segunda-feira, 9 de outubro de 2006

Os limites da valentia (09/10)

Passou meio batido em meio ao turbilhão eleitoral no Brasil. Reportagem de Hugh Bronstein, da Reuters:

BOGOTÁ (3/10) - Recuando de sua posição anterior, o presidente da Colômbia, Alvaro Uribe, disse na terça-feira que está disposto a negociar a paz com a guerrilha Farc. "Se isso é necessário para trazer a paz, ou para dar um passo na direção da paz, estou disposto", afirmou ele a jornalistas, um dia depois de as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (Farc) proporem um cessar-fogo condicional. "Andei pensando nisso, e a verdade é que minha tarefa é buscar opções", acrescentou Uribe, eleito pela primeira vez em 2002 com a promessa de esmagar os rebeldes. O presidente determinou ao governo que negocie com os rebeldes as condições para realizar uma troca de 62 reféns por guerrilheiros presos, com vistas a um eventual acordo de paz posterior. O governo já mantém negociações preliminares com outra guerrilha de esquerda, o ELN, e desmobilizou mais de 30 mil paramilitares de direita. Com as Farc, será mais difícil.

Clique aqui para ler a reportagem completa
.

Desconfie sempre dos políticos, especialmente em períodos eleitorais. É um exercício saudável. Não compre incondicionalmente as idéias que tentam lhe vender. Pense, raciocine, pondere. Não rompa amizades por causa da paixão política. Deixe sempre uma porta aberta para reconciliar-se com quem pensa diferente de você. Pratique a moderação. Se não por outro motivo, para não se sentir um idiota quando o seu líder decidir que é mais conveniente para ele fazer exatamente o contrário do que disse a você (e a todo mundo) que iria fazer.

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog (Blog do Alon).
Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.
Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

9 Comentários:

Anonymous Rodrigo disse...

Belo conselho

segunda-feira, 9 de outubro de 2006 16:51:00 BRT  
Anonymous Rodrigo disse...

Belo conselho

segunda-feira, 9 de outubro de 2006 16:51:00 BRT  
Anonymous Richard disse...

É exatamente esta a raíz da minha (e de muitos) desilusão com Lula... e pensar que passei anos discutindo c/ meu sogro militar a viabilidade de Lula e PT... fala sério!!!!!!!!!!

segunda-feira, 9 de outubro de 2006 17:26:00 BRT  
Blogger Ricardo disse...

Novamente, discordo de sua visão, Alon. Não vejo nenhuma contradição no que Álvaro Uribe falou e está disposto a fazer. Qualquer governante decente que diz que irá "esmagar" um grupo guerrilheiro sabe que em algum momento, terá que negociar o cessar-fogo e seu desarmamento. Mas a linha é dada: de certo ponto para frente, não há o que se discutir: a democracia tem a primazia sobre os grupos para-estatais.
O que não pode acontecer é o que ocorre, por exemplo, na Bolívia e no Brasil, em que o próprio Estado dá verbas públicas para que grupos guerrilheiros promovam a destruição do próprio Estado. Isso é que é contradição.

segunda-feira, 9 de outubro de 2006 17:55:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

O Alon está sempre sutilmente tentando livrar a cara do Lula. É lógico que todo político tem que ter flexibilidade na implementação de seu programa e pode, em certos pontos, recuar aqui e ali. Como tudo na vida, a questão é de grau.
Não me venham com essa de que "todo mundo mente para o eleitor", "todo mundo rouba". Esse é o discurso que tenta nivelar todas as práticas políticas - as meritórias e as velhacarias. Ou seja: "politico é tudo igual". Não. "Político não é tudo igual". Isso é conversa neopetista. É o petismo neopentecostal.

segunda-feira, 9 de outubro de 2006 17:55:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Pronto, anonimo, voce ja pespegou um adjetivo em alguem. Obrigado pela sua contribuicao ao debate.

segunda-feira, 9 de outubro de 2006 18:11:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Alon. Longe de mim qualquer patrulhamento. Mas vejo algumas manifestações automáticas contra os seus temas, como se fossem vacinas das inteligências das campanhas presidenciais. Paciência.
Rosan de Sousa Amaral

segunda-feira, 9 de outubro de 2006 19:34:00 BRT  
Anonymous Marcus disse...

Brasil dando verbas públicas para grupos guerrilheiros? Puxa, os argumentos tucanos estão cada vez mais alucinados...

segunda-feira, 9 de outubro de 2006 21:27:00 BRT  
Anonymous paulo araujo disse...

Ricardo 10/09/2006 05:55:00 PM

O comentário do Alon que encerra o post cai como uma luva também para os que se ajoelham aos pés daquele que ontem, no debate, disse textualmente que "salvou o Brasil" quando elegeu-se presidente.

O que estranho (estranhamento retórico)é não ter lido na imprensa e blogs "isentos" uma linha sequer sobre a soberba que se oculta nessa fala do egocrata, do "Senhor da Razão".(*)

Concordo quase plenamente com:

"Desconfie sempre dos políticos, especialmente em períodos eleitorais. É um exercício saudável. Não compre incondicionalmente as idéias que tentam lhe vender. Pense, raciocine, pondere.(...). Pratique a moderação (aqui o quase: muitas vezes é preciso praticar a imoderação)(**). Se não por outro motivo, para não se sentir um idiota quando o seu líder decidir que é mais conveniente para ele fazer exatamente o contrário do que disse a você (e a todo mundo) que iria fazer." (Essa última frase eu grifaria, mas o espaço do comment não permite, acho).

(*)"nunca vi um homem, um só, vociferando contra o poder, sem o desejo de possuí-lo…" (Elias Canetti)
posted by FILOSOFIA UNICAMP 9/27/2006
http://eticaciencia.blogspot.com/2006_09_01_eticaciencia_archive.html

(**)"O homem do conhecimento não precisa somente amar os seus inimigos, precisa também poder odiar seus amigos." (Nietzsche)

terça-feira, 10 de outubro de 2006 00:38:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home