quarta-feira, 12 de julho de 2006

Quando o terror e o crime são a continuação da política por outros meios (12/07)

É de Carl von Clausewitz a tese de que a guerra é a continuação da política por outros meios. À luz dos atuais acontecimentos em São Paulo e no Oriente Médio, talvez seja necessário ampliar o conceito. Os fatos indicam que, hoje, além da guerra, o crime e terrorismo passaram a ser a continuação da política por outros meios. Para o meu gosto, o governo de São Paulo continua agindo mal, até em função de seus próprios interesses políticos. Insiste que não precisa do governo federal na luta contra o Primeiro Comando da Capital (PCC). Dia após dia, o secretário de Segurança Saulo Abreu repete que a força federal oferecida por Brasília não serve para nada. O PSDB de Saulo e o PFL do governador Cláudio Lembo parecem trabalhar com o objetivo estratégico de "provar" que podem resolver o problema sem qualquer interferência do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e seu ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos. É um objetivo político legítimo, mas talvez não muito inteligente. Em primeiro lugar, porque é improvável que o crime organizado em São Paulo seja eliminado até outubro, para que isso possa ser apresentado por tucanos e pefelistas como trunfo na campanha eleitoral. Em segundo, e principalmente, porque a segurança pública em São Paulo é responsabilidade última do governo estadual. Toda melhora, ou piora, será creditada, ou debitada, na conta de Lembo, de Saulo Abreu e do chefe político de ambos, Geraldo Alckmin. Se Saulo acha que a ajuda oferecida por Bastos é insuficiente ("virtual", nas palavras do secretário), que diga do que precisa. O ridículo é ele aparecer na televisão como quem está no controle da situação enquanto as pessoas são espingardeadas nas ruas. Também é aterrador assistir ao secretário comemorando o fato de os ataques agora não mais visarem policiais, mas estabelecimentos civis e gente comum. Ele não percebe que o PCC começa a derivar para táticas de terror e apresenta essa mudança como um "avanço". E, por falar em terror, guerra e política, leiam o artigo do israelense Yossi Klein Halevi na The New Republic, sobre a guerra no Oriente Médio. É duro, mas é um retrato bem próximo da realidade.

Clique aqui para assinar este blog (Blog do Alon).
Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

11 Comentários:

Blogger Ricardo disse...

Então você não ouviu o Saulo. Ele já disse que entregou diversas vezes listas com as demandas do Estado para a área de segurança - o que implica em dinheiro para equipar e treinar a polícia. Não foi feito nada a respeito.
Aí, eu te pergunto, Alon: o que foi EFETIVAMENTE que o MTB ofereceu? Que eu saiba, porcaria alguma: tropas federais não existem (são paulistas). O Congresso, que pode ser movimentado pelo mensalão, não responde mais ao governo federal - ou não há interesse, como nosso comunista bem o sabe.
O governo federal age como padre: oferece a benção, ajuda divina, mas concretamente, nem um centavo.

Insisto: peça a lista de demandas do governo estadual, mas pergunte ao advogado da quadrilha o que ele EFETIVAMENTE oferece ao governo paulista. Afinal, terrorismo é crime federal.

quarta-feira, 12 de julho de 2006 19:55:00 BRT  
Blogger Alon Feuerwerker disse...

Obrigado pela deixa, Ricardo. Acho que você compreendeu bem meu ponto de vista. Se eu estivesse no lugar do secretário, faria assim: em vez de dizer que a Força Nacional não presta, agradeceria e aceitaria a ajuda, mas pediria junto um monte de outras coisas, com prazos determinados para serem cumpridas. Dinheiro, tropas federais e muitas outras coisas. Concretamente, o Saulo está passando a imegam de menino birrento, um sujeito despreparado politicamente para uma situação de tal complexidade. Se ele faz isso combinado com Geraldo Alckmin, é uma burrice e tanto dos dois. A segurança em SP não será um trunfo de GA na campanha, o máximo que ele conseguirá será reduzir os danos. E, já que haverá danos, por que não dividi-los com Lula? Eu não sou tucano, como você sabe, mas gosto de especular com estratégias políticas. Modéstia à parte, acho que essa minha pode não ser boa, mas é bem melhor que a do secretário de Segurança. Eu não economizaria nada na luta contra o crime,não deixaria meus adversários instilarem na opinião pública a idéia de que tem gente morrendo porque eu sou teimoso. Meu caro, se um, apenas um homicídio puder ser evitado com a presença de tropas federais em SP já terá valido a pena.

quarta-feira, 12 de julho de 2006 20:09:00 BRT  
Anonymous Marcos disse...

