segunda-feira, 10 de julho de 2006

Acusações de roubo na eleição mexicana: qual é a novidade? (10/07)

O candidato da oposição de esquerda, Andrés Manuel López Obrador, denuncia fraude nas eleições mexicanas e pede uma recontagem voto a voto. Juntou 200 mil pessoas em manifestação na Cidade do México, no sábado, e desencadeou um movimento popular que contesta a vitória do candidato da direita, Felipe Calderón. Que as eleições no México são sistematicamente fraudadas, isso é um fato desde que me conheço por gente (desde bem antes, é claro). Se a eleição de Calderón se deveu a irregularidades, é algo que talvez nunca saberemos ao certo. Mas é fato também que Obrador participou do pleito, aceitou as regras do jogo. Isso não significa que ele tenha que aceitar também as supostas fraudes. Mas, ao final, terá que admitir algum resultado da eleição ou lutar, dentro da legalidade, por sua anulação. Na Ucrânia, por exemplo, um movimento de rua há menos de dois anos impôs um terceiro turno entre o candidato pró-Moscou e o pró-Ocidente, também por acusações de fraude. Isso pode se repetir no México? É pouco provável. "Tan lejos de Dios y tan cerca de los Estados Unidos." Pobre México, lutou tanto para derrubar o PRI, apenas para ver os mesmos métodos serem postos em prática pelo PAN de Calderón e do presidente Vicente Fox. E, por falar em Ucrânia, a coalizão pró-Ocidente acaba de entrar em colapso e o líder do partido pró-Moscou é o novo primeiro-ministro. Assim como o México, o país está claramente dividido em dois e a caminho de uma grave crise política.

Clique aqui para assinar este blog (Blog do Alon).
Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

1 Comentários:

Anonymous jose carlos lima disse...

Em Portugal, Cavaco e Silva fugiu de Alckmin, evitando acompanhá-lo até a porta de saída de seu gabinete para não ser fotografado junto com o Geraldo. Se fosse Lula, heim. Cavaco e Silva faria questão de ser fotografado ao lado do Barba. Disso a mídia não fala. Nem fala dos 6 milhões que, no governo Lula, sairam da linha da pobreza para ingressar classe média. Que maravilha! É isto aí Barba! Derrotaremos esta imprensa nada democrática com seu candidato chinfrim denominado Alckmínimo, o defensor do Estado mínimo na educação, saúde, segurança, etc. Talvez por isso um agente carcerário ganhe menos de 1.500,00 reais em SP. Um delegado menos de 4.000. É o Estado mínimo do Alckmínimo.

terça-feira, 11 de julho de 2006 03:16:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home