quinta-feira, 20 de abril de 2006

O que pensa quem faz o programa econômico de Alckmin (20/04)

Postei na seção "Textos de Outros" (abaixo) o trabalho mais recente do economista Samuel Pessoa, indicado pelo presidente do PSDB, senador Tasso Jereissati (CE), para fazer o programa econômico de Geraldo Alckmin. Transcrevo um trecho das conclusões:

"O próximo ponto da agenda de pesquisa é tentar entender melhor o fenômeno da forte e persistente queda de produtividade dos países da América Latina e em especial do Brasil. Há evidência de que a queda da produtividade ocorreu simultaneamente a um processo de sofisticação da matriz produtiva e de pressão sobre o gasto público resultante de políticas de transferência de renda para grupos promovida após a redemocratização da economia. A maior sofisticação da economia requereu um processo simultâneo de evolução institucional que nossa sociedade não foi capaz de arbitrar. A elevação da arrecadação do setor público para fazer frente a gastos de transferência elevou o peso morto da tributação sem elevar o benefício de uma melhor oferta de infra-estrutura e bens públicos em geral. Ambos os efeitos – elevação da carga tributária sem contrapartida de serviços e forte defasagem no desenvolvimento institucional – produziram forte elevação do custo de transação (...)."

Clique aqui para ler na íntegra o texto Perspectivas de Crescimento no Longo Prazo para o Brasil: Questões em Aberto.

Clique aqui para assinar este blog (Blog do Alon).

Para inserir um comentário, clique sobre a palavra "comentários", abaixo.

1 Comentários:

Anonymous Kleber disse...

Economistas... que coisa! O dinheiro pelo dinheiro e as pessoas, principalmente as mais sacrificadas pelo passado "tucano" inclusive, que se danem.
Saúde Alon. Meu abraço!

quinta-feira, 20 de abril de 2006 14:52:00 BRT  

Postar um comentário

<< Home