tem para lhe oferecer. Fosse o PT um partido politicamente vigoroso Lula não precisaria chamar Delfin, Gerdau e companhia bela. Ele já se deu bem com o Alencar e com os "ministros empresários". E já se deu muito mal com os "ministros políticos"

Isso faz o preço do aceite do convite subir. Gerdau está certíssimo. Se Lula quer a sua grife de "homem de negócios bem sucedido", ele (Lula) que pague o que o Gerdau pedir. Afinal, quem escolhe se aceita ou não é o Lula.

O mesmo vale para o PTB. Vai cobrar pelo apoio. O PMDB também vai. Enfim, o preço da aliança é inversamente proporcional ao peso político do partido do presidente Lula.

Concordo com você que fisiologismo é uma rápida e comunicativa palavra que jornalistas e "críticos" adoram usar. Parecido com "privatização".

Tais palavras funcionam como caixinhas de classificação, que facilitam o pequeno entendimento que a maioria das pessoas tem da política e, também, revelam a medida da preguiça mental, ou da burrice, daqueles que, por dever de ofício, deveriam analisar e informar os seus leitores.

abs

quarta-feira, 8 de novembro de 2006 20:41:00 BRST  
Anonymous Beto disse...

Alon, cuidado para não perder a aposta. A Folha de hoje, como quem não quer nada, deu o seguinte, logo após o artigo q fala de Gerdau no Ministério:

Grupo Gerdau recebeu desde 99 R$ 1,75 bi do BNDES
PEDRO SOARES
Na carteira de empréstimos do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), figuram 11 operações de financiamento a empresas do grupo Gerdau que totalizam R$ 1,752 bilhão, segundo dados obtidos pela Folha.


Texto completo em http://www1.folha.uol.com.br/fsp/brasil/fc0911200620.htm

quinta-feira, 9 de novembro de 2006 09:01:00 BRST  
Anonymous Anônimo disse...

Caro Alon:
Porque dinheiro pra rico é fomento e dinheiro pra pobre é populismo?

quinta-feira, 9 de novembro de 2006 18:08:00 BRST  

Postar um comentário

<< Home