quinta-feira, 10 de agosto de 2006

Lula tirou de letra (10/08)

Sobre a entrevista de Luiz Inácio Lula da Silva ao Jornal Nacional:

1. William Bonner e Fátima Bernardes apertaram o presidente-candidato, perguntaram sobre corrupção e a crise na segurança. Não deram espaço para Lula falar bem do governo dele na economia.

2. Lula estava muito tenso no começo da entrevista. Depois, relaxou um pouco.

3. Como resultado final, Lula tirou de letra. Quem está na frente, com a diferença que ele apresenta em relação aos outros, não precisa necessariamente ganhar em ocasiões como a de hoje no JN. Se empatar ou perder de pouco, está ótimo. O mais perigoso nessas situações é uma eventual escorregada que gere um fato novo para ser explorado pelos adversários. Não aconteceu.

Adendo (às 22h10): Lembrem-se de que o critério para saber se o sujeito se deu bem ou se deu mal é sempre o objetivo final. A entrevista de hoje terá ajudado a criar uma dinâmica diferente no processo eleitoral? Não. Portanto, Lula se deu bem.

Clique aqui para assinar este blog (Blog do Alon).
Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

23 Comentários:

Anonymous Fernando Trindade disse...

Meu caro Alon, você - com sua objetividade e sangue frio - acerta na mosca: nenhum fato novo para ser explorado pelos adversários. É isso aí. Com um ou outro arranhão Lula conseguiu passar pelo campo minado.
Atenciosamente,
Fernando Trindade

quinta-feira, 10 de agosto de 2006 21:50:00 BRT  
Anonymous Marcos disse...

Acho que o Alckmin foi o mais prejudicado com o tom da entrevista do Jornal Nacional. Lula respondeu a acusações que já vem sendo marteladas durante um ano e meio. Alckmin tinha ou tem como estratégia de campanha dizer que que ele é honesto, seu governo foi honesto e sua gestão como presidente será honesta. Nesse aspecto, por motivos óbvios, o conjunto das entrevistas foi péssimo para o PSDB/PFL. Embora ache que essas entrevistas não irão influenciar em nada a campanha.

quinta-feira, 10 de agosto de 2006 21:52:00 BRT  
Blogger Luca Sarmento disse...

A meu ver, a entrevista foi muito ruim para Lula. Ele ficou atordoado com a sequência de perguntas, todas muito oportunas e devastadoras. Pareceu despreparado.
Eu temia uma "marmelada" do JN, que não ocorreu. Ponto para a Globo.

quinta-feira, 10 de agosto de 2006 21:58:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Só não gostei de ele ser chamado de "canditato" e ter respondido como "presidente"

quinta-feira, 10 de agosto de 2006 23:52:00 BRT  
Blogger Ricardo disse...

A entrevista na GloboNews foi desastrosa. Pena que ninguém assitiu. Ficou patente a mentira e a farsa que o governo Lula representa e que ele, como mandatário da pilhéria, tem causado.

quinta-feira, 10 de agosto de 2006 23:56:00 BRT  
Anonymous Rodrigo disse...

realmente, parece que desta vez quem não se preparou para a entrevista foi o casal de apresentadores. Eles bem que podiam reprisar a entrevista que o Pedro Bial fez com Lula no ano passado ou o Roda Viva em que o Lula foi entrevistado no palácio do planalto, também no ano passado. A maioria das questões feitas a Lula na entrevista de hoje já foram feitas ano passado e ele ja as havia respondido relativamente bem. A entrevista da Globo News foi muito melhor e eu achei que o Lula também se saiu muito bem.

sexta-feira, 11 de agosto de 2006 00:11:00 BRT  
Anonymous Paulo Humberto Flausino disse...

