quarta-feira, 6 de setembro de 2006

Muito barulho por (quase) nada (06/09)

Vamos esquecer um pouco do "eu acho". Vamos comparar números do Datafolha.

1) Pesquisa de 20 e 21 de fevereiro deste ano. A última antes de ser definido o candidato do PSDB. Cenário sem José Serra e sem Anthony Garotinho (a situação mais próxima da atual), em votos válidos para o primeiro turno:

Luiz Inácio Lula da Silva 57%, Geraldo Alckmin 25%, Heloísa Helena 10%, Cristovam Buarque 1%, outros (Roberto Freire e Germano Rigotto) 8%

A mesma pesquisa, para o segundo turno, também em votos válidos:

Lula 60%, Alckmin 40%

2) Pesquisa de 4 e 5 de setembro deste ano, em votos válidos para o primeiro turno:

Lula 57%, Alckmin 30%, HH 10%, Cristovam 1%

A mesma pesquisa, para o segundo turno, também em votos válidos:

Lula 60%, Alckmin 40%

Para quem tiver paciência e quiser conferir, é só entrar no site do Datafolha e fazer as contas. Eu fiz as aproximações matemáticas necessárias (por isso as somas apresentam pequenas deformações), mas se você deseja saber os números depois da vírgula, pegue uma calculadora e fique à vontade. Se achar algum erro meu de conta, por favor me avise. No site, você verá ainda que, fora pequenas flutuações que se compensam (o velho problema da margem de erro aumentar conforme diminui a amostra), há uma grande estabilidade nos segmentos (renda, instrução, região, etc). Ou seja, para efeitos práticos, nada aconteceu na campanha presidencial de fevereiro para cá. Ah, sim! Alckmin tomou para si a maioria dos (poucos) votos de Roberto Freire e Germano Rigotto. Está longe de ser uma façanha. Se não chega a ser muito barulho por nada, é certamente muito barulho por quase (generosidade minha) nada.

Clique aqui para assinar este blog (Blog do Alon).
Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.
Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

5 Comentários:

Blogger Paulo C disse...

Como nada? Como nada? E a prefeitura de Pinda em 2008?

Mas os números que você apresentou mostram ainda um Alckmin inchado - daqui até outubro há tempo para ele descer até seu teto natural de 25%.

quarta-feira, 6 de setembro de 2006 14:54:00 BRT  
Anonymous Cesar Cardoso disse...

Quer dizer... rodamos, rodamos, rodamos e 6 meses e meio depois voltamos à primeira casa do jogo.

E ainda acreditam que o candidato da oposição vai decolar...

quarta-feira, 6 de setembro de 2006 15:02:00 BRT  
Blogger Ricardo disse...

Pra variar, discordo de Paulo C. Possivelmente, dado os números atuais, Alckmin termine próximo dos 30%, já que Serra, na última eleição, subiu quase 6% em relação às pesquisas anteiores ao pleito - simplesmente porque a amostra não capta tanto a classe média urbana (não está necessariamente nas ruas) e pela alta taxa de não-compareciemnto do Nordeste.

quarta-feira, 6 de setembro de 2006 16:08:00 BRT  
Blogger Paulo C disse...

ricardo, eu estava só sendo irônico. Sério, acho difícil o Alckmin chegar aos 30% - a famosa abstenção do Nordeste não é tão grande e os indecisos historicamente tendem ao líder. E mais, dependendo do tom da campanha nestes últimos dias, ele pode cair mesmo.

quarta-feira, 6 de setembro de 2006 18:31:00 BRT  
Anonymous jose carlos lima disse...

Já se fez de tudo para o Geraldo decolar, de pregação de volto nulo a defesa da candidatura Heloisa Helena. Mudando de assunto, estou em Nova York, no vale do rio Parnaíba, no Maranhão. Pena que minhas férias estejam acabando. Amo Nova York.

quarta-feira, 6 de setembro de 2006 19:40:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home