quarta-feira, 2 de agosto de 2006

Só podia dar nisso (02/08)

Escrevi dias atrás que um Congresso (ainda mais) fraco será a herança da crise. Hoje, isso ficou escancarado quando o governo desencadeou o debate em torno de uma Assembléia Constituinte exclusiva para fazer a reforma política. Aliás, prometo que não sabia que esse tema ia estourar quando ontem postei três notas exatamente sobre o assunto (veja abaixo). Aqui neste blog você fica sabendo das coisas antes de elas acontecerem. Brincadeira, claro. Mas estava na cara que, depois de um ano e tanto de massacre do Congresso Nacional, o resultado teria que ser alguma coisa assim. Verdade que uma Constituinte para discutir só a reforma política é algo meio esdrúxulo. É também estranho falar em Constituinte sem que tenha havido ruptura institucional. Outro problema é definir o que é reforma política. Eu acho que acabar com as medidas provisórias e com a publicidade oficial, além de implantar o Orçamento impositivo, tudo é reforma política. Lula pode ter muitos defeitos, mas instinto ele tem e saiu na frente. A oposição dirá (alguém já disse?) que o presidente faz isso para desviar o foco das acusações que pesam sobre o seu governo. Pode ser, mas e daí? Qual é a proposta da oposição para reduzir as deformações do sistema político brasileiro? Ou o PSDB e o PFL acham que bastará elegê-los e tudo se resolverá? O PT dizia isso, lembram?

Clique aqui para assinar este blog (Blog do Alon).
Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

6 Comentários:

Anonymous José Marcelo Randes disse...

A reforma política não pode partir de um ato oficial do governo, principalmente de um governo que talvez esteja entregando as chaves da casa no final do ano. Não seria legítimo, além de ser inconstitucional segundo a maioria dos juristas. As vias que levem à reforma política devem ser normais, a não ser que vivêssemos um momento de exceção - o que não é o caso.

quinta-feira, 3 de agosto de 2006 03:02:00 BRT  
Anonymous Rodrigo disse...

E não é que a Lúcia Hippólito já falou que é golpe de estado?

quinta-feira, 3 de agosto de 2006 08:50:00 BRT  
Anonymous Antonio Lyra Filho disse...

Excelente comentário. Imparcial e muito profundo.
Como seria bom que nós não jornalistas, acessasemos os blogs para recebermos informações como o deste blog.
Por incrível que pareça, existem blogs unicamente para dar noticias distorcidas de forma tendenciosas.
Não gostaria de citar nomes, mas só para que as pessoas que gostam de ter acesso a blogs, tenham o cuidado de não acreditar em tudo que é publcado, como no Blog do Noblat.
Este blog, passou a colocar praticamente noticias contra o governo, numa demostração explicita que encontra-se em plena campanha eleitoral.

quinta-feira, 3 de agosto de 2006 09:45:00 BRT  
Anonymous Ana Maria disse...

Acabei de ler no blog http://grupobeatrice.blogspot.com/
um belo artigo sobre a censura imposta a Lula pelo TSE do PFL/PSDB.

quinta-feira, 3 de agosto de 2006 10:24:00 BRT  
Anonymous jose carlos lima disse...

A ABI, a Associação Brasileira de Imprensa, reconhece como inconstitucional a censura imposta pelo TSE do PFL/PSDB à Revista do Brasil.

Certas coisas não são inventadas. Apenas são percebedidas. É pra isso que existem artistas e cientistas como Da Vinci, Galileu Galilei, Karl Marx, Isaac Newton,etc. Deveriam louvar certas descobertas, como por exemplo, esta constatação de que o TSE é um ramal do PFL/PSDB. No entanto preferem dizer que isto não existe. Eu também não existo.

Quase vomitei vendo ontem o ministro Marco Aurélio do TSE do PFL/PSDB com aquela voz de porcelana falando mal do Lula. Até pensei que já havia começado o horário eleitoral e que ele estava falando no horário do PFL/PSDB. A título de opinar contra o instituto da reeleição, aproveitou para, utilizando-se de uma frase de Lula, atacar o presidente dizendo, em tom de deboche, se este não sabia se era presidente ou candidato. Engraçado notar que FHC esteve na mesma situação e o TSE do PFL/PSDB não saiu por ai fazendo propaganda negativa contra aquela coisa horrorosa que engoliu 100 bilhões somente na privataria.

O que a reforma eleitoral tem a ver com tudo isso? Só tem a ver. Ocorre que ninguém advoga contra si mesmo. Por isso duvido que o Congresso Nacional, pelo menos este, mova sequer uma palha para mudar este estado de coisas. Quanto mais arregaçado melhor, pois aí entra muita grana pelo caixa 2, apelidado erroneamente de mensalão.

As empresas deveriam poder se candidatar ao invés de fincanciar nas sombras seus candidatos. Esta minha idéia de candidatura de empresas é antiga. Tá aí o caso Planam, do esquema sanguessugas. Então, que tal podermos votar por exemplo na própria Planam? Por que não cravar um x no Carrefour, Casas Bahia. Aí sim, através do voto, as empresas e demais pessoas jurídicas tais como Igrejas, Sindicatos, Entidades Profissionais, etc, seriam questionadas via eleições.

quinta-feira, 3 de agosto de 2006 11:11:00 BRT  
Anonymous jose carlos lima disse...

Não sei se alguém já notou, mas faço comentários atrás de comentários.Acho que no fundo no fundo o tenho como o pai que não tive.Admiro sua paciência para com esta filharada que acompanha seu blog. Às vezes uns brigam entre si. Noutros momentos você chama um e outro na retranca.

Sempre tive uma admiração pelos portadores da Síndrome de Down. Por isso chamou-me bastante a atenção, dias atrás, assistindo a um debate sobre um filme sobre os portadores desta síndrome. É que um dos portadores afirmar que Deus não deveria tê-los colocado no mundo. Se eu pudesse dizer alguma coisa a ele, diria que Deus fez isso porque o mundo está precisando de coisas boas. Pois há quem pisoteie os jardins. É como se fosse as coisas sensíveis que saem perdendo quando as destruímos, pisoteamos. Ta todo mundo sem entender porque as pessoas estão morrendo sapecadas nos EUA sob uma temperatura de quase 50 graus centígrados. Quem mandou-as destruir as fontes de águas bordadas sob o mar?

Passado este momento de embate eleitoral, quando nem sempre há espaço para a arte, sugiro que o seu blog continue para discutirmos coisas assim, ta bom? Desculpa saído um pouco do mundo real para divagar, viajar. Ledo engano de quem acha que, quando saio por aí com minhas asas, perco a noção do momento presente, ou seja, destas eleições. Muito pelo contrário!

quinta-feira, 3 de agosto de 2006 12:14:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home