Desculpe Alon mas voce esta muito equivocado,pois o objetivo final de uma entrevista nao eh trazer um novo factoide ou dinamica mas sim expor um candidato a perguntas que nao possiveis de fazer a ele em momento algum,devido a sua condiçao de presidente...entao fica mais do obvio que o resultado da entrevista foi de pessimo a horrivel,pois soh mostrou nosso presidente enrolando,disfarçando e dissimulando como por expemplo qdo diz q eh responsavel por crimes de 1200 funcionarios,mas q nao tinha como saber q seus maiores companheiros da vida toda e os mais poderosos ministros estavam envolvidos numa teia gigantesca de corrupcao?...tenho vergonha dele nosso representante maior...

sexta-feira, 11 de agosto de 2006 00:44:00 BRT  
Anonymous Rivaldo Novaes disse...

As pessoas têm suas preferências e acho que, às vezes, confundem suas preferências com a análise fria dos fatos. O que o jornalista falou sobre desempenho num debate de quem a pesquisa indica liderança em larga vantagem, aplica-se não apenas ao presidente, mas a qualquer governador.

Exemplo: se Aécio Neves ou José Serra (dois praticamente eleitos nos Estados de MG e SP, respectivamente) fossem acuados de perguntas cabeludas e não escorregassem nas respostas, suas candidaturas também permaneceriam inabaladas.

Que tal os comentaristas torcerem menos e enxergarem mais?

sexta-feira, 11 de agosto de 2006 01:14:00 BRT  
Anonymous Rivaldo Novaes disse...

As pessoas têm suas preferências e acho que, às vezes, confundem suas preferências com a análise fria dos fatos. O que o jornalista falou sobre desempenho num debate de quem a pesquisa indica liderança em larga vantagem, aplica-se não apenas ao presidente, mas a qualquer governador.

Exemplo: se Aécio Neves ou José Serra (dois praticamente eleitos nos Estados de MG e SP, respectivamente) fossem acuados de perguntas cabeludas e não escorregassem nas respostas, suas candidaturas também permaneceriam inabaladas.

Que tal os comentaristas torcerem menos e enxergarem mais?

sexta-feira, 11 de agosto de 2006 01:15:00 BRT  
Blogger Angelo da C.I.A. disse...

Alon, a minha opinião é que Fátima e Bonner foram muito bem. Acho que se prepararam mais para Lula do que o candidato-presidente se preparou para eles.
Lula cometeu inúmeras gafes e aparentou nervosismo o tempo inteiro. O saldo das entrevistas é que Lula perdeu feio comparado aos outros dois relevantes ( Cristóvam é candidato dele mesmo. )
Ah, você diz que o casal não deu espaço para ele falar bem da economia. Ora bolas, quando o deram ele foi e disse que só o que diminui é o salário! Sorte dele que não falou de economia. Aliás, que não falou de números quase nunca. Tirando o erro do salário, teve o das fronteiras.
A comparação dele com os outros é gritante: O preparo técnico e de conhecimento dele é muito inferior aos outros 2 relevantes e ao candidato de si-próprio Cristóvam.
Mas, como você diz, nada mudará. O povão que vota no Lula dificilmente percebeu os muitos erros nas respostas de Lula

sexta-feira, 11 de agosto de 2006 01:16:00 BRT  
Anonymous Marcus disse...

Lula cometeu alguns atos falhos, mas não houve nenhum "erro". Ele se enganou na frase sobre o salário e se corrigiu depois.

Essa história de fronteiras é balela, ele disse claramente: "não são 17 metros, são 17 milhões", ou seja: 17 milhões de metros, 17 mil quilômetros.

Eu achei a performance dele medíocre, mas tem gente que deixa a sua preferência política nublar sua avaliação, e enxerga as coisas piores do que foram, apenas porque gostaria que fossem assim.

sexta-feira, 11 de agosto de 2006 02:42:00 BRT  
Anonymous José Marcelo Randes disse...