Pô Ricardo!!! Ouviu o Saulo? Vamos inverter a pergunta: O senhor já assistiu alguma entrevista do Sr Saulo? Em especial ao jornal regional da Globo? Quem assitiu ficou atordoado em saber que este senhor é que cuida da segurança de são Paulo.

quarta-feira, 12 de julho de 2006 21:35:00 BRT  
Anonymous Marcus disse...

O Ricardo não está entendendo nada.

O que fica parecendo, das mensagens dele, é que o Alon está buscando votos para Lula entre os leitores do blog!

Não, os leitores do blog são adultos e esclarecidos o suficiente para se definirem a partir de uma gama de informações. O que o Alon está fazendo é simplesmente analisando as estratégias de cada um.

Não interessa se o Saulo Ramos fez alguns pedidos. O que interessa é que a população, que vai votar, não tem essa percepção. E não tem porque a estratégia do PSDB está errada.

quarta-feira, 12 de julho de 2006 22:38:00 BRT  
Anonymous Bartolomeu disse...

Alon, seu raciocinio é interessante, mas esconde a realidade. A situação é dramática e vem o governo Lula com "factóides": uma força que não existe, para fazer não se sabe o quê (vai ficar andando pela rua? vai guardar presidio sem estar preparada? ou vai posar para fotos a serem utilizadas pelo compententíssimo marketing político do governo?). Que tal Lula cumprir o que prometeu para a segurança pública no seu plano de governo (Premio Nobel de Literatura, excelente ficção) de 2002? Ou, então, não cortar a verba de SP do Fundo de Segurança de cento e poucos milhões para menos de vinte?
Lula quer é fazer marketing em cima da desgraça que é a situação da segurança pública em SP e RJ. Situação que é resultado da incuria de vários governos e que não será solucionado facilmente.
O seu raciocinio é correto quando invertido: se Lembo aceitar e a situação melhorar - o que ocorrerá graças à ação da PM e não de força federal simbólica e despreparada - Lula dirá como "nunca antes neste país" alguém foi tão bom quanto ele em questões de segurança. E se não melhorar, bem "aí a culpa é dos tucanos" e, legal, encaçapa mais uma na cesta política da reeleição.
Por último, é sempre bom lembrar que o PCC ordenou aos seguidores que não se vote no PSDB. Bom, isso deve dar muito o que pensar para quem quer pensar.

quinta-feira, 13 de julho de 2006 03:33:00 BRT  
Anonymous Fernando Magrello disse...

Sô alguns comentarios:

1 - FNS (Força Nacional de Segurança) é formada com componentes de cada estado , e foram sim treinadas. O "virtual" que o Saulo cita, na verdade esconde e tenta passar uma visão errada do que é a FNS. Ela na verdade foi um "jeitinho" que o Ministerio da Justiça encontrou para criar uma força de segurança, e poder usa-la sem decretar intervenção federal em um estado (as consequencias disso estão claras na Constituição). Acho que na epoca nem se imaginava isso em SP, era mais para o RJ e ES.

2 - Verbas - Todo mundo precisa de verbas, mas a vida é assim, só que está na oposição pode pedir verbas, o meu temor é que com essa crise venha outra vinculação, o que seria terrivel para a economia. Verba tb não vai resolver o problema da policia que é mais de gestão e estrategia. Mas ambos so se resolvem com politicas integradas e de longo prazo.

3 - 10.000 policias (menos pq uns 1000 estao em MS e ES) daria para a SSP-SP colocar nos presidios e liberar esses policias, para por exemplo, fazer a segurança dos agentes penitenciarios. O Saulo é arrogante e mimado (vide o "show" infantiloide que ele deu na Assembleia), que não combina com a seriedade que o cargo precisa. Se for fazer uma avaliação psicologica dele digo que ele age assim por alguma frustação ocorrida no passado, dai precisa se afirmar diariamente e publicamente que é "machão". Uma pena. Pois com essa postura começa a ser comparado com Fleury e seus 111 detentos.

4 - Exercito - O caso ai é de colocar o exercito na rua (não sei o que ocorre qdo um Governador pede a presença do Exercito, mas pelo que me lembre é menos impactante do que uma intervençao unilateral da Uniao em um Estado), mas o Geraldo Alckmin nao vai querer isso. O problema é que eles não sabem qto tempo o Lembo vai aguentar tal pressão. Se fosse ele já tinha destituido a cupula da SSP-SP e chamado o exercito e terminado esse "rabo de foguete" que ele se meteu.

