quarta-feira, 30 de agosto de 2006

O medo da contaminação (30/08)

Acabo de ter uma boa conversa com um importante parlamentar do PSDB, que transita bem na turma de Geraldo Alckmin e também na cúpula do partido. Ele me diz que a campanha da aliança PSDB-PFL não tem alternativa que não seja ir para o confronto com Lula. Reconhece que a chance de vencer a eleição é remota, porém acredita que há uma possibilidade de haver segundo turno. Mas, independentemente dos resultados da corrida presidencial, ele me diz que Alckmin precisa evitar uma degringolada que possa interferir negativamente nas campanhas estaduais. Ou seja, precisa ajudar os candidatos a governador, senador e deputado a impedir que Lula "puxe" para cima no primeiro turno os adversários de tucanos e pefelistas nos estados. Nessa mesma linha, diz ele, seria fundamental para o PSDB e o PFL evitar um segundo turno "solteiro" nas eleições de governador. Em miúdos, a oposição teme um Lula eleito no primeiro turno e fazendo campanha no segundo turno para os candidatos aos executivos estaduais.

Clique aqui para assinar este blog (Blog do Alon).
Para mandar um email ao editor do blog, clique aqui.
Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

7 Comentários:

Anonymous Luis Carlos disse...

OK, veremos o que ocorrerá nos próximos dias. Mas, prezado Alon, você não acha que, por enquanto, os tucanos estão indo bem nas eleições para governadores? Os resultados das pesquisas dão a eles, no mínimo, dois importantes governos: Minas e São Paulo. Para o Senado, os resultados das pesquisas indicam que não será ruim também.
Se o temor de contaminação existe, é uma prova de como era estúpida a tese "o Alckmin sai candidato porque não se pode queimar o nome do Serra numa eleição que será ‘arriscada’”.
Alon, tá lembrado de uma pesquisa com parlamentares tucanos, creio que feita pelo Datafolha, na qual o Alckmin venceu como preferido para sair candidato? Como era aquela história de que a posição do Serra nas pesquisas eram mero “recall” de 2002? E aquela outra em que Alckmin era um perigo para o Lula, por ter grande potencial de crescimento assim que a patuléia o conhecesse?
As teses foram soterradas quando o jogo começou e o tucanato provou sua inépcia.
O ex-governador forçou a barra, a cúpula engoliu, e a escolha do PSDB vai entrar para história da política brasileira como anedota.

quarta-feira, 30 de agosto de 2006 01:46:00 BRT  
Anonymous Cesar Cardoso disse...

Contaminação? De um segundo turno que só vai ocorrer no RS, no AC e em mais três ou quatro estados inexpressivos politicamente?

Se esse parlamentar tivesse falando de um Lula fazendo campanha pros aliados nos Estados em setembro, daria toda razão a ele.

quarta-feira, 30 de agosto de 2006 08:12:00 BRT  
Anonymous Antonio Lyra Filho disse...

César Cardoso esqueceu de Pernambuco que não é um Estado inespressivo, onde terá segundo turno e a participação de Lula será fundamental para Humberto ou Eduardo Campos venceram a eleição.

quarta-feira, 30 de agosto de 2006 09:43:00 BRT  
Anonymous jose carlos lima disse...

Como o PSOL pode se considerar como um partido de esquerda se adota práticas da extrema direita como o personalismo em torno do nome de Heloisa Helena que, por sua vez, é contra o direito civil dos homossexuais, leia-se parceria civil, contra pesquisas cientificas com células-tronco, contra o aborto e outras coisas mais defendidas ardorosamente pela reacionarismo de Bento XVI, Bush e o francês Le Pan? Ela deveria ser candidata a papisa. No lugar onde me encontro neste momento todo mundo é Lula. Estou em Nova York. No Maranhão.



Nâo há PCC que eleja Alckmin. Como estou distante deste turbilhão, tenho paz suficiente para perceber que o que temos que fazer daqui prá frente é só fazermos uma campanha alegre. Nada de apreensão, ansiedade ou tristeza por conta do terrorismo eleitoral que será praticado contra Lula daqui pra frente pelo PFL/PSDB. É que eles já tentaram de tudo para derrubar Lula. A única coisa que a direção da campanha de Lula tem a fazer é vacincar=alertar a população contras as práticas terroristas-eleitorais que, com certeza serão adotadas pelo conservadorismo que, é claro, tem todo o direito de espernear. Quanto a nós, só muita alegria. Claro, sem acharmos que a campanha já esta ganha. Nada melhor do que as sandálias da humildade neste momento. Mudando de assunto, achei engraçado o slogan do costureiro clodovil. Ele disse que não é passivo. Que bom. Estamos precisando de gente ativa. É o que tenho a dizer direto de Nova York. No Maranhão

quarta-feira, 30 de agosto de 2006 10:13:00 BRT  
Anonymous Alexandre Porto disse...

Pessoal,
parece que vcs têm memória curta. A quantidade de eleições estaduais que viram nos últimos dias é enorme. Já vimos viradas em vários estados em todas as eleições. O eleitor sempre escolhe primeiro o presidente. É só olhar a diferença dos dados dos indecisos (na espontânea) para presidência e nos estados. Os tucanos têm toda a razão para ficarem preocupados.

quarta-feira, 30 de agosto de 2006 11:05:00 BRT  
Anonymous Cesar Cardoso disse...

Antônio: realmente esqueci de Pernambuco. Peço desculpas aos pernambucanos. Aliás, a rigor, Santa Catarina também pode ter segundo turno. Já começa a ficar mais interessante a eleição do dia 29.

quarta-feira, 30 de agosto de 2006 11:33:00 BRT  
Anonymous Joshua Ghosn disse...

A contaminação comentada também poderá vir sob a forma de repúdio dos eleitores de Lula à planejada agressividade dos Tucanos, deixando de apoiar nos seus estados as já famosas dobradinhas onde votam emcom Lula na cabeça e em candidatos de outros partidos para os demais cargos.
Se, sabiamente, o Presidente-Candidato, olimpicamente, deixar de responder as provocações do Químico no programa eleitoral, deixando para seus aliados nos estados esta tarefa, poderá, além de não passar recibo aos Pefelistas iracundos, usar essa ira santa das oposições com mostra de despreparo e desespero!!!

quarta-feira, 30 de agosto de 2006 14:13:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home