segunda-feira, 14 de agosto de 2006

A lição espanhola e o cidadão comum, espremido entre a politicagem e a bandidagem (14/08)

O velho ditado relata o sofrimento do marisco, eternamente preso entre o mar e os rochedos. Quando consegue se soltar (ou quando o soltam), é para ser comido. No que toca à segurança pública, o cidadão brasileiro, especialmente o paulista, está como um marisco, espremido entre a politicagem e a bandidagem, esperando para levar uma bala no faroeste em que se trasformou seu dia-a-dia. Você acha que eu estou exagerando? Não estou não. O repórter Guilherme Portanova voltou são, salvo e inteiro para sua família e seus colegas, graças a Deus. Também porque a TV Globo cedeu e divulgou o vídeo propagandístico do PCC. Não quero ser pessimista, mas acho que o próximo jornalista seqüestrado talvez não tenha tanta sorte. Não sei se os veículos vão querer institucionalizar esse meio de o crime organizado divulgar suas idéias. E as autoridades? O governo federal finge que não é com ele, enquanto o estadual exibe sua impotência arrogante. Antes de pensar na segurança dos paulistas (de nascimento ou adoção), PT e PSDB estão mais preocupados em dizer que a culpa pela situação é do outro. No mais recente capítulo dessa disputa, os tucanos agora se apresentam como o partido de que o PCC não gosta e quer derrotar. Cuidado, PSDB. Lembre-se da Espanha. O Partido Popular era a legenda de que Osama Bin-Laden não gostava e queria derrotar. Bin-Laden explodiu alguns trens em Madri e matou um monte de gente. Qual foi o resultado? A viver num ambiente inseguro e sob a ameaça de atentados, uma parte do eleitorado dedidiu fazer um acordo tácito com o chefe da Al-Qaeda e eleger o Partido Socialista, que se opunha à política de George W. Bush e prometia retirar os soldados espanhóis do Iraque. Acorda, PSDB! Acorda, governo de São Paulo!

Clique aqui para assinar este blog (Blog do Alon).
Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

4 Comentários:

Blogger Ricardo disse...

O erro do PP foi ter culpado o ETA, e não o fato de ter sido feito o ataque. Além disso, a Espanha entrou contra a vontade de seus cidadãos na Guerra do Iraque.
Não é o caso do PCC, que tem uma agenda política anti-governo estadual, e apóia a agenda do PT, de frouxidão no combate ao terrorismo de Estado (vide a Lei que torna o RDD inócuo, o projeto do Mercadante de poupança para o presidiário etc.).
Não é, portanto, nada comparável. A imprensa, no afâ de igualar o que é desigual, tenta colocar a responsabilidade em todos (o que é o mesmo que colocar em ninguém).
A Polícia Estadual tem agido? Sim. A PF tem agido, em sua função? Não. Não há nenhuma ação da PF para secar as fontes financeiras do PCC. Quem libertou os detentos este final de semana? A Justiça.
Portanto, tem coisas muito claras sobre responsabilidades. A do estado de SP está concentrada em evitar a entrada de celulares. Agora, quem segura os advogados? Quem permite a permanência dos líderes do PCC enjaulados? Não é o governo estadual.
Fato é: quem mais está devendo no momento é o Governo Federal e o Congresso. É deles que se espera mais ação. O resto é enxuga-gelo.

segunda-feira, 14 de agosto de 2006 14:16:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Ricaardo, você precisa parar de ver o mundo pela Veja.

segunda-feira, 14 de agosto de 2006 17:42:00 BRT  
Anonymous Luis Carlos disse...

Lamentável o comentário acima. Se já não bastasse a demagogia dos políticos em relação à área de segurança, temos aí acima o nosso inteligente Ricardo livrando a cara dos Tucanos. Lendo-o, meu pessimismo aumenta. Acho q os atos do PCC atingiram um novo patamar. Outros jornalistas serão seqüestrados e a próxima exigência será mostrar um filminho deles em horário nobre, em algum momento entre o Willian Bonner e a Regina Duarte. Fato é: a tendência é a situação piorar na área de segurança. Afinal o importante, para PT, PSDB, PFL, entre outros, inclusive o Ricardo, é que seu partido e seus candidatos ganhem as eleições. O resto é detalhe, inclusive o PCC. Então, dá-lhe demagogia! Outro fato (perdão pela obviedade): Chegamos a este ponto por termos um estado falido em todas as áreas (segurança é uma delas) e esferas (federal, municipal e estadual). E por falar em nível estadual (olha aí outra coisa óbvia) o partido que quer voltar à presidência ficou quase 12 anos governando o estado de São Paulo, sendo 8 tendo um governo federal também tucano. Mas não, a culpa é do governo federal, do PT. Alckmin? Saulo de Castro? FHC?, Lembo? Que nada, esses não, são competentíssimos....para o Ricardo, são o orgulho da raça...

segunda-feira, 14 de agosto de 2006 17:49:00 BRT  
Anonymous José Augusto disse...

No Acre, governado pelo PT de Jorge Viana, as quadrilhas do crime organizado de Hidelbrando Pascoal (da motoserra) e outros foi desbaratada.
O PT de Jorge Viana não ficou colocando a culpa em FHC na época. Pelo contrário, não teve constrangimento político em pedir amplo apoio e até proteção federal. Sempre agradeceu publicamente a cooperação e apoio do governo federal de FHC. Foi reeleito a 4 anos atrás.
A verdade é que o governo tucano de São Paulo não teve a mesma competência e atitude ao lidar com o PCC. Subestimou-o e deixou-o crescer, e agora recusa qualquer ajuda federal, disputando culpabilidades, em vez de propor soluções, de olho nas urnas.
Além da experiência espanhola, seria interessante estudar a acreana também.

terça-feira, 15 de agosto de 2006 03:03:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home