5 - O simplismo toma conta do pais, é um fato. As pesquisas dizem que a população divide a "fatura" da segurança publica em 30% pra Uniao e 30 % para o estado. Ou seja, as pessoas "medias" não sabem que a Constituição determina a responsabilidade aos Estados. Ou sabem e nao concordam. Não importa. Importa que mesmo q isso venha a ser usado politicamente. O PT (Governo Federal) não pode fazer muita coisa, pois qualquer manobra de transferencia de responsabilidade vai ser visto como um jogo de empurra, e provavelmente vai ter efeito contrario. O PSDB teve o que merecia, pois essa conversa fiada de que são "competentes" que possuem uma "visão moderna" do estado. Que são "gestores eficazes" é tudo balela, a unica verdade é que fazem de outra forma, por outros meios. Não acredito que sejam mais gabaritados, parte dos erros do PT foram basicamente por falta de experiencia. Veja a melhora na gestão nesse final de mandado (sem Dirceu e Palocci).

É isso.

quinta-feira, 13 de julho de 2006 11:48:00 BRT  
Anonymous Richard Lins disse...

Caríssimos, ainda acho que o Ricardo corrigiu apropriadamente o foco do Alon. Se vcs não sabem efetivamente o que o governo federal oferece ou o que o estadual pediu, posso lhes adiantar: NADA... de ambos os lados! Sou carioca e vemos este filme à muito tempo, e, no nosso caso, a coisa é muito pior pois existe uma nítida antipatia de Lula c/ a nossa cidade/estado. A chamada Força Nacional já passou por aqui e nem notamos. Os cidadãos pedem intervenção federal e nada é feito, mas o Exército tomou conta da cidade durante uma semana sem que NINGUÉM das 3 esferas de poder pedisse... os milicos subirma morro, entraram em casas, revistaram pessoas, executando um autêntico cerco militar. Com direito até a baixas entre a população civíl!!! Está evidente que a questão política se sobrepos ao dever de dar proteção à população. Aliás, estranha coincidência esta "onda de violência" justo quando Alkimin começa à reagir nas pesquisas, né não?!!?!?

quinta-feira, 13 de julho de 2006 17:12:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

O Alon está certo. Além do mais, a polícia de São Paulo está nas mãos do PSDB. Se houvesse ligação do PT com o PCC eles já teriam divulgado. Essa coisa do Bornhausen e do Serra insinuarem isso é uma vergonha.

quinta-feira, 13 de julho de 2006 17:22:00 BRT  
Anonymous Fernando Magrello disse...

Cara,

Eu quero que esses politicos se F* com F maiusculo. Não acho que estamos aqui pra defender A ou B. Mas a falta de logica é assustadora.

Se for assim, então poderiamos insinuar que foi "COINCIDENCIA" o escandalo do Mensalão estourar qdo Lula tava em alta nas pesquisas ?!? Sem contar que foram mais de 365 dias (ver FSP) de CPI bombando na midia.

Nada a ver. E so pegar a transcriçao do depoimento do Marcola à CPI do Trafico de Armas (http://www1.folha.uol.com.br/folha/cotidiano/20060708-marcos_camacho.pdf) que vc vai ver q o q ocorreu em Sao Paulo foi uma grande trapalhada, principalmente do Saulo e de "parte" da cupula da SSP tentando criar um fato politico.

Literalmente cutucaram a onça com vara curta...

quinta-feira, 13 de julho de 2006 17:32:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Eis o dilema, ovo ou a galinha quem veio primeiro, a quem interessa??? Votar??? Como, se os candidatos são sempre os mesmos, só aparecem para se esfregar (igual gato) no povo na hora dos pleitos e depois esquecem??? Como politicos oque fizeram pela segurança??? Quais projetos pela educação, segurança. etc.??? Aonde estão os deputados, para que serve a Assembleia Lesgislativa??? E tiveram chances, pois, projeto gay tai como prova, quando querem conseguem. E agora os candidatos eternos que ora no poder ora na oposição são sempre iguais, escapam igual gatos. Nesse instante em SP. a quem interessa essa absurda onda repentina de atentados, os urubus estão a solta avidos por carniças.
Zerar tudo e refundar o Estado, seria o ponto de partida.
Yoshio - Japão

quinta-feira, 13 de julho de 2006 20:50:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

horripilante o cenario pintado por Yossi Klein - podemos esperar isso tudo, com certeza. A intolerancia local, a esquerda europeia, a fome dos fabricantes de armas e principlamente o MEDO israelense vao levar esta fase do conflito longe, longe demais.
Luiz Gonzaga de Oliveira Filho
um portugues extraviado

segunda-feira, 17 de julho de 2006 20:11:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home