segunda-feira, 18 de setembro de 2006

Republicação: "31 de março, há 42 anos" (18/09)

Republico, pela atualidade, artigo postado aqui em 31 de março deste ano, na passagem dos 42 anos do movimento militar (ou cívico-militar, como queiram) que derrubou João Goulart. Um trecho:

Alguns não compreendem o porquê desse ódio acumulado e aparentemente inesgotável entre o PSDB e o PT. Não é tão difícil assim entender. É um pouco como as guerras entre sérvios e croatas e entre judeus e palestinos. Quando se odeiam, irmãos o fazem a taxas bem mais elevadas do que seria razoável. As duas legendas têm origem antigetulista. Nasceram da negação, respectivamente, dos dois vetores políticos que carregavam a marca de Getúlio Vargas: o Partido Social Democrático (PSD) e o Partido Trabalhista Brasileiro.


Clique aqui para ler o post na íntegra.

Clique aqui para assinar este blog (Blog do Alon).
Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.
Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

5 Comentários:

Anonymous Anônimo disse...

Pode buscar também os textos sobre Lacerda, pois o golpismo está lançado

segunda-feira, 18 de setembro de 2006 12:42:00 BRT  
Anonymous Paulo Araújo disse...

Alon

Sim a consanguinidade está ai. Mas há também uma outra genealogia que remete diretamente para a nossa velha conhecida AP

Sugiro um post, se você tiver tempo e gosto, sobre o assunto.

Lembra do Serjão lá no Movimento?
abs

segunda-feira, 18 de setembro de 2006 13:20:00 BRT  
Blogger Paulo C disse...

As coincidências são tantas que acho que o autor do reteiro até exagerou. Como disseram aí em cima, o texto que precisava ser recuperado era sobre o atentado na Rua Toneleiros.

A primeira vez foi tragédia, será que agora é farsa?

segunda-feira, 18 de setembro de 2006 13:54:00 BRT  
Blogger Fernando disse...

Calma pessoal, o proximo é a empresa da mulher dele ser a responsavel pelos grampos no TSE.

Vc ainda não viram nada...

Asta

segunda-feira, 18 de setembro de 2006 14:48:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Magrello, também percebi isso. Parece uma novela policial escrita de trás pra frente: tudo arrumadinho, tudo certinho. A mulher do Freud foi quem grampeou o TSE. Tudo certinho. Eu me pergunto se não haverá alguém capaz de desfazer esse roteiro policial que de tão óbvio chega a ser primário.

segunda-feira, 18 de setembro de 2006 16:59:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home