quinta-feira, 24 de agosto de 2006

Alckmin pega (bem) o bonde da educação (24/08)

O candidato do PSDB, Geraldo Alckmin, aproveitou a bola levantada por Cristovam Buarque e cortou. Ele tem muito tempo na tevê e foi governador: teve hoje um programa todinho dedicado a dizer o que fez em São Paulo e o que (promete que) vai fazer na educação se for eleito presidente. O marketing do tucano vai bem, vai contruindo uma visão de futuro, com otimismo. O eleitor gosta disso. Gosta também de propostas. O programa esteve cheio delas. E voltou a falar no "plano nacional de desenvolvimento". A expressão deve estar indo bem nas pesquisas qualitativas. Ninguém sabe direito do que se trata, mas não dá para ser contra um plano nacional de desenvolvimento, não é? O último Datafolha mostrou um dado interessante. A avaliação do programa de Alckmin está quase empatada com a de Lula. Mas Lula tem quase o dobro de votos de Alckmin. Isso significa que o programa de Alckmin é muito bem avaliado por quem não vota nele. É um dos primeiros passos para tentar atrair o eleitor.

Clique aqui para assinar este blog (Blog do Alon).
Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

9 Comentários:

Blogger Paulo de Tarso Soares disse...

Caro Alon, juro que não vou mais "cutucar" suas teses, a
mas deixe-me lhe fazer m ais uma pergunta. Note a frase que copiei do post que estou comentando:"A avaliação do programa de Alckmin está quase empatada coma de Lula. Mas Lula tem quase o dobro de votos de Alckmin.". Isso não serve com indicação que a racionalidade quanto aos programas eleitorais não é uma boa explicação para a intenção de voto? Em outras pçalavras, a intenção de voto não estaria mais ligada ao imaginário do que aos feitos de cada candidato? Até mais, Paulinho.

quinta-feira, 24 de agosto de 2006 14:13:00 BRT  
Anonymous SwamoroSonghay disse...

O programa melhorou na forma (visual). Só que ainda está sem agudizar o contraponto. Não trata-se de bater, mas de apontar pontos falhos no sistema de educação atual, diagnosticar e propor, fixar mais as diferenças. No geral, adequar o auditivo para o entendimento de quem está com a TV ligada mas fazendo outra coisa. O bordão - plano nacional de desenvolvimento - é auditivo, mas não tem visual, exceto a do candidato. Talvez seja a intenção de associar uma imagem de dinamismo do candidato, colocada nos primeiros programas, com a idéia força do desenvolvimento. Mas, como mais auditivo, deveria ser complementado com algumas idéias chave, fáceis de ouvir, associar e fixar.

quinta-feira, 24 de agosto de 2006 14:40:00 BRT  
Anonymous Alexandre Porto disse...

Faltou ele falar dos resultados do provão e dizer porque os tucanos impediram a criação de novos CEFETs.

quinta-feira, 24 de agosto de 2006 15:23:00 BRT  
Anonymous Cesar Cardoso disse...

O problema, Alon, é o de sempre: quando a melhora na condução do programa eleitoral do Geraldo Alckmin (só de ele parar de falar de Pinda já é um avanço, cá entre nós) vai se refletir nas intenções de voto? Enquanto isso não acontecer, vamos continuar vendo esse triste espetáculo do barata-voa na coligação PSDB-PFL, com FHC pregando golpe de Estado, ACM e Cesar Maia querendo briga de rua e os aliados estaduais lulando sem pudor algum.

quinta-feira, 24 de agosto de 2006 18:04:00 BRT  
Blogger Ricardo disse...

Swamoro pegou o ponto: Alckmin até agora não apresentou contra-ponto. O medo de bater é tão grande que o que é a coisa mais fácil do mundo (desconstruir o projeto petista de poder), não é nem abordado do ponto de vista da gestão.

Aliás, o Alexandre Porto (que parece ser petista) esqueceu que o PT desmontou o Provão, que virou uma massaroca de dados sem qualquer valor estatístico ou qualitativo, e não investiu em CEFETs (atribuição federal) por culpa própria. Aliás, o PT foi contra o FUNDEB, o que Alckmin tem obrigação de mostrar.
Aliás, ele poderia mostrar a não-existência das novas Universidades Federais (no que lembra Sarney e Quércia, que inauguravam placas) e o sucateamento das federais enquanto o ProUni doa dinheiro aos "pobres" donos de faculdades meia-boca.

quinta-feira, 24 de agosto de 2006 18:27:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Como diz o leitor anterior, a intenção de voto fica sim um pouco no imaginário, e também na prova da prática: o governo tem funcionado ben. E se ninguém faz um contraponto lógico relativamente aos projetos de Lula, todos preferem xingar ou denunciar no vazio, qual será a razão, hein? Será porque não sabem fazê-lo, porque não têm contra-projeto algum a um programa que, mal ou bem, vem sendo executado e tem dado resultados? É isso que o espectador, quase digo, o "consumidor" do processo de propaganda eleitoral, que é isso que querem fazer de nós, consegue deduzir, não lhe parece?

quinta-feira, 24 de agosto de 2006 20:14:00 BRT  
Anonymous Alexandre Porto disse...

Ricardo,
vc é um tucano desinformado, desculpe o pleonasmo. O programa do Lula à noite recolocou tudo no seu devido lugar. Não investiu em CEFETs e Universidades? Foram 32 contra ZERO da era FHC que criou uma lei proibindo que o Governo federal investisse em CEFETs. São 10 novas universidades e 48 expansões. Quanto ao PROUNI ... doação ... sei. 280.000 vagas para quem não teria chances. Essa é a doação. Quero ver o Alckmin dizer que são doações para universidades.

quinta-feira, 24 de agosto de 2006 21:58:00 BRT  
Anonymous José Augusto disse...

O Ricardo é uma figura para dar conselhos. É por militantes como o Ricardo que o Alckmin vive tendo que explicar que não vai acabar com o bolsa família (que seus muito amigos militantes insistem em propagar que é bolsa-esmola; deveriam conhecer a história da vitória de Dutra sobre o favorito Brigadeiro em 45, quando cunhou a palavra marmiteiro pejorativamente à trabalhadores que votavam em Dutra); que não vai acabar com o pro-uni, que não vai pivatizar a Petrobrás nem os Correios, que não vai demitir funcionários públicos.
ACM já dizia, que político, só de ter que se explicar, já é ruim.

sexta-feira, 25 de agosto de 2006 00:57:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Só para lembrar: o secretário de educação do Geraldo é
foi a besta do Gabriel Chalita. Dá para levar a sério o candidato do PSDB falando de educação?

sexta-feira, 25 de agosto de 2006 11:15:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home