domingo, 17 de setembro de 2006

Uma voz sensata sobre a Bolívia, no campo de Alckmin (17/09)

Acabei de assistir a um debate na Globonews com representantes dos candidatos à Presidência. O embaixador Sérgio Amaral representou o tucano Geraldo Alckmin. Perguntaram-lhe o que criticava na atitude do governo brasileiro no caso da Bolívia. Ele disse o que criticava e o que deveria ser feito (claro que na opinião dele). Criticou a duplicidade do discurso, desenhada na dureza da Petrobrás (com acento) e no tom conciliatório do Itamaraty e do Palácio do Planalto. E o que ele acha que deveria ter sido feito? Respondeu em três pontos:

1) O Brasil deveria reconhecer o direito de a Bolívia nacionalizar o seu setor de hidrocarbonetos.
2) O Brasil deveria deixar claro que qualquer desapropriação deveria ser indenizada.
3) O Brasil deveria aceitar abrir negociações sobre o preço do gás que a Bolívia nos vende, se isso fosse uma demanda de La Paz.

Perfeito. Mas o que tudo isso tem a ver com o discurso de Alckmin e aliados pedindo "mais dureza" no trato com a Bolívia? Nada.

Clique aqui para assinar este blog (Blog do Alon).
Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.
Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

5 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

Mas não é que foi feito?

domingo, 17 de setembro de 2006 13:41:00 BRT  
Blogger Ricardo disse...

Ué, o item 2 não é endurecer?

domingo, 17 de setembro de 2006 14:00:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Nacionalizar indenizando é uma coisa, o Lula quer ainda por cima, depois de ser tungado, ajudar o Evo.
Completamente diferente.

domingo, 17 de setembro de 2006 14:17:00 BRT  
Anonymous Sergio Maidana disse...

O que tem a ver?

simples meu caro K. O governo Lula não soube dar resposta alguma ao governo boliviano, igual a história da diferença do cedro com o leão.

Lula foi tão fraco que demorou uma semana para saber oq eu falava,e nquanto isso o governo americano, venezuelano e argentino ocupou o espaço da Petrobras.

Lula não disse que queria a indenização, nem que queria continuar na bolívia, ficou igual a marido traido perguntando : "você fez isso comigo"?

E tem cara de esquerda, que se diz nacionalista, apoiando este governo (que não é o seu caso Alon, já que tenho lido este blog e visto que você não apoia o Lula - pelo menos este Lula que se apresenta por aí). É muito gadernal para minha cabeça.

domingo, 17 de setembro de 2006 19:47:00 BRT  
Anonymous Rodrigo disse...

Esse Alckmin Chuchuzão nunca teve programa, nunca teve discurso...

segunda-feira, 18 de setembro de 2006 08:23:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home