sábado, 30 de setembro de 2006

Corrosão (30/09)

De volta para casa. De volta para o notebook. Pela primeira vez, o Ibope e o Datafolha indicam corrosão no eleitorado próprio de Luiz Inácio Lula da Silva. Sai do patamar dos 50% e vai para o patamar dos 45%. Geraldo Alckmin sobe dois pontos em cada um dos dois levantamentos. Tecnicamente, o que há nos dois casos são oscilações dentro da margem de erro (clique nos gráficos para ampliar), mas é altamente improvável que ambos os institutos apresentem oscilações semelhantes dos candidatos e estejam os dois errados. De todo modo, o resultado das pesquisas de hoje deixa Datafolha e Ibope numa posição confortável: seja qual for o resultado de amanhã (vitória de Lula ou segundo turno), os dois têm boas chances de terem acertado em seus últimos números. Um dado importante do Datafolha é a distância de apenas cinco pontos entre Lula e Alckmin no segundo turno. Hoje de manhã, conversava com um amigo no telefone e lembrava de uma frase que ouvi de um dos maiores publicitários brasileiros (não digo quem é, pois não lhe pedi licença para contar a história), isso nos tempos heróicos da Internet. Ele dizia que a partir de um certo investimento em mídia não há como deixar de criar uma marca forte. Massa crítica. Tecnicamente, faz sentido. Por paralelismo, eu poderia dizer que a partir de um certo volume não há como a propaganda negativa deixar de fazer algum efeito. O interessante é o volume de propaganda negativa que foi necessário para começar a corroer a base eleitoral de Lula. Bem, amanhã saberemos o que aconteceu, se essa corrosão foi suficiente para proporcionar ao eleitor mais uma oportunidade de ir às urnas no fim de outubro. Se tivesse que comparar com o aproveitamento escolar, eu diria que o PT fez de tudo para ficar de recuperação. Não era fácil, mas ele fez de tudo. Bons votos para vocês. E quero agradecer a cada um que viajou comigo neste blog ao longo dos últimos meses. Agüentando minhas ausências, minhas certezas teimosas, minhas relutâncias e minhas convicções. Procurei tratar a todos (e a todas as modalidades de pensamento) com respeito. Não sei se consegui 100%. Mas eu tentei. Até amanhã.

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog (Blog do Alon).
Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.
Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

8 Comentários:

Anonymous Metatron disse...

As três pesquisas Vox, Ibope e Data, estão muito próximas uma das outras. Na expontânea do Vox o Pres. Lula teve 44% e o Gov. Alckmin 30%, ou seja, os restantes 6 adversários teriam que somar 14% dos votos para haver um 2° turno. Em 2002 haviam dois candidatos bons de voto no páreo, Garotinho e Ciro. Dessa vez a ausência dos dois deixou um eleitorado órfão que tende a se abster, anular seu voto. Sinceramente não acredito que os outro 6 candidatos somem 14% dos votos. Houve uma extensa campanha pelo voto nulo, infelizmente ele até pode ser a terceira opção mais votada. Se os candidatos principais já tem cristalizados juntos 74% do eleitorado sobram 26% para os 6 candidatos, os nulos, brancos e abstenções. Uma eleição muito polarizada que tende a ser concluída hoje.

sábado, 30 de setembro de 2006 23:36:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

FRAUDE NA DIVULGAÇÃO DE PESQUISAS EM SERGIPE:
Pesquisa do Ibope, divulgada hoje, mostra Marcelo Deda (PT) com 53% dos votos válidos, contra 43% de João Alves. A mesma pesquisa mostra empate na disputa ao senado entre os candidatos do PT e PFL. A divulgação da pesquisa havia sido proibida pelo TRE de Sergipe. Mas o TSE autorizou a divulgação.
http://oglobo.globo.com/pais/eleicoes2006/mat/2006/09/30/285915578.asp

Enquanto isso pequenos institutos divulgam pesquisas, ou mais antigas (Cinform), ou com resultados completamente diferentes - sempre com João Alves e Maria do Carmo (PFL) bem na frente - , nos principais jornais de Sergipe. O mesmo faz Fernando Rodrigues, da Folha de São Paulo e UOL:
http://www.cinform.com.br/cinform.php?var=1159150164
http://www.jornaldacidade.net/noticia.php?id=52421
http://uolpolitica.blog.uol.com.br/

domingo, 1 de outubro de 2006 00:18:00 BRT  
Anonymous Jose Augusto disse...

