terça-feira, 4 de abril de 2006

Oposição procura as falhas na versão de Bastos (04/04)

Um suposto "buraco negro" na versão apresentada pelo ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, vai ser o mote da oposição para tentar desmontar a versão dele sobre a participação de sua pasta no caso da violação dos dados bancários do caseiro Francenildo Costa. PSDB e PFL acham que o ministro não explicou, e não conseguirá justificar, por que dois subordinados seus mantiveram uma conversa informal com o então ministro Antonio Palocci sobre um assunto que, a ser tratado, deveria sê-lo formalmente, pelos canais oficiais.
Ou seja, se Palocci acreditava ser vítima de um suposto ato ilegal, precisaria, pensa a oposição, acionar oficialmente os mecanismos de Estado disponíveis para todo cidadão. Em outras palavras, requisitar legalmente a ação da Polícia Federal. Ou então, pedir ao próprio ministro da Justiça que acionasse a PF. Líderes do PSDB e do PFL pensam que a ida dos assessores de Bastos a uma conversa informal com Palocci não se encaixa em nenhum procedimento regular, seria um sinal de que o que estava em curso não era uma ação oficial em defesa de uma autoridade pública, mas uma conspiração paralela ao aparelho de Estado para perseguir e intimidar um cidadão que havia feito acusações contra o ministro da Fazenda.

Clique aqui para assinar este blog

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

1 Comentários:

Anonymous Marcos disse...

È verdade. Teremos este lenga-lenga até o ínicio da campanha eleitoral na TV. Só que como eu imaginava o tiro da oposição está saindo pela culatra. Francenildo pode fazer sucesso na OAB, mas para os brasileiros comuns, tudo aquilo não passou de uma armação. Não acredita? Faz uma enquete com o zelador do prédio, a caixa do supermercado, o vendedor ambulante. Afinal de contas são esta pessoas que decidirão a eleição.( Para desespero de muitos).

quarta-feira, 5 de abril de 2006 01:41:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home