Permita-em dizer que discordo da sua afirmação segundo a qual a entrevista de Lula não produziu nenhum fato que possa ser explorado eleitoralmente por outros candidatos. Pois me parece notável que Lula tenha sido obrigado a dizer, pela primeira vez, que afastou Dirceu, que afastou Palocci. A missão de Lula era realmente impossível. Só poderia se sair bem se a dupla de entrevistadores o poupasse de réplicas - como aconteceu no programa de entrevistas Roda Viva, da TV Cultura, como condição imposta pelo próprio entrevistado. Mas como agora a entrevista era aberta, os entrevistadores puderam observar que tanto José Dirceu quanto Palocci saíram do governo Lula pela porta da frente, entre afagos e efusões de apreço do presidente, que só agora, após tanto tempo, alegava tê-los afastado. A meu ver, a entrevista fornece uma série de fatos que poderão ser explorados na campanha televisiva, que começa com o horário eleitoral gratuito.
Porque até agora, mudando um pouco de assunto, a campanha existe mesmo é na mídia impressa e virtual. Na TV, a política está restrita aos telejornais e constitui apenas mais uma entre as diversas editorias. O tempo de exposição dos candidatos é muito pequeno, exceto se o candidato for o presidente do país tentando a releição - fato natural, que não revela nada de tendencioso, diga-se. Desse modo, é quase impossível um candidato desconhecido crescer sobre aquela grande massa do eleitorado cujo perfil caracteriza-se por um reduzido interesse pela política. O crescimento de Heloisa Helena, por exemplo, deu-se onde poderia ocorrer. Sobre esse leitor politizado que lê jornal e discute, acessa informação na internet. Alckmin cresceu até onde pôde também aí, até começar a perder terreno para Heloisa Helena. Ambos, até aqui, somente disputaram com Lula o voto dos eleitores politizados (e a soma de ambos mostra que Lula perdeu, por sinal). Não creio que hajam dúvidas sobre para qual candidato refluirão os votos desses eleitores em Heloisa Helena num segundo turno. Portanto, então, até aqui a campanha desenrolou-se na mídia impressa e virtual. Nem Alckmin, nem Heloisa Helena tiveram meios de crescer sobre o eleitor despolitizado, porque esse meio é a TV. A vantagem de Lula esteve sempre aí, nesse público não atingido pela mídia mais inteligente e reflexiva, que ele acumulara e já trazia na bagagem. A verdade é que se não fosse o mensalão, Lula já estaria eleito. No entanto, com o início da propaganda eleitoral na TV abre-se a possibilidade real de se atingir e conquistar esse público. A diferença é que Heloisa Helena conta com um tempo exíguo. A minha leitura das possibilidades de Alckmin sempre foi muito positiva. O diretor do Vox Populi, Marcos Coimbra, observa que Alckmin conseguiu crescer sempre que contou com uma grande exposição na mídia (leia-se televisão). Agora, com mais de 40 dias de exposição sistemática na TV, me parece ser preciso um grande esforço de ilusionismo para fazer supor que Alckmin não irá crescer sobre o público de Lula - digo, a faixa de público que é responsável pela liderança de Lula em todas as pesquisas até aqui. Eu acho que não serão necessárias mais do que duas semanas para se concluir que haverá segundo turno.

sexta-feira, 11 de agosto de 2006 05:52:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Me desculpe, mas se pensar como voce nao precisamos de campanha politica, nem de debate.. basta que o governante atual ou fututres usem a maquina no ultimo ano de elicao, subam nas pesquisas e os outros candidatos que desistam...

nenhuma entrevista de 10 minutos vai mudar dinamica alguma, mas uma coisa era o lulla de antes e outra o lulla de agora...

ficou evidente o despreparo, a arrogancia, a ignorancia, a delacao (quando foi apertado, nao hesitou em entregar Dirceu e ateh o Pallocci, a espinha dorsal do seu governo...)

ficou evidente que Lula nao tem o minimo preparo para ser presidente, nao fala como estadista e sim como o paizinho dos pobrezinhos... nao eh disso que o Brasil precisa...

Nao ha uma (UMINHA sequer) contribuicao original do governo Lula que contribuiu para que "a economia brasileiraestivesse em seu melhor momento". Devemos muito mais a fatores externos do que internos. Alias, eh sempre bom lembrar, crescemos apenas mais do que o Haiti...

