sábado, 7 de outubro de 2006

A teoria dos dois vetores (07/10)

Ouvimos de políticos da oposição ao longo de toda a semana que o vetor de Alckmin era ascendente e o de Lula, descendente. E que, portanto, o tucano já deveria provavelmente aparecer ao menos tecnicamente empatado com o petista na primeira pesquisa do segundo turno. Não aconteceu. Mas, se a teoria dos dois vetores não dá conta da realidade deste começo de segundo tempo, o que estaria acontecendo? O debate é livre. Talvez Luiz Inácio Lula da Silva esteja em recuperação. No último Datafolha antes da votação a diferença de segundo turno era de cinco pontos. Agora é de sete. Ou seja, está aumentando [vocês sabem, eu acredito em pesquisas]. Por quê? Talvez Lula tenha chegado ao primeiro turno no osso. Essa é a hipótese favorável a ele. Talvez tenha se beneficiado agora do arrefecimento da pressão, da oposição e da mídia. Vamos ver.

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog (Blog do Alon).
Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.
Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

6 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

Mais provável que seja a segunda Hipótese.
Lula caiu, toda vez que a Globo bateu nele.
É importante frisar: quem tira voto do Lula é o Jornal Nacional.

sábado, 7 de outubro de 2006 19:29:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Caro anonymous, e "quem tira voto do Lula é o Jornal Nacional" lhe parece ser uma verdade tão científica quanto a lei da gravidade né? Ou uma condição da Natureza, irrefutável, inabalável, eterna e sagrada. Tão inabalável quanto a de que pobre tem de conhecer seu lugar, né não? Que cabecinha estreita, cidadão.

sábado, 7 de outubro de 2006 19:57:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

O pedido de apoio do Geraldinho ao Garotinho favoreceu o Lula. O próprio César Maia, do alto da sua cobertura de mais de um milhão, admitiu que foi um tiro no pé. No pé, desculpem, na cabeça.

O imbroglio já produziu até charge animada. Fraquinha, mas com um pouco de graça. Está em:
http://charges.uol.com.br/2006/10/06/alckmin-canta-boogie-do-bebe/

Também teve o apoio do Ivo Cassol, governador reeleito de Rondônia pelo PPS. Aí o Geraldinho, vacinado, abafou.

sábado, 7 de outubro de 2006 22:33:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Acho que as pesquisas têm o papel que tem a análise técnica no mercado de ações, exprimem apenas tendência do dia em que foram feitas. Para um aprofundamento é necessário agregar a análise fundamentalista, que nesse caso tanto a empresa PT quanto a PSDB/PFL com histórico de governança temerária. Porém o CEO do PT é o mesmo, enquanto o CEO do PSDB/PFL foi mudado. Até onde o mercado idenfica o novo CEO como uma continuidade da gestão anterior? O PT certamente apresenta índices muito mais favoráveis que o PSDB/PFL e não adianta dizer que isso se deve a continuidade da política econômica anterior. Além de terem direcionamentos diversos, apenas mostra que a gestão de um foi superior que a de outro. Se passarmos à análise financeira e lembrarmos que saímos de uma situação deficitária para uma situação de reservas da ordem de 75 bilhões,sem vender um único patrimônio público, sem comentários. Resta a batalha publicitária. Até o momento a oposição foi mais "eficiente" em apontar as falhas fundamentalistas do governo atual, escamoteando as suas. O destino das eleições estará definido na capacidade do governo mostrar e ser entendido nas qualidades que o favorecem de sobra. Se conseguir contornar o jogo da oposição em compará-lo desonestamente com outros países e não com seu próprio governo desse país, ainda que com outro representante. Evidentemente, a oposição tentará pautar o debate político na questão que, imediatamente a favorece. Veremos como o "mercado" reagirá.

domingo, 8 de outubro de 2006 13:37:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Cadê o debate?

segunda-feira, 9 de outubro de 2006 07:12:00 BRT  
Anonymous Daniel Negrini disse...

Olá Alon,
O que achou do debate ontem?
Tenho visto vários jornalistas acharem que Alckmin foi melhor que Lula. Descordo. O Alckmin foi mais do mesmo. O tom agressivo que ele demonstrou foi o mesmo que já havia demonstrado, principalmente no final do primeiro turno. A campanha de Lula na TV, pelo contrário, não trazia acusações, apenas realizações destes 4 anos e "promessas" para o futuro. Já no debate o Lula devolveu no mesmo troco, desferiu golpes certeiros. Ao trazer as privatizações para a pauta, o Alckmin ficou perdido... Mesmo que este afirme que não vai privatizar, a frase do Lula é o que vai nos pensamentos dos Brasileiros: "Vocês só sabem privatizar". Essa é a cara do PSDB. Creio que a maioria da população não vê com bons olhos a privatização da Petrobras, por exemplo. Sendo assim, o Alckmin ficou mal, muito mal... Tudo bem, teve muito mais assuntos, mas o Lula trouxe para a roda coisas que o Alckmin não gostou, ficou até nervoso. As 69 CPIs de São Paulo acabam com o discurso ético. As privatizações (Brasil e SP), a educação (fugir do Prova Brasil), a segurança (PCC e Febem, mostram que o Gestor não está com nada...

segunda-feira, 9 de outubro de 2006 10:19:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home