terça-feira, 29 de agosto de 2006

Situação de Lula mostra que a liberdade de imprensa funciona (29/08)

O repórter Fábio Zanini revelou na Folha Online trechos de um esboço de programa do PT para democratizar a comunicação num eventual segundo mandato de Luiz Inácio Lula da Silva. Convivem no texto dois vetores. O primeiro pressiona por mais controle estatal (ainda que apresentado como "social") sobre os veículos. O segundo propõe multiplicar os veículos para, assim, reforçar (ou forçar) o pluralismo na produção e distribuição de conteúdo informativo. Claro que estou resumindo. O debate é (ou pretende ser) bem mais complexo que isso. Mas eu vou me dar ao luxo de simplificar. Minha sugestão: em primeiro lugar, abandone-se definitivamente toda e qualquer iniciativa "controladora" e concentremo-nos (a sociedade) em universalizar o acesso à Internet. E, se querem estimular com verbas públicas a proliferação de veículos, resta saber como eles poderão ser de fato independentes de quem os financia (no caso, o governo). Uma pergunta simples: o governo aceitaria financiar um jornal, site ou blog cuja linha editorial fosse sistematicamente crítica em relação ao governo? Ou a "independência" nesse caso seria apenas uma fachada para o governismo? Está na cara que não vai funcionar. Só vai dar confusão. O PT já fez bobagens demais nessa área. O PT precisa passar por um "aggiornamento" e se converter, definitivamente, à liberdade de imprensa. Ela funciona. A situação eleitoral de Lula é a maior prova disso.

Clique aqui para assinar este blog (Blog do Alon).
Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.
Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

8 Comentários:

Anonymous Antonio disse...

Liberdade de imprensa? Quem disse o contrário? A Folha de São Paulo tem toda a liberdade para manipular estatísticas, minimizar, maximizar, esticar, desdobrar, esconder e por ai vai! Isso vale para todos os jornalões!
O que falta na nossa mídia: responsabilidade!
Em tempo: uma boa lei responsabilizando o dono do (jamais o jornalista) comércio caia bem, uma boa multa paga em juízo imediatamente, seria ótimo. A irresponsabilidade da nossa mídia é gritante. Errou, caluniou! Multa milionária, se não tem? Falência. Espaço para “outros donos” é que não falta. Oxigênio e mídia são antônimos.

terça-feira, 29 de agosto de 2006 02:51:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

A regulamentação da mídia é assunto para o CADE. O Brasil é provavelmente junto com a Itália de Berlusconi um dos pucos países que permite tão grande concentração de capital em setor tão sensível como a årea de comunicação. Nos EUA, não é possível pelas informações que disponho um mesmo grupo econômico ter a proporiedade de um jornal e de uma TV em uma mesma cidade. Essa é talvez a explicação do NYT não ter uma emissora em NY.

terça-feira, 29 de agosto de 2006 11:10:00 BRT  
Anonymous carcamano disse...

Concordo 100% com seu ponto de vista em relação ao governo. Mas falta a imprensa também revisitar seus mitos fundantes (como a bandeira da imparcialidade) e deixar a prepotência de se imaginar dona da verdade. Talvez aí possamos começar falar também de liberdade de imprensa e não apenas de liberdade de impressão.
De qq forma, este comentário está em um espaço, um Blog, que promete transformar a forma de transmissão da informação, levantando até mesmo a questão da necessidade de um profissional especializado, o jornalista, para o papel de mediador entre a informação e o leitor. Mas entre a pontecialidade e sua efetivação tem a realidade histórica.

terça-feira, 29 de agosto de 2006 12:10:00 BRT  
Anonymous carcamano disse...

Concordo 100% com seu ponto de vista em relação ao governo. Mas falta a imprensa também revisitar seus mitos fundantes (como a bandeira da imparcialidade) e deixar a prepotência de se imaginar dona da verdade. Talvez aí possamos começar falar também de liberdade de imprensa e não apenas de liberdade de impressão.
De qq forma, este comentário está em um espaço, um Blog, que promete transformar a forma de transmissão da informação, levantando até mesmo a questão da necessidade de um profissional especializado, o jornalista, para o papel de mediador entre a informação e o leitor. Bem, mas entre a possibilidade e a efetivação tem toda a realidade histórica.

terça-feira, 29 de agosto de 2006 12:15:00 BRT  
Anonymous Fernando Trindade disse...

Concordo que se deve abandonar intenções 'controladoras' e trabalhar rumo à universalização (prefiro o termo democratização) do acesso, não só à Internet, mas à mídia em geral (rádios e TVs comunitárias, p.ex). Entendo também que à medida que os 'de baixo'melhorem suas condições de educação e renda passarão a se interessar mais por notícias e análises de notícias.

Desse modo,o melhor que o governo pode fazer para romper o elitismo da mídia é ampliar e consolidar as politicas públicas para a inclusão dos 'de baixo' que vem fazendo. Com isso acredito que a tendência será surgir no próprio mercado (é isso mesmo, mercado) alternativas menos conservadoras de meios de mídia impressa.E o governo deve incentivar tais alternativas (os jornalões não têm recebido ao longo do tempo um incentivo ou outro?)

Por outro lado, não acho ruim aumentar o percentual de capital estrangeiro em jornal e TV não (hoje limitado em 30%, art. 222, § 1º da CF). A nacionalização atual serve é para facilitar a vida dos donos de jornal, com seus editoriais alérgicos a povo, que estamos assistindo.Como você bem já disse antes, as elites daqui são mais 'atrasadas' que as d'além mar.

Por fim, também não acho ruim as ONGs pela democratização da mídia denunciarem a concentração e o vezo de classe da grande mídia e pedirem ação do Governo quanto a isso não. O Governo é que tem que ter a sabedoria de não embarcar em idéias controladoras e estatistas, sabendo separar o joio do trigo. E o PT, embora não possa se confundir com o Governo, não pode especialmente esquecer que é Governo e fragilizá-lo junto à oposição com idéias estatistas e hegemonistas nessa área. Atenciosamente, Fernando Trindade

terça-feira, 29 de agosto de 2006 12:25:00 BRT  
Anonymous Rodrigo disse...

Concordo 100% com voce Alon, só quando quase todas pessoas tiverem acesso a internet (de preferencia banda larga), e esse dia vai chegar, vai acacom esse negócio de 5 ou 6 senhores decidirem o que é verdade e o que devemos pensar!

terça-feira, 29 de agosto de 2006 12:43:00 BRT  
Blogger Leonardo Bernardes disse...

Embora o título seja: "Situação de Lula mostra que a liberdade de imprensa funciona" aqui você não tratou (nem de longe) de estabelecer o que foi afirmado. A minha opinião é que de a situação de Lula mostra que a função da imprensa foi rearranjada -- embora seja imprescindível que ela (re)assuma novamente seu lugar na constituição do Estado.

Abraços

terça-feira, 29 de agosto de 2006 22:37:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Este comentário foi removido por um administrador do blog.

quarta-feira, 30 de agosto de 2006 13:29:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home