sábado, 22 de julho de 2006

Por que o segundo turno é arriscado para Lula (22/07)

Clique na imagem para ampliar a tabela que retirei da última pesquisa Datafolha. Na minha opinião, um dado que deve preocupar Luiz Inácio Lula da Silva (e alegrar Geraldo Alckmin) são os números circulados em vermelho. Num eventual segundo turno contra Lula, Alckmin recebe o apoio dos eleitores "neutros" do primeiro turno numa proporção de dois para um. Ou seja, a tendência entre quem não é nem Lula nem Alckmin no primeiro turno está mais favorável ao tucano no segundo turno. É um sintoma de isolamento político do presidente. Como segundo turno é plebiscito, o ex-governador de São Paulo parece hoje mais capaz de criar uma "onda" favorável a si próprio. Mas só saberemos se essa tendência vai se consolidar depois que Lula entrar em campanha, efetivamente. Quando falo entrar em campanha, refiro-me a travar o debate político direto com os adversários.

Clique aqui para assinar gratuitamente este blog (Blog do Alon).
Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

6 Comentários:

Anonymous Marcus disse...

Nunca entendi direito alguns dados que aparecem nessas pesquisas.

5% dos que votam em Lula no primeiro turno, votam em Alckmin no segundo! Igualmente com 4% dos eleitores iniciais de Alckmin, que votam no presidente na rodada final.

sábado, 22 de julho de 2006 16:05:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Alon, faça as contas e descobrirá que 2/3 dos votos de HH para Alckmin e 1/3 para Lula não mudam muito o quadro, pois ela só tem, 10%. Só aconteceria o que você prevê se Alckmin estivesse crescendo nas pesquisas, o que não é o caso. Sobre o "isolamento" de Lula, pelo que sei ele atraiu o grosso do PMDB. A verticulazação não lhe permitiu fazer uma coligação formal com um grande partido, como fizeram PSDB e PFL. Agora, daí a você dizer que Lula está "isolado",não me parece muito lógico. PSDB e PFL só têm mais tempo na TV porque se coligaram e são dois partidos fortes. Mas não formam exatamente um amplo arco de alianças. E estou percebendo que você subestima o fator povo. Valoriza mais os acordos entre partidos. Esquece que esta é uma eleição atípica devido ao início precoce da campanha - mais de um ano antes do pleito. Aliás, uma campanha exclusivamente negativa contra Lula. Em minha opinião, o povo já tem opinião formada. Mais do que vocês jornalistas estão dizendo. Conversaremos em cerca de três meses. Ou seriam dois...?

sábado, 22 de julho de 2006 16:37:00 BRT  
Anonymous Anônimo disse...

Caro anônimo, pena que você esteja no anonimato, pois suas obervações são inteligentes e consistentes. Tanto o Alon não subestima o povo que se baseia exatamente nas pesquisas, que auscultam a opinião do mesmo. Sobre o isolamento de Lula, pegue os dez maiores estados e veja em quantos deles o líder nas pesquisas apóia Lula. Quanto à maioria do PMDB, bem, apoiará Lula enquanto Lula estiver bem. Na hora da dificuldade você acha mesmo que Lula poderá contar com o PMDB?

sábado, 22 de julho de 2006 18:41:00 BRT  
Anonymous jose carlos lima disse...

Leio nos portais dos jornais Alckmin apontando as sanguessugas como uma prova de que Lula tem a ver com a corrupção. A verdade é o contrário, pois trata-se de combate à corrupção. Pelo jeito, para parecer honesto, Alckmin vai mandar que a PF volte para casa. Foi assim nos 8 anos de governo tucano. O coronelismo mediático paulista manipula notícias. Inventam em cima da realidade como se fosse escultores, criadores, marketeiros. Ainda assim dizem que temos liberdade de imprensa. A forma como os fatos são noticiados nos jornais nos leva a pensar que os jornalistas foram substituidos por marketeiros do PFL/PSDB. Incrível como o poder de manipulação da midiocracia leva a população a pensar que Lula é conivente com a corrupção quando, na verdade, não tem dado trégua aos fraudadores. Nos 8 anos de FHC a PF realizou 60 operações. Lula já efetuou quase 200, o que resultou em quase 3 mil prisões através de incessantes operações, sendo as últimas a Operação Cerol e a Operação Raposa, leia-se Fox.

domingo, 23 de julho de 2006 20:38:00 BRT  
Anonymous José Marcelo Randes disse...

Eu já havia previsto aqui, creio que ainda antes que Alckmin tivesse sua candidatura confirmada pelo seu partido, de que seu nome era potencialmente atrativo ao eleitorado neutro, e que sua própria característica "neutra" em relação ao governo FHC lhe conferia uma vantagem que Serra não possuía. Eu pintava um quadro bastante favorável a Alckmin num eventual embate com Lula no segundo turno, por considerar que com Alckmin, em vez de termos uma comparação entre governos, era o governo Lula que estaria em cheque, para ser aprovado ou reprovado. E que essa segunda situação era pior do que a primeira, para as pretensões do PT. Eu realmente não contava que o Alckmin chegasse ao patamar dos 30 pontos antes do horário eleitoral gratuito; para mim a relação de forças entre os candidatos só era suscetível de se inverter no segundo turno. Hoje penso diferente. As próximas pesquisas já devem acusar a influência da segunda onda de atentados em São Paulo. Se Alckmin manter-se mais ou menos nesse patamar de 30 pontos até o horário eleitoral gratuito, terá a faca e o queijo na mão para chegar ao fim do primeiro turno na frente de Lula e como grande favorito a vencer as eleições.

segunda-feira, 24 de julho de 2006 05:12:00 BRT  
Anonymous Bartolomeu disse...

José Carlos, você também acredita em Papai Noel?

segunda-feira, 24 de julho de 2006 17:48:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home