quarta-feira, 4 de outubro de 2006

E essa agora? (04/10)

Reportagem de hoje da Folha de S.Paulo, assinada por Fábio Victor e Leonardo Souza:

PF não acha indícios de ligação de Freud Godoy com o dossiê


Pelas informações de que dispõe até agora, a Polícia Federal não reúne indícios do envolvimento do ex-assessor da Presidência Freud Godoy na compra, por petistas, de um dossiê contra tucanos. Caso o inquérito fosse encerrado hoje, a PF não indiciaria Freud. Até mesmo o procurador da República Mário Lúcio Avelar, que pediu duas vezes a prisão temporária de Freud, compartilha agora da tese dos policiais. Segundo a Folha apurou, após o segundo depoimento de Freud à PF, na última sexta-feira, Avelar revelou que não encontrou até agora elementos para acreditar na participação do ex-assessor de Lula. (...) Segundo a PF, o fato de não haver até agora elementos consistentes contra Freud não o inocenta ainda no caso, pois a investigação continua. Caso surja algo que o comprometa, ele poderá voltar a depor e ter sua prisão solicitada de novo. A PF não sabe responder com clareza por que Gedimar teria citado o nome do ex-assessor de Lula. Policiais envolvidos na investigação não crêem, como alguns petistas, que Freud tenha sido apenas um bode expiatório, para que Gedimar não fosse abandonado pelo PT numa hora de fraqueza. Acham que a menção a Freud não foi à toa. Mas, dada a ausência de provas contra o ex-assessor, são obrigados a admitir que o pedido de prisão contra ele não tem consistência.

Clique aqui para ler a reportagem completa (assinantes da Folha ou do UOL)
.

De vez em quando acontece uma coisa chata, que é a cobertura jornalística de um determinado assunto perder destaque quando os desdobramentos são menos sensacionais, ou quando não são adequados a determinados propósitos políticos. Eu não sei se Freud Godoy é inocente ou culpado nessa história do dossiê. Sei que foi incinerado instantaneamente quando o nome dele apareceu na história. Só por curiosidade, vou ficar acompanhado as investigações sobre o caso de Godoy até o final. Estou ansioso para saber no que vai dar.

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog (Blog do Alon).
Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.
Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

10 Comentários:

Anonymous Swamoro Songhay disse...

Alon, desculpe pela brincadeira, com coisa séria. Mas não é fácil resistir. Isso parece mais as aventuras espaciais da Sigourney Weaver(Comandante Ripley)com aquele canhão laser. Ao menor sinal de um alien, fogo nele.Incineração total. Para não sobrar nem as cinzas. Se não havia alien, arranja um. Exterminado o alien, nada aconteceu, pois aliens não existem. É dose.

quarta-feira, 4 de outubro de 2006 09:41:00 BRT  
Anonymous Leonardo Bernardes disse...

Faz bem, Alon. Também estou acompanhando porque tudo isto é importante para o curso do debate no segundo turno.

Se você me permite sugerir uma matéria para um comentário seu, eu gostaria de indicar a reportagem da Folha que trata da Estratégia de Lula para o segundo turno de vincular a imagem de Alckmin (PSDB) a de FHC, no que respeita aos escândalos.

Para quem pretende sanear a política, o regime de sistematicamente arquivar e impedir investigações parece um PATENTE PARADOXO!

quarta-feira, 4 de outubro de 2006 09:59:00 BRT  
Blogger Ricardo disse...

Até onde sei, o envolvimento do Freud teria se dado via telefone. E o sigilo telefônico dele ainda não foi quebrado, certo? Portanto, calma com o andor. O dinheiro veio de algum lugar, Freud se encontrou com o pessoal nos dias anteriores à montagem da farsa. Ou seja, da mesma forma que ainda não há nada, também não se pode dizer que o nome dele surgiu à toa.

quarta-feira, 4 de outubro de 2006 10:45:00 BRT  
Anonymous jose carlos lima disse...

Extraído do blog Contraponto - monitoramento crítico da mídia http://blog.contraponto.com.br "TCU DERRUBA UMA DAS PRINCIPAIS
DENÚNCIAS DA CPMI DOS CORREIOS. MAS
A MAIORIA DOS JORNAIS ESCONDE A NOTÍCIA19 de Junho de 2006 às 08:08 · admin · Arquivado sob Notícias

Apenas dois jornais – Folha de S.Paulo e O Globo -, durante o fim de semana prolongado, registraram a decisão unânime do TCU (Tribunal de Contas da União) que elimina uma das principais acusações da CPMI dos Correios, – a de que os negócios entra a Caixa Econômica Federal e o BMG serviram para fazer caixa para o esquema do publicitário Marcos Valério que, por sua vez, abasteceu o mensalão.

No sábado, a colunista Tereza Cruvinel escreveu que “o TCU considerou totalmente regular a operação de aquisição da carteira de crédito consignado do BMG pela Caixa Econômica Federal”.

quarta-feira, 4 de outubro de 2006 11:14:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

quarta-feira, 4 de outubro de 2006 13:03:00 BRT  
Anonymous Marco Silva disse...

Alon,
imagino que seja, também, "apenas uma coisa chata" o fato de O Estadão ter finalmente descoberto o acidente em MT no dia em que o Alckimin aceitou o apoio dos Garotinhos, certo?

quarta-feira, 4 de outubro de 2006 15:04:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Pode deixar que assim que o Alckmin bater o Lula no segundo turno a Veja vai soltar uma matéria explicando tim-por-tim como foi esta e outras armações dos tucanos e seus laranjas para voltar ao poder. Saiu algo do tipo em '98.

quarta-feira, 4 de outubro de 2006 15:24:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Aproveitando o clima do atual momento, reli a Carta ao Povo Brasileiro. Lá está o espírito que norteou a política econômica, ou seja, o compromisso de continuar com a ortodoxia do período anterior: austeridade fiscal, contingenciamento de verbas orçamentárias, câmbio livre, juros reais elevados. Aspectos entendidos como inibidores do crescimento, principalmente a política de juros, que favorce a aplicação financeira e inibe os investimentos. Depois, as falas onde aceita-se comparar os dois governos nos debates. Será muito esclarecedor, para entender mais como a política, do governo que está findando, conseguiu aprofundar a ortodoxia do período anterior, atitude tão elogiada pelo mercado e pela imprensa. Apesar das contínuas crises pelas quais passou.

quarta-feira, 4 de outubro de 2006 16:59:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Quando acontece com gente comum, como a escola de base, a gente fica puto com a imprensa. Mas em política acontece o tempo todo e ninguém fica constrangido. Afinal, é político, né. Nossa mídia está no mesmo nível de nossa política, enfim.

quarta-feira, 4 de outubro de 2006 17:19:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Alon. Há uma cena no filme Matrix (o 2º) na qual o mocinho ("New") é atacado por centenas de "Agentes Smith". É uma pancadaria em progressão geométrica. No final o mocinho derrota todos os agentes e foge. Os agentes concertam os seus respectivos colarinho e saem de fininho como se nada tivesse acontecido. A impressão que tive hoje com a omissão dos jornalistas que até utilizaram do rótulo "dossie freud" é que estão saindo de fininho após o anúncio da PF, como se dissessem "não me diz respeito". Pode até ser que o Sr. Freud tenha culpa no cartório. Mas o episódio lembra sim o caso da "Escola de Base" ocorrido em São Paulo.
Rosan de Sousa Amaral

quarta-feira, 4 de outubro de 2006 22:02:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home