Não me perfilo entre aqueles que desacreditam pesquisas. Mas nas entrelinhas das pesquisas há leituras a serem feitas, que são amplamente favoráveis a vitória de Lula no 1o. turno. Enumero:
1) Há 4% de brancos e nulos (esse voto é consciente e não deve mudar), mas há 5% de votos de "não sabe/não opinaram" (indecisos). Me parece ser votos majoritariamente em Lula. O dito voto envergonhado.
2) A pesquisa pegou o pior momento de Lula: falta ao debate e recall do dossiê com a pulbicação das fotos do dinheiro. É possível que uns 2% de votos voláteis que Lula perdeu ontem e hoje, pelo menos metade volte para ele amanhã.
3) O voto útil da esquerda dissidente. Pode não ser tão grande assim, mas quando Lula aparece ameaçado, alguns segmentos voltarão a votar nele para evitar uma vitória hipotética de Alckmin (não aconteceria se HH ou Cristovam estivessem melhor cotados, disputando o 2o. lugar com Alckmin).
Mas quem vota é o eleitor, e amanhã saberemos se estou certo ou errado.

domingo, 1 de outubro de 2006 00:55:00 BRT  
Anonymous Kleber Matos disse...

Por que sempre o PT tem que levar o maior fardo? A transformação do dito escândalo do dossiê num "factual continuo" não é obra do PT. A tendencia na interpretação de "factual contínuo" não é obra do PT. O free lancer do Delegado da PF para a campanha, não é obra do PT. O pouco que flutua diz mais do trabalho de mídia e não das trapalhadas do PT. É importante notar que é uma flutuação pequena, como disse alguém antes, dentro da margem de erro. A força da Globo tái! Palpite da manhã: Lula 53,7 dos votos válidos. Saudações!

domingo, 1 de outubro de 2006 08:39:00 BRT  
Blogger Luca Sarmento disse...

Corrosão, com razão!

domingo, 1 de outubro de 2006 09:26:00 BRT  
Anonymous Swamoro Songhay disse...

Propaganda negativa ou fatos negativos perpetrados. É o que pode permear a discussão. Cada lado verá sob a sua ótica. A grande tarefa cabe ao eleitor. Será a de desmistificar a vida política dos últimos quatro anos, ou, ao menos, tentar com uma mensagem clara, já prenunciada nas últimas sondagens. Pena que as lições nunca são aprendidas e as mensagens do eleitor não são apreendidas. Ou melhor, são distorcidas, caso (como sempre)sejam tomadas como avalizadoras.

domingo, 1 de outubro de 2006 09:39:00 BRT  
Anonymous jose carlos lima disse...

Fui fiscal de votação da coligação A Força do Povo. Estive me perguntando se Lula perderia mais votos indo ou não indo ao debate. A minha conclusão é que o presidente perderia mais votos indo ao debate. Pelo seguinte motivo: num ou noutro caso, a arapuca já estava montada. A mídia explorou de forma magistral a não ida de Lula ao debate e muitos eleitores deixaram-se levar pelo blá blá da Globo. Não nos esqueçamos de que na disputa Collor x Lula, este perdeu por causa da eficiente manipulação da Globo. Concluindo: o Partido da Mídia Brasileiro é eficentíssimo. Do Partido do Tribunal Superior Eleitoral nem se fala. Vi pessoas reclamando do tamanho do campo e do número que aparecia na tela durante a votação. Imagine esta dificuldade para quem não é acomstumado com computador. Agora entendo por que Diogo Marinardi, clamando o eleitorado de Lula de analfabeto, afirmou que tais eleitores teclariam errado. Vai ver que ele já estava a par de mais esta tramóia de Marco Aurélio/TSE com sua urna embassada. Não aguento a Rapunzel com seus grampos. Depois convocou entrevista coletiva para dizer que recebeu ameaça de morte por telefone. Ontem em cadeia nacional de rádio e TV fechou! Entou o conhecido discurso psdbfelento. Fico até imaginando qual será a próxima arapuca a ser montada pela Rapunzel dos trópicos neste segundo turno.

domingo, 1 de outubro de 2006 18:19:00 BRT  
Anonymous Swamoro Songhay disse...

Na realidade, Lula, magistralmente, não foi ao debate. Assim, não foi a midia mostrou quem, efetivamente, não estava presente naquele momento. Como, também, não foi a midia que criou o segundo turno. Lula, efetivamente, não venceu no primeiro turno. As urnas mostraram que ele não obteve os votos para vencer no primeiro turno. Ao menos para os olhos de simples mortais. Contudo, pode ser que haja alguém dotado de capacidades excepcionais, que possam enxergar além disto tudo. Perdoa-se. Mas não se acredita.

segunda-feira, 2 de outubro de 2006 09:11:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home