Portanto, ficou evidente que Lula eh indigno do cargo que ocupa e o Brasil, infelizmente, eh uma psis de miseravies, ignorantes e oportunistas. Miseraveis, porque dependem do bolsa-esmola (e por isso Lulla desponta no NE), ignorantes porque nao gostam do debate de ideias e sim de candidatos que "tiram de letra", ou seja, nao interessa se Lulla falou um monte de besteiras ou nao, interessa se ele "ficou a vontade" e, finalmente, oportunistas, basta ver o lucro dos principais bancos e como o governo "revolucionario" de Lula sustenta a parte mais rica da sociedade com os juros mais altos do planeta (mesmo o pais vivendo, segundo ele, condicoes fenomenais....)

sexta-feira, 11 de agosto de 2006 08:25:00 BRT  
Anonymous Marcos disse...

Caramba, Sr José Marcelo Randes, para quem iria ser cozinhado no fogo brando durante o resto do mandato LUla até que não está nada mal. Duas semanas parece que não irá assar mais que um fios da Barba. Melhor aumentar a intensidade do fogo agora. Por que parece que a única parte do corpo que está assando é o dedo que falta a Lula.

sexta-feira, 11 de agosto de 2006 08:40:00 BRT  
Anonymous Swamoro Songhay disse...

Difícil avaliar o efeito da entrevista nas pesquisas ou nas próprias eleições. Porém, ficou patente o nervosismo do candidato. Escorregões: quando disse "combate à ética"; passou a impressão de que a independência do MPF depende do fato dele ter escolhido o Procurador-Geral, embora tenha ressaltado que não o conhecera o Procurador antes; tentou passar que as investigações avançaram porque ele quis, mas foi contraditado com a lembrança de que o mensalão foi denunciado pelo Jefferson, depois do caso da propina nos Correios e nada teve a ver com investigações do Governo.

sexta-feira, 11 de agosto de 2006 10:39:00 BRT  
Anonymous Lucas disse...

LULA! TÁ VENDO O QUE DÁ NÃO TER LIDO ESTE EX-BLOG ONTEM!

Leia só como foi sua entrevista:

1. Pediu emprestado a biblioteca do Aécio Neves;

2. Usou a maquiagem da Branca de Neve (como carregaram na base branca);

3. Usou uma gravata listrada em diagonal e tricolor;

4. Disse que seu governo deu o "combate à ética";

5. Disse que no seu governo "o salário caiu";

6. Depois dos 4 minutos, perdeu o controle, a base mal segurou o suor, a boca
tremia e os olhos ardiam;

7. Mentiu ao dizer que foi ele que criou a CGU;

8. Mentiu ao dizer que ele demitiu o Zé Dirceu. Foi o Dirceu que pediu demissão,
fez carta de amor, leu ao vivo e Lula fez outra.

9. Mentiu ao dizer que demitiu Palocci. Foi esse que pediu demissão e a
despedida foi romântica, com direito a frases de amor e um beijinho.

10. Bonner foi impecável. Exatamente o mesmo da entrevista com Alckmin.

11. Fátima só não foi impecável porque por três vezes chamou de presidente e não
de candidato.

IOCM

sexta-feira, 11 de agosto de 2006 11:00:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

qual entrevista o reporter ta se referindo ? Certamente não foi a da Tv Globo ontem a noite.

sexta-feira, 11 de agosto de 2006 12:33:00 BRT  
Blogger Paulo C disse...

Isto tudo lembra muito a reeleição do FHC, com os sinais trocados. Se os oposicionista de agora (situacionistas de então) se lembram, o Príncipe não foi a debates, deu entrevista na biblioteca e mentiu sobre rigorosamente todos os escândalos de seu governo (inclusive a então recente compra de deputados para aprovação da emenda de reeleição). Exceto pelo pitoresco, Lula repete o mesmo script.

