segunda-feira, 28 de agosto de 2006

A política é soberana. E não só no Ceará (28/09)

Como foi dito aqui neste blog algumas vezes, é possível, sim, derrotar nas urnas um governo bem avaliado. Vejam o que acontece no Ceará. Os dados são da última pesquisa Datafolha:

"Após completar três anos e oito meses no governo do estado, Lúcio Alcântara [governador do PSDB] tem seu desempenho aprovado por 50% dos eleitores cearenses. Em comparação ao levantamento do início do mês, a aprovação ao peessedebista cresceu quatro pontos percentuais, indo de 46% para 50%. Desaprovam sua administração 13% dos eleitores e 32% a consideram regular. Lúcio Alcântara é mais bem avaliado entre eleitores que pretendem reelegê-lo (79%), entre os simpatizantes do PSDB (73%), entre os que pretendem votar em Geraldo Alckmin (65%) e entre os moradores de outros municípios da região metropolitana de Fortaleza (63%). Na capital o seu desempenho é aprovado por 44%. A nota média atribuída ao desempenho de Alcântara é 6,7."

Mas, afirma a mesma pesquisa que:

"APÓS HORÁRIO ELEITORAL, CID GOMES CRESCE 15 PONTOS E ASSUME A LIDERANÇA
Cid Gomes (PSB) tem 50% das intenções de voto contra 37% de Lúcio Alcântara (PSDB)

A primeira pesquisa Datafolha de intenção de voto para governador do Ceará após o início do horário eleitoral gratuito revela que o candidato do PSB cresceu 15 pontos percentuais, passando de 35% para 50% das intenções de voto, e agora lidera a disputa ao governo do Ceará. A segunda posição é ocupada por Lúcio Alcântara, que passou de 44% para 37%. (...) Se a eleição fosse realizada hoje, Cid Gomes seria eleito no primeiro turno, com 56% dos votos válidos (...) Lúcio Alcântara teria 41% dos votos válidos. Em relação à pesquisa anterior, realizada no início do mês, Cid Gomes cresceu em quase todos os segmentos do eleitorado cearense. (...) Dos eleitores de Lula à Presidência, 58% votam em Cid Gomes e 33% em Lúcio Alcântara. Na pesquisa anterior, esses números eram 38% e 43%, respectivamente. (...) O Candidato do PSB venceria o segundo turno com 53% das intenções de voto, contra 39% de Lúcio Alcântara. Quando questionados sobre um eventual segundo turno entre Cid Gomes (PSB) e Lúcio Alcântara (PSDB), 53% dos eleitores dariam a vitória ao candidato do PSB, contra 39% de Lúcio Alcântara. Na pesquisa anterior o peessedebista tinha 50%, contra 43% de Cid Gomes."

Qual é o problema da candidatura de Lúcio Alcântara? Ele se elegeu em 2002 com o apoio dos dois principais chefes políticos cearenses: Tasso Jereissati (PSDB) e Ciro Gomes (então no PPS, hoje no PSB e irmão de Cid Gomes). Tasso e Ciro queriam agora Lúcio candidato ao Senado e Cid governador. Lúcio impôs sua candidatura ao PSDB. Em conseqüência, enfrenta nesta eleição a mais formidável coligação política da história do Ceará, que une do PCdoB ao PSDB "tassista", passando pelo PT da prefeita (ex-radical) Luizianne Lins (Fortaleza) e pelo PMDB do ex-ministro Eunício Oliveira.

Hoje, Lúcio foi a Lula. Clique aqui para ler.

Clique aqui para assinar este blog (Blog do Alon).
Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.
Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

1 Comentários:

Anonymous Cesar Cardoso disse...

Sim, Alon, é possível derrotar um governante bem avaliado.

Só que no caso do Lúcio Alcântara não é isso. Ele resolveu medir forças com quem não deveria - Tasso Jereissati - e montou o chapão que vai, aparentemete, levar o irmão do Ciro ao Cambeba.

Se alguém quiser, que chame de burrice o que Lúcio fez. Eu chamo de blefe sem carta na mão.

segunda-feira, 28 de agosto de 2006 23:23:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home