quinta-feira, 24 de agosto de 2006

Tempos sombrios (24/08)

Do Blog do Reinaldo Azevedo (ex-Primeira Leitura):

" Perdão se não sou óbvio e errado

Tá bom... Vocês querem que eu entre no 'pega-pra-capar'? Não entro. E vou avisando: está errado. Não se fazem instituições assim. Menos ainda democracia. Relutei em entrar neste caso de tão irritado que fiquei. Nada pior do que viver dias de transe autoritário, como estes, apimentados por um moralismo tão estridente como inconstitucional. Que ainda acaba contando com o apoio de setores da mídia. William Waack aplaudiu no Jornal da Globo e ainda expressou o desejo de que a moda pegue. Mas do que estou falando? O Tribunal Regional Eleitoral do Rio proibiu os deputados federais Paulo Baltazar (PSB-RJ), Reinaldo Gripp (PL-RJ), Fernando Gonçalves (PTBG-RJ) e Elaine Costa (PTB-RJ) de concorrer à reeleição. Eles são acusados de participar do chamado esquema dos sanguessugas. Com a devida vênia, os juízes estão jogando para a torcida. Têm de jogar para o Estado de Direito. Como é que se pode determinar isso antes da condenação transitada em julgado? É inconstitucional. Eles vão recorrer e vão ganhar. E aí se cria aquela onda contra quem decidiu segundo a lei, cumprindo o seu papel. Os partidos podem lhes tirar a legenda; os eleitores podem cassar o seu mandato. Uma reforma política pode vir a mudar as regras de sorte que não possam concorrer. Mas não se pode jogar no lixo a Constituição e as leis porque queremos fazer justiça. Por estranho que possa parecer, o Estado de Direito também protege bandidos. E, no dia em que não o fizer, o cidadão de bem também estará sob risco, acreditem. Mas, claro, é preciso que, protegendo a ambos, também saiba fazer as distinções. Essa decisão foi puro espetáculo de exibicionismo. Nada além."


Nada a acrescentar. Nada a retificar. Isso lembra aquela história do tempo do AI-5. O maior problema nas ditaduras não é exatamente o poder dado ao ditador. É o poder dado ao delegado de polícia.

Consultar a Constituição de vez em quando não faria mal a ninguém.

Clique aqui para assinar este blog (Blog do Alon).
Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

8 Comentários:

Anonymous Cesar Cardoso disse...

No fundo, é aquela história: enquanto a fúria sanitizadora-moralizante-autoritária passar longe da "opinião pública" (esse troço que no Brasil se localiza na Zona Sul do Rio, nos Jardins e no Plano Piloto), está ótimo. A hora que chegar neles... aí vamos ver remixes das passeatas-do-Viva-Rico contra a violência.

A elite desse país só me consegue fazer rir.

quinta-feira, 24 de agosto de 2006 13:29:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

ora veja, quem diria, jamais pensei que um dia iria concordar com o reinaldo....será que agora estamos os dois corretos, ou um de nós continua errado?

quinta-feira, 24 de agosto de 2006 16:15:00 BRT  
Anonymous Fernanda disse...

Ora, ora, agora o senhor Reinaldo se lembra do Estado de Direito. Mas quando eram os dólares de Cuba, os dólares na cueca, o "depoimento" de Toninho Barcelona, as "denúncias" de R. Jefferson, ele não falou no Estado de Direito.

quinta-feira, 24 de agosto de 2006 20:18:00 BRT  
Anonymous Luis disse...

Ao juiz é dado o direito e o dever de julgar. Baseado nas evidências, um juiz eleitoral pode sim determinar que um candidato não cumpre a condição de "reputação ilibada", assim como um juiz civil pode determinar uma indenização pelas conseqüências de um crime sem que haja a condenação criminal. Nada disso foge do estado de direito; o Reinaldo Azevedo só gosta de aparecer sendo do contra e o Alon, infelizmente, caiu no truque...

quinta-feira, 24 de agosto de 2006 22:21:00 BRT  
Anonymous José Augusto disse...

Também acho que critérios como falta de idoneidade moral tem um componente de subjetividade, mas independe de condenação. Alguém que sonegou impostos, confessou, fez acordo, pagar multa, quitou, obtém certidão negativa, mas só pagou porque foi pego. Então seu passado é desabonador para legislar sobre impostos e outras coisas.
Concordaria com a tese de liberar estas candidaturas se o candidato tivesse uma rotulagem semelhante à das propagandas de cigarrro, indicando as consequências.

sexta-feira, 25 de agosto de 2006 00:17:00 BRT  
Anonymous Julio disse...

Alon, gosto muito do seu blog ! Mas postar artigos ou comentários do Reinaldo Azevedo... é não só desnecessario como inoportuno. Esse senhor é a representação da direita mais cretina e burra desse país. Um jornalista chapa-branca, pedante, metido a intelectual, que, num país de anos de desgovernos tucanos, acha-se a última coca-cola do sertão. Poupe-nos dessa tortura

sexta-feira, 25 de agosto de 2006 01:09:00 BRT  
Anonymous paulob disse...

Eu não quero saber se o Reinaldo Azevedo é ou não de direita ou se gosta ou não do Lula. Neste caso ele está certíssimo. Agora só faltava essa, a gente só querer ler coisas com que a gente concorda. Para que ler então? Basta a gente se olhar no espelho e dizer: como eu sou legal!!

sexta-feira, 25 de agosto de 2006 09:16:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Meu Deus! O horror! O horror! Um blog de bom nível não merece um comentarista oco como esse Júlio. O sujeito entra numa caixa de comentários para vomitar jargões ignorantes sobre política, ainda por cima com a soberba petulância de querer pautar o dono do veículo? Sei não. E chamar o Reinaldo Azevedo, um dos mais ácidos e competentes críticos desse governozinho medíocre e antidemocrático de chapa-branca? Ô Júlio, sabes quem é o chapa-branca da hora. Mino Carta? Caros Umbigos? Mary Leena Shall-We? Estão aí às pampas, é só escolher. Chamar o Reinaldo de direitista cretina e burra apenas demonstra o abismo de sua ignorância. Discordar ideologicamente de alguém, como por exemplo, do dono desse blog, não me impede de reconhecer inteligência aqui. Diferente de alguém tão raso quanto vossa senhoria.Me explique o que é direita no Brasil, por favor. O PSDB?!!!! E no final das contas o post do Reinaldo está corretíssimo, quem há de negar?

Kbção

sexta-feira, 25 de agosto de 2006 16:16:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home