Mas fica cada vez mais claro o ranço preconceituoso de grande parte da oposição, A tal "elite branca" não engole mesmo um "despreparado" (não estudou nem na USP nem na Sorbonne). Insistem sempre em culpar este tal de povo, ignorantes que não sabem votar, bando de miseráveis que só existem para encher o saco, viver da esmola da Bolsa Família (por que não vão trabalhar estes vagabundos? Tem tanto emprego por aí - ah, não estudaram, são vagabundos mesmo) e ficarem organizando PCCs pelas prisões para atrapalhar nosso direito de ir e vir.

sexta-feira, 11 de agosto de 2006 13:09:00 BRT  
Anonymous Meire disse...

Achei de um falso moralismo a toda prova!!!...Cinico..mentiroso..articulista!!!...
Ficou nervoso o tempo todo..isso porque estava em seu território..imaginem se fosse fora de Brasilia a tão enfadonha entrevista...
Abraço
Meire

sexta-feira, 11 de agosto de 2006 13:20:00 BRT  
Anonymous tiberiocanuto disse...

Alon,
Seu blog é ótimo. Aquela sua nota na qual cita o 18 Brumário de Marx é um ponto alto.

agora dizer que Lula tirou de letra a entrevista no Jornal Nacional já é exagerar na torcida.
Nem a velhina de taubaté se convenceu da história mal contada de que ele não sabia de nada e, quando soube, puniu os culpados.

sexta-feira, 11 de agosto de 2006 15:14:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Ora, o paulo c culpa a "alite branca" por nao aceitar um despreparado (e foi isso que Lula se provou ontem, se eh que se precisava de mais provas...) como presidente. E eu pergunto, ALGUEM DEVERIA SE CONFORMAR EM TER UM DESPREPARADO COMO LIDER DE SEU PAIS?

Digo mais, alguem deveria vangloriar-se de que o seu despreparado eh melhor do que os outros por ter, digamos, origem "operaria" (lula tem patrimonio de quase 1 milhao de reeais e nao eh j=hoje nao senhores...)?


Discordo de que a oposicao a FHC seja os sotuacionistas de Lula. Quem mudou foi Lula e o PT, nao os que votaram em Lula como alternativa a FHC. O que mudou foi a base de sustentacao de Lula e o PT, hoje os miseraveis do bolsa-esmola (sim, miseraveis, quem vive de ajudo do governo e o governo que usa tal ajuda eleitoralmente).

E paulo c ainda tira onda, "como se tivesse muitos empregos". Ora camarada, quem disse que a economia do pais vive o seu melhor momento foi Lula no Jornal Nacional... depois de 4 anos de governo, com os juros mais altos do mundo...

Ora, foi que Lula percebeu, assim como os coroneis do NE,q ue manter os miseraveis a base de bolsa-esmola rende voto (e como rende).

Agora, culpar quem percebe isso e nao culpar quem VIDE e se REELEGE disso eh cegueira... (ou petismo a la Delubio, Silvinho, Dirceu, Palocci... )

sexta-feira, 11 de agosto de 2006 17:57:00 BRT  
Anonymous Marcos disse...

Que analise bonita anonimo! Só que o Senhor deixou mal FHC. Se o despreparado está conseguindo fazer um Governo melhor que o Altamente preparado, então o Altamente preparado era realmente preparado?
OOps, desculpe. A culpa foi do mundo e suas crises. Mundo ingrato.

sexta-feira, 11 de agosto de 2006 21:32:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

No início do ano Lula deu entrevista ao Pedro Bial no Fantástico semelhante. Foi uma sessão de exorcismo, servindo para Lula abordar o tema, afastando os demônios do bordão "será que ele não sabia?".
A entrevista no JN foi outra sessão de "descarrego".
Com estas entrevistas, Lula vai se vacinando com anticorpos que garantem sua saúde eleitoral até 1o. de outubro.
Parece que os "dardos venenosos" a serem atirados contra Lula por sugestão de César Maia, já tem antídotos.

sábado, 12 de agosto de 2006 